Jogadores mais bem pagos da NBA na temporada 2019/2020

Getty Images
LeBron James lidera o ranking dos jogadores mais bem pagos da NBA na temporada 2019/2020 com US$ 92 milhões entre salários e patrocínios

Resumo:

 

  • Os salários da NBA dispararam nos últimos anos, mas as maiores estrelas ganharam mais fora das quadras do que dentro delas até agora em suas carreiras;
  • Com US$ 92 milhões entre salários e patrocínios, LeBron James é o jogador mais bem pago da NBA pelo sexto ano consecutivo;
  • Além de James, o topo da lista é integrado por Stephen Curry (2º),  Kevin Durant (3º)e  Russell Westbrook (4º).

Os salários da NBA dispararam nos últimos anos, mas as maiores estrelas ganharam mais fora das quadras do que dentro delas até agora em suas carreiras. Lebron James, que lidera o ranking da temporada 2019-2020, recebeu mais que o dobro em patrocínios do que os US$ 270 milhões em salário recebidos nos primeiros 16 anos. Os ganhos de US$ 187 milhões em quadra de Kevin Durant em 12 temporadas são ofuscados pelo atual contrato de 10 anos com a Nike, avaliado em US$ 275 milhões.

VEJA MAIS: 10 jogadores mais bem pagos da NBA em 2019

Com US$ 92 milhões entre salários e patrocínios, LeBron James é o jogador mais bem pago da NBA pelo sexto ano consecutivo. É um recorde para um jogador de basquete ativo. A Nike, sua maior patrocinadora, está batizando um novo laboratório de pesquisa em seu campus corporativo em Beaverton, Oregon, em homenagem à estrela do basquete. No mês passado, a 17ª versão do tênis que leva sua assinatura, o LeBron XVII, chegou às lojas.

Eleito quatro vezes o jogador mais valioso da NBA, James incluiu dois novos patrocínios à sua lista de 2019: as malas Rimowa e o Walmart se juntaram à Coca-Cola, Beats By Dre, Blaze Pizza e NBA 2K. O jogador tem, ainda, uma empresa de mídia digital em expansão, a Uninterrupted, e uma produtora, a SpringHill Entertainment, que lançará uma sequência de “Space Jam”, filme-animação de 1996 estrelado por Michael Jordan em conjunto com a Warner Bros. em 2021. Todo o trabalho fora das quadras rendeu a LeBron James estimados US$ 55 milhões nesta temporada.

Os comentários da estrela do Los Angeles Lakers sobre a bagunça geopolítica da NBA na China também revelam a posição precária de todos na liga, já que a agitação política em Hong Kong não mostra sinais de diminuir. Com a 74ª temporada da liga tendo começado ontem (22), a NBA está sofrendo com a crise provocada por um tuíte de Daryl Morey, do Houston Rockets, em apoio aos manifestantes pró-democracia de Hong Kong. O comissário Adam Silver apoiou o direito de liberdade de expressão de Morey, mas alguns jogadores não fizeram o mesmo, incluindo James, que chamou Morey de “desinformado ou pouco educado”. “Nós amamos a China”, disse o armador do Rockets, James Harden.

Foi um raro passo em falso para duas das estrelas da liga mais entusiasmadas com a mídia, ambas com laços estreitos com a China. A Adidas, da qual Harden é a cara no que diz respeito ao basquete, gerou mais receita na China no ano passado do que na América do Norte, e o Rockets é o time mais popular do país.

A receita da Nike na China superou US$ 6 bilhões durante o último ano fiscal e o país é líder em crescimento da marca. James representou a marca esportiva em 15 viagens fora da temporada à China. A marca paga à James mais de US$ 30 milhões anualmente para lançar seus produtos em todo o mundo. E a ameaça de perder sua trajetória de crescimento em território chinês pode ter consequências de longo alcance para as avaliações das equipes.

Mas, em casa, as finanças das franquias da NBA permanecem sólidas, o que é bom para os salários dos jogadores. O teto salarial da liga está subindo, impulsionado, em grande parte, pelo acordo de televisão de nove anos e US$ 24 bilhões com a ESPN e a TNT, assinado em 2014. Os jogadores da NBA têm direito a 51% da “renda relacionada ao basquete” da liga, conforme estabelecido na negociação coletiva. O rico acordo de TV e os negócios internacionais em expansão significam que 46 jogadores receberão um salário de, pelo menos, US$ 25 milhões nesta temporada, segundo o Spotrac. Esse é um grupo de pessoas que não tinha nenhum membro há cinco anos, E, diferentemente da NFL, todo dólar é garantido após a assinatura.

VEJA TAMBÉM: As maiores parcerias da NBA com marcas de tênis

Os salários em quadra na NBA são limitados com base no número de anos de um jogador na liga e nas honras recebidas, como o título de MVP (jogador mais valioso), quando estas lhes conferem uma porcentagem maior do teto salarial de uma equipe. Portanto, a ordem hierárquica para as estrelas da elite é, em última análise, determinada por sua receita fora das quadras, sendo que o negócio de calçados é o maior componente desses ganhos. Há dez jogadores ativos da NBA que ganharão, pelo menos, US$ 10 milhões com seus contratos nessa área neste ano.

Stephen Curry, que aparece em 2º lugar no ranking, deve receber US$ 85 milhões nesta temporada, incluindo US$ 45 milhões fora das quadras. A Under Armour representa quase metade de sua receita extra. Seu salário de US$ 40,2 milhões no Golden State Warriors é o mais alto da história da NBA – ele está na terceira temporada do contrato de cinco anos e US$ 201 milhões assinado em 2017. A produtora de Curry, a Unanimous Media, tem um acordo de desenvolvimento com a Sony Pictures. O primeiro filme, “Breakthrough”, foi lançado em abril, com Curry desempenhando um importante papel no marketing. A produção de orientação cristã teve orçamento de US$ 14 milhões e arrecadou US$ 50 milhões.
Durant tem o segundo maior contrato anual de calçados da NBA, depois de LeBron James, com US $ 26 milhões estimados nesta temporada. Seus ganhos totais, incluindo salário e patrocínios, são de US$ 73 milhões. A Nike vende mais tênis de Durant na China do que na América do Norte, de acordo com o parceiro de negócios do atleta, Rich Kleiman.

Assim como James e Curry, Durant tem sua própria produtora, que está coproduzindo um novo drama do basquete, “Swagger”, inspirado na experiência juvenil do astro que vai ao ar pelo serviço de streaming da AppleTV.

Os dez jogadores mais bem pagos da NBA devem ganhar, juntos, US$ 600 milhões este ano, incluindo US$ 250 milhões em patrocínios, aparições, merchandising e mídia.

Veja, na galeria de fotos a seguir, os 10 jogadores mais bem pagos da NBA na temporada 2019-2020:

  • 1. LeBron James

    Salário: US$ 37,4 milhões
    Patrocínios: US$ 55 milhões
    Total: US$ 92,4 milhões

  • 2. Stephen Curry

    Salário: US$ 40,2 milhões
    Patrocínios: US$ 45 milhões
    Total: US$ 85,2 milhões

  • 3. Kevin Durant

    Salário: US$ 38,2 milhões
    Patrocínios: US$ 35 milhões
    Total: US$ 73,2 milhões

  • 4. Russell Westbrook

    Salário: US$ 38,5 milhões
    Patrocínios:US$ 18 milhões
    Total: US$ 56,5 milhões

  • 5. James Harden

    Salário: US$ 38,2 milhões
    Patrocínios: US$ 17 milhões
    Total: US$ 55,2 milhões

  • 6. Kyrie Irving

    Salário: US$ 31,7 milhões
    Patrocínios: US$ 20 milhões
    Total: US$ 51,7 milhões

  • 7. Klay Thompson

    Salário: US$ 32,7 milhões
    Patrocínios: US$ 15 milhões
    Total: US$ 47,7 milhões

  • 8. Chris Paul

    Salário: US$ 38,5 milhões
    Patrocínios: US$ 8 milhões
    Total: US$ 46,5 milhões

  • 9. Giannis Antetokounmpo

    Salário: US$ 25,8 milhões
    Patrocínios: US$ 20 milhões
    Total: US$ 45,8 milhões

  • 10. Damian Lillard

    Salário: US$ 29,8 milhões
    Patrocínios: US$ 14 milhões
    Total: US$ 43,8 milhões

1. LeBron James

Salário: US$ 37,4 milhões
Patrocínios: US$ 55 milhões
Total: US$ 92,4 milhões

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).