Bilionário dos fundos de pensão é denunciado por comentários sexistas e perde US$ 1 bi

GettyImages/ JimSpellman
Não é a primeira vez que Ken Fisher se refere a mulheres de maneira vulgar em público

Resumo:

  • Os comentários sexistas e provocativos de Ken Fisher causaram resposta rápida do público e diversos clientes retiraram dinheiro de sua empresa;
  • Governantes de Boston e Filadélfia garantiram a retirada dos fundos que estavam sendo controlados pela Fisher Investments;
  • Ken Fisher era conhecido por exemplificar seus discursos com relações sexuais entre homens e mulheres;
  • Ele já pediu desculpas públicas e garantiu que não queria ofender ninguém com sua palavras;
  • Seu filho, Nathan Fisher, declarou que o pai faz conexões cerebrais de uma maneira diferente do que as pessoas comuns e que não é sexista.

O bilionário Ken Fisher, filho de um famoso investidor, escritor, proprietário da Fisher Investments desde 1979 e administrador de US$ 112 bilhões em fundos de pensão e individuais, virou assunto por uma razão diferente. Quando entrevistado na conferência Tiburon CEO Summit, em São Francisco, ele fez comentários sexistas, inapropriados e libidinosos. O discurso inclui falas sobre genitália e afirmações de que ganhar um cliente é como “tentar tirar a calcinha de uma garota”. A retaliação foi rápida, e investidores retiraram cerca de US$ 1 bilhão da empresa de Fisher.

LEIA MAIS: Randi Zuckerberg conta que sentiu na pele o machismo no Vale do Silício

Alex Chalekian, CEO da Lake Avenue Financial, estava na conferência e ficou horrorizado com os comentários que ouviu. Ele gravou um vídeo falando sobre como se sentia, que viralizou no Twitter.

Em um ambiente novo, sensível e consciente, os comentários de Fisher foram recebidos com desdém. Alguns de seus clientes ficaram chocados e decidiram retirar dinheiro e parar de fazer negócios com a empresa dele. O estado de Michigan sacou US$ 600 milhões como resposta aos comentários sexistas. O prefeito de Boston, Marty Walsh, anunciou que a cidade vai cortar relações com a Fisher Investments, retirando US$ 248 milhões em ativos de pensão por sua “falta profunda de senso”. Walsh ainda falou que “Boston não irá investir em empresas lideradas por pessoas que tratam mulheres como commodities”.

O Conselho de Pensões de Filadélfia sinalizou que iria pedir o retorno de um investimento de US$ 54 milhões. A CNBC reportou que a gigante dos fundos mútuos Fidelity Investments está repensando sua relação de US$ 500 milhões com Fisher.

A CNBC obteve um áudio da conferência no qual Fisher faz afirmações como “dinheiro e sexo, essas são as duas coisas mais privadas para a maioria das pessoas, então, tome cuidado ao tentar conseguir novos clientes”, “é como chegar em uma garota em um bar [inaudível] chegar em uma garota em um bar e dizer ‘ei, eu queria conversar sobre o que está na sua calcinha’”. Fisher foi banido de futuros encontros do Tiburon CEO Summit.

Fisher já foi acusado de se comportar dessa maneira antes. Como palestrante na conferência Evidence-Based Investing do ano passado, ele comparou investimentos de marketing com propor sexo para uma mulher em um bar: “A pior coisa que você pode fazer, que é o que todas as empresas de fundo mútuo no mundo fazem, é ficar se gabando da performance em um e-mail. Isso é como chegar em uma mulher e falar ‘e aí, quer transar?’”.

Ele adicionou: “Não sei se conseguiria, mas, se eu fosse 30 anos mais novo e tivesse de fazer tudo de novo, faria mais sexo enquanto podia. Quando se fica velho, você vira uma árvore de natal, fica firme só uma vez no ano e as bolas são apenas para decorar”. Ele também foi banido da conferência Evidence-Based Investing.

LEIA TAMBÉM: As 10 mulheres mais influentes entre as bilionárias dos EUA

Fisher se desculpou pelos comentários e disse que “algumas das palavras e expressões que usei durante uma conferência para apontar certas coisas foram claramente erradas e eu não deveria tê-las usado”. “Eu entendo que esse tipo de linguagem não deve ser usada em nossa empresa ou indústria, peço sinceras desculpas”.

O filho de Ken Fisher, Nathan, escreveu uma publicação no LinkedIn:

“Meu pai, Ken Fisher, fez comentários em uma conversa recente que foram interpretados por alguns como sexistas, racistas ou preconceituosos. Todos que o conhecem pessoalmente concordam que ele não é nada dessas coisas. Ele é uma boa pessoa e já pediu desculpas, eu fico triste de vê-lo sendo atacado e rotulado dessas coisas. O cérebro de meu pai faz ligações de uma maneira diferente do que a maioria, e isso é uma das causas de seu sucesso. Mas também significa que ele se relaciona de um jeito diferente e nem sempre interpreta regras sociais de maneiras convencionais. Ele está tentando entender como as pessoas se sentiram por seus comentários, espero que possam tentar entender que ele não quis prejudicar ninguém e aprendeu com tudo o que aconteceu”.

Wall Street sempre foi conhecida como um ambiente onde homens velhos agem como se estivessem em uma fraternidade. Xingamentos, brincadeiras de vestiário, insultos e comportamento rude sempe foram aceitos. Diversos casos e reclamações de ameaças sexuais e ambiente hostil já foram denunciados. Em meio ao movimento #MeToo, com mudanças nas expectativas de como pessoas deveriam falar e agir, as coisas começam a mudar aos poucos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).