EUA formam grupos de especialistas para suspender restrições globais de viagens

Presidente Biden quer determinar como retomar deslocamentos internacionais com segurança, após 15 meses de restrições.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Kiwis/Getty Images
Kiwis/Getty Images

Grupo de autoridades reunidas pelo presidente Joe Biden irão determinar como as viagens internacionais podem ser retomadas com segurança

Acessibilidade


O governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, está formando grupos de especialistas com Canadá, México, União Europeia e Reino Unido para determinar como retomar com segurança as viagens internacionais após 15 meses de restrições pela pandemia de coronavírus, afirmou uma autoridade da Casa Branca ontem (8).

Uma outra autoridade norte-americana disse que o governo não irá agir rapidamente para suspender os decretos que impedem grande parte do mundo de entrar nos Estados Unidos por conta do tempo que irá levar para que os grupos façam seus trabalhos.

LEIA MAIS: A retomada do turismo: veja como 7 empresas avaliam o setor no pós-pandemia

“Embora não estejamos reabrindo as viagens hoje, esperamos que esses grupos de trabalho de especialistas nos ajudem a usar nosso conhecimento coletivo para traçar um caminho à frente, com o objetivo de reabrir as viagens internacionais com nossos principais parceiros quando for determinado que é seguro fazê-lo”, afirmou a autoridade da Casa Branca.

A fonte disse que “qualquer decisão será completamente guiada por análises objetivas e recomendações de especialistas médicos e de saúde pública”. Os grupos serão liderados pela equipe de resposta da Casa Branca à Covid-19, e pelo Conselho de Segurança Nacional, e vão incluir o CDC (Centro de Controle de Doenças) e outras agências.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O CDC informou ontem (8) que vai atenuar as recomendações de viagens para 110 países e territórios, incluindo Canadá, México, Japão, África do Sul e Irã.

A diretora do CDC, Rochelle Walensky, disse que as restrições de viagem estão sujeitas a “conversas entre agências, e estamos observando os dados em tempo real para ver como deveríamos avançar com isso”. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: