Diretor-geral da OMS lamenta decisão da Suprema Corte dos EUA contra aborto

Decisão de 1973 foi revertida pelo tribunal, revertendo o direito

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reuters/Denis Balibouse
Reuters/Denis Balibouse

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou estar decepcionado com decisão que derrubou direito ao aborto nos EUA

Acessibilidade


O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse hoje (24) que estava muito decepcionado com a derrubada pela Suprema Corte dos Estados Unidos da histórica decisão sobre aborto Roe vs Wade.

“Estou muito desapontado, porque os direitos das mulheres devem ser protegidos. E eu esperava que os Estados Unidos protegessem esses direitos”, disse Tedros à Reuters à margem de uma cúpula da Commonwealth em Ruanda.

Leia mais: Suprema Corte dos EUA reverte decisão histórica que garantiu direito ao aborto

Decisão histórica tomada em 1973 permitia abortos realizados antes que um feto fosse viável fora do útero – entre 24 e 28 semanas de gravidez. O tribunal, em uma decisão tomada por 6 votos a 3, reverteu a decisão alegando que a decisão foi erroneamente tomada porque a Constituição dos EUA não faz menção específica ao direito ao aborto.

Uma versão preliminar da decisão agora anunciada, indicando que o tribunal provavelmente reverteria Roe v. Wade, foi vazada em maio, provocando uma tempestade política.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: