Fazer mais atividade física que o recomendado leva a vida mais longa

Benefício máximo na redução da mortalidade ocorre ao realizar entre 150 e 300 minutos de exercício vigoroso semanalmente

Derek Saul
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Décadas de pesquisa descobriram que atividade física regular pode ajudar as pessoas a viverem mais

Acessibilidade


Realizar muito mais atividade física do que as diretrizes atuais reduz significativamente os riscos de mortalidade, de acordo com um estudo em larga escala publicado na revista “Circulation da American Heart Association”, adiando pesquisas anteriores que sugeriam que participar de esportes de resistência de alta intensidade, como maratonas, poderia levar a danos cardiovasculares.

As pessoas que se exercitavam duas a quatro vezes mais do que a recomendação mínima semanal da American Heart Association de 150 minutos de atividade moderada tiveram uma redução no risco de mortalidade de 26% a 31%. Por outro lado, aquelas que se exercitavam de duas a quatro vezes mais que a recomendação de 75 minutos de atividade intensa apresentaram redução no risco de mortalidade de 21% a 23%, segundo o estudo.

Leia mais: Pandemia derruba atividade física de crianças em 20%

A pesquisa, revisada por pares, foi financiada pelo National Institutes of Health e analisou a atividade autodeclarada de 100 mil adultos durante um período de 30 anos.

Atender às diretrizes de atividade também teve benefícios significativos, embora menores: pessoas que realizaram 150 minutos de atividade física moderada semanalmente tiveram uma redução no risco de mortalidade de 20% a 21%, enquanto aqueles que se exercitaram vigorosamente por 75 minutos tiveram uma redução de 19% na mortalidade risco.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O estudo constatou que o benefício máximo na redução da mortalidade ocorre ao realizar entre 150 e 300 minutos de exercício vigoroso semanalmente ou entre 300 e 600 minutos de atividade moderada, ou uma combinação de ambos.

Vale destacar que o estudo não encontrou nenhum sinal de efeitos adversos à saúde cardiovascular para aqueles que se exercitavam mais de quatro vezes as recomendações para atividades moderadas e vigorosas, contrariando estudos anteriores que sugeriam que pode haver um limite para os benefícios do exercício ou mesmo um efeito prejudicial do excesso de atividade física.

Décadas de pesquisa descobriram que o atividade física regular pode ajudar as pessoas a viverem mais. Uma meta-análise de 16 estudos publicados globalmente no British Journal of Sports Medicine em janeiro descobriu que a realização de 30 a 60 minutos de exercícios de força semanais está associada a uma redução de 15% na mortalidade por todas as causas.

Leia mais: Queda de cabelo e perda libido estão entre os sintomas da Covid Longa

Um estudo publicado no início deste mês no Journal of the American Medical Association mostrou os efeitos que o treinamento de força pode ter, descobrindo que pode haver uma ligação entre menor massa muscular e declínio cognitivo em adultos mais velhos.

O pesquisador da Universidade de Harvard, Dong Hoon Lee, um dos autores do artigo, disse em um comunicado que a falta de associação observada entre os níveis mais altos de atividade física e o risco prejudicial à saúde “pode reduzir as preocupações em torno do potencial efeito nocivo de se envolver em altos níveis de atividade física. atividade física observada em vários estudos anteriores.”

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: