Amazon faz contato com fabricantes de testes de coronavírus para rastrear equipe

REUTERS_Mike-Segar
A empresa também discutiu se poderia iniciar esses testes em pelo menos um galpão perto de sua sede em Seattle

A Amazon. com entrou em contato com CEOs de dois fabricantes de testes de coronavírus, em busca de como rastrear sua equipe e reduzir o risco de infecção em seus depósitos, de acordo com notas de reuniões internas vistas pela Reuters.

Os executivos-chefe da Abbott Laboratories e da Thermo Fisher Scientific disseram à Amazon que gostariam de trabalhar com a empresa de comércio eletrônico, embora o governo dos EUA esteja ocupando toda a sua capacidade de teste no momento, informam as notas.

LEIA TAMBÉM: Google publica dados de localização em 130 países para monitorar isolamento social

A empresa também discutiu se poderia iniciar esses testes em pelo menos um galpão perto de sua sede em Seattle. A essência das conversas da Amazon com os fabricantes de testes e a assistência exata que eles poderiam oferecer não estavam claras.

O documento indicava separadamente que a Amazon está investigando a capacidade de rastrear mais de uma pessoa ao mesmo tempo para detectar o vírus, e também quer fazer parceria com uma organização médica em seus esforços de teste. Não dava mais detalhes sobre o teste para várias pessoas nem nomeou um parceiro.

Abbott e Thermo Fisher não retornaram um pedido de comentário ontem (03). A Amazon preferiu não comentar.

A Amazon, maior varejista online do mundo, vai disponibilizar máscaras faciais e verificações de temperatura para trabalhadores em todos os seus depósitos nos EUA e na Europa a partir da próxima semana.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).