AB InBev abre centro de segurança cibernética em Israel

Reuters
O centro de segurança da AB InBev em Tel Aviv se concentrará na análise de ameaças e possíveis ataques

A Anheuser-Busch InBev (AB InBev), maior fabricante de cerveja do mundo, disse hoje (13) que está abrindo uma unidade de segurança cibernética em Israel para ajudar a se proteger de um número crescente de ataques.

LEIA MAIS: AB InBev quer levantar US$ 5 bi na bolsa em Hong Kong

Israel é líder em segurança cibernética e muitas das maiores empresas do mundo abriram centros ou adquiriram empresas de tecnologia israelenses para se defenderem contra hackers, à medida que a dependência de redes digitais e armazenamento de dados em nuvem se torna mais predominante.

O centro de segurança da AB InBev em Tel Aviv se concentrará na análise de ameaças e possíveis ataques, disse Luis Veronesi, vice-presidente global de segurança e conformidade. A empresa não divulgou detalhes financeiros da iniciativa.

Veronesi disse à Reuters que a AB InBev e toda a indústria têm enfrentado ataques cibernéticos cada vez maiores, desde hackers “motivados financeiramente” até tentativas de interromper as operações. “Com a crescente digitalização, temos que estar preparados para nos defender contra qualquer coisa que venha”, disse ele.

A fabricante de cerca de 500 marcas de cerveja, incluindo Budweiser, Corona e Stella Artois, começou a operar em Israel há um ano quando comprou a Weissbeerger, que desenvolveu uma plataforma para analisar o consumo de bebidas no ponto de venda, conectando as torneiras de cerveja à internet e coletando dados do registro.

A Weissbeerger tornou-se o centro local de pesquisa e desenvolvimento da empresa e planeja expandir sua força de trabalho, disse a AB InBev.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).