Agência reguladora da UE endossa vacina da AstraZeneca após investigação de segurança

A análise de 5 milhões de pessoas da EMA incluiu 30 casos de problemas sanguíneos raros

Redação
Compartilhe esta publicação:
digicomphoto/GettyImages
digicomphoto/GettyImages

A análise de 5 milhões de pessoas da agência incluiu 30 casos de problemas sanguíneos raros

Acessibilidade


A agência reguladora de medicamentos da União Europeia disse hoje (18) que continua convencida de que os benefícios da vacina contra Covid-19 da AstraZeneca superam os riscos após uma investigação de relatos de problemas sanguíneos que levaram mais de uma dúzia de nações a suspenderem seu uso.

A informação foi divulgada enquanto a diretora da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), Emer Cooke, disse que a entidade não pôde descartar de forma definitiva uma ligação entre ocorrências de coágulos sanguíneos e a vacina em sua investigação de 30 casos de um problema raro de coagulação sanguínea.

LEIA MAIS: Anvisa recomenda continuidade do uso da vacina da AstraZeneca

A agência, no entanto, atualizará sua diretriz para incluir uma explicação sobre os riscos em potencial para médicos e para o público, disse ela.

A agência sofre uma pressão crescente para esclarecer preocupações de segurança desde o surgimento de um número pequeno de relatos sobre sangramentos, coágulos sanguíneos e contagem baixa de plaquetas em pessoas que receberam a vacina nas últimas semanas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A análise de 5 milhões de pessoas da agência incluiu 30 casos de problemas sanguíneos raros em moradores do Espaço Econômico Europeu (EEE), que conecta 30 países da Europa.

O foco e a preocupação principal da EMA são casos de coágulos sanguíneos na cabeça, um problema raro e difícil de tratar chamado trombose venosa cerebral (TVC) ou uma subforma conhecida como trombose dos seios venosos (CVST).

Mais de 45 milhões de doses das vacinas já foram administradas na EEE. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: