As 10 mulheres mais influentes entre as bilionárias dos EUA

gettyimages
MacKenzie se tornou a terceira mulher mais rica dos Estados Unidos em 2019

Resumo: 

  • O patrimônio líquido combinado das mulheres mais ricas dos EUA alcançou o maior valor dos últimos anos, US$ 429,7 bilhões; 
  • O valor mínimo para fazer parte da lista Forbes 400 desse ano foi US$ 2,1 bilhões; 
  • Os destaques femininos reúnem mulheres que cresceram no mercado sozinhas, com o cônjuge ou com heranças e divórcios.

As mulheres da Forbes 400 estão mais ricas do que nunca. Neste ano, elas somam patrimônio líquido combinado de US$ 429,7 bilhões, muito mais do que os US$ 330 bilhões de 2018. Grande parte da fortuna é advinda de divórcios e mortes. Há 56 mulheres no ranking, incluindo duas que aparecem ao lado de seus maridos, uma a menos do que no ano passado. Todas possuem pelo menos US$ 2,1 bilhões, o mínimo para fazer parte da lista deste ano.

Das mulheres Forbes 400 de 2019, 11 são designadas pela Forbes como self-made, tendo trabalhado para construir suas fortunas por conta própria ou com um cônjuge. Destas, Diane Hendricks é a mais rica. Ela e mais sete, incluindo a cofundadora da Gap, Doris Fisher, e a cofundadora da The Wonderful Company, Lynda Resnick, começaram e ampliaram negócios com seus maridos. As três que criaram suas fortunas sem um cônjuge como parceiro de negócios incluem Oprah Winfrey; Judy Faulkner, fundadora da Epic Systems; e Meg Whitman, que ajudou a erguer o eBay como CEO em seu início.

LEIA MAIS: 10 maiores bilionários do Brasil em 2019

As outras mulheres herdaram suas fortunas de maridos que morreram, de outros membros da família ou do divórcio. Quatro estão aumentando ativamente esse dinheiro, como Laurene Powell Jobs, ou trabalhando em empresas familiares, como Aerin Lauder e Jane Lauder.

Quatro entraram na lista pela primeira vez, incluindo as duas mais ricas dos EUA: MacKenzie Bezos, que estreia no número 15, depois do divórcio com o fundador da Amazon, Jeff Bezos, e Julia Koch, viúva do industrial David Koch, avaliada em US$ 41 bilhões. As outras duas recém-chegadas são a viúva de Ross Perot, Margot Birmingham Perot, e Janice McNair, que herdou a participação de seu falecido marido, Bob McNair, no Houston Texans da NFL.
Aqui estão algumas das mulheres notáveis ​​que estão na lista Forbes 400 deste ano:

  • Alice Walton (#11)

    Patrimônio: US$ 51,4 bilhões
    A única filha do fundador do Walmart, Sam Walton, é a mulher mais rica da América. Sua fortuna aumentou em US$ 6,4 bilhões no ano passado, graças a um aumento de quase 25% no preço das ações do Walmart. Colecionadora de arte, ela abriu o Museu de Arte Americana Crystal Bridges em Arkansas, em 2011, e possui uma extensa coleção pessoal no valor de centenas de milhões de dólares.

  • Julia Koch (#13)

    Patrimônio: US$ 41 bilhões
    Julia e seus três filhos herdaram uma participação de 42% na Koch Industries, de seu falecido marido, David Koch, depois da morte dele, em agosto. David e seu irmão Charles ajudaram a transformar o conglomerado industrial na segunda maior empresa privada dos EUA, com mais de US$ 110 bilhões em receita. Nativa de Iowa, ela se mudou para Nova York na década de 1980 e foi assistente do estilista Adolfo. Julia se casou com David em 1996 e, juntos, fizeram doações para várias organizações, como o Lincoln Center, o Metropolitan Museum of Art e o New York-Presbyterian Hospital.

  • MacKenzie Bezos (#15)

    Patrimônio: US$ 36,1 bilhões
    MacKenzie se tornou a terceira mulher mais rica dos Estados Unidos depois que ela e Jeff Bezos, fundador da Amazon, terminaram o casamento de 25 anos neste ano. No maior acordo de divórcio da história, Jeff transferiu um quarto de sua participação na Amazon para ela. MacKenzie, que agora possui 4% da empresa, assinou o Giving Pledge (organização filantrópica de Bill Gates) antes que o divórcio fosse finalizado. “Não tenho dúvidas de que um tremendo valor chega quando as pessoas agem rapidamente com o impulso de doar. Nenhuma iniciativa tem efeitos mais positivos do que o desejo de servir”, escreveu ela na carta anunciando que doará metade de sua riqueza a causas beneficentes. MacKenzie é uma romancista premiada e foi assistente de pesquisa de Toni Morrison.

  • Laurene Powell Jobs (#22)

    Patrimônio: US$ 21,3 bilhões
    Laurene Jobs herdou bilhões de dólares em ações da Apple e da Disney de seu falecido marido, o cofundador da Apple Steve Jobs. Ela é presidente da Emerson Collective, uma empresa híbrida filantrópica e de responsabilidade limitada que fundou em 2016. A organização se concentra nas temáticas de imigração, educação, justiça social e reforma da saúde. A Emerson Collective também possui participações na revista “The Atlantic”, além de Axios, OzyMedia, o time da NBA Washington Wizards e o da NHL Washington Capitals e várias startups de tecnologia.

  • Diane Hendricks (#79)

    Patrimônio: US$ 7 bilhões
    Diane é a mulher self-made mais rica do mundo na Forbes 400, pelo segundo ano consecutivo. Em 1982, ela e seu marido (falecido em 2007) Ken Hendricks fundaram a ABC Supply, hoje a maior distribuidora de telhados, calhas e janelas do país. Diane ainda preside a empresa, que alcançou mais de US$ 10 bilhões em vendas anuais pela primeira vez no ano passado. Ela liderou as duas maiores aquisições da companhia, comprando a rival Bradco em 2010 e a distribuidora de materiais de construção L&W em 2016.

  • Judy Faulkner (#207)

    Patrimônio: US$ 3,8 bilhões
    Judy é a bilionária self-made da tecnologia mais rica do mundo. Ela é CEO da Epic Systems, a empresa de software para registros médicos que fundou em 1979. A companhia teve uma receita de US$ 2,9 bilhões no ano passado; os registros de saúde de mais de 250 milhões de pacientes são armazenados usando o software da Epic. Quando Judy assinou o Giving Pledge em 2015, disse que doaria 99% de seus ativos, incluindo sua participação na Epic.

  • Meg Whitman (#217)

    Patrimônio: US$ 3,7 bilhões
    Meg foi CEO do eBay de 1998 a 2008, período em que a empresa expandiu para 15 mil funcionários e US$ 8 bilhões em receita. Seu currículo também inclui cargos executivos na Disney, DreamWorks, Procter & Gamble e Hasbro. Em 2010, ela venceu a primária republicana na eleição governamental da Califórnia. Apesar de gastar mais de US$ 100 milhões de seu próprio dinheiro, foi derrotada pelo democrata em exercício Jerry Brown. Meg foi CEO da Hewlett-Packard entre 2011 e 2017 e agora é CEO do novo serviço de assinatura de vídeo móvel Quibi.

  • Lynsi Snyder (#225)

    Patrimônio: US$ 3,6 bilhões
    Lynsi é presidente da In-N-Out Burger, empresa de fast food fundada por seus avós paternos em 1948. Mais tarde, seu tio e pai administraram o negócio, mas ambos morreram quando ela completou 18 anos. Em 2010, aos 27, ela assumiu como presidente. Lynsi se tornou bilionária em 2017, depois de receber a parte final de sua herança em seu aniversário de 35 anos. Ela possui cerca de 97% da empresa e supervisionou a expansão da In-N-Out nos estados de Texas e Oregon.

  • Thai Lee (#287)

    Patrimônio: US$ 3 bilhões
    Em 1989, Thai e seu ex-marido compraram um revendedor de software por menos de US$ 1 milhão. Eles expandiram a empresa para o provedor de TI SHI International, que alcançou US$ 10 bilhões em receita no ano passado. Depois de se formar no Amherst College, ela retornou à Coreia do Sul e trabalhou em uma empresa de autopeças para economizar dinheiro para a Harvard. Fez seu MBA em 1985, depois trabalhou na Procter & Gamble e na American Express antes de comprar o que se tornou a SHI.

  • Oprah Winfrey (#319)

    Patrimônio: US$ 2,7 bilhões
    Oprah transformou seu premiado talk show, que durou 25 temporadas, em um império de mídia e negócios. Desde que o “Oprah Winfrey Show” terminou, em 2011, ela iniciou o canal OWN, em que é coproprietária com a rede Discovery. Seu programa de TV da Apple+, “Oprah’s Book Club”, será lançado em novembro. Seu selo de aprovação é importante, as vendas de produtos frequentemente disparam após uma menção da Oprah.

Alice Walton (#11)

Patrimônio: US$ 51,4 bilhões
A única filha do fundador do Walmart, Sam Walton, é a mulher mais rica da América. Sua fortuna aumentou em US$ 6,4 bilhões no ano passado, graças a um aumento de quase 25% no preço das ações do Walmart. Colecionadora de arte, ela abriu o Museu de Arte Americana Crystal Bridges em Arkansas, em 2011, e possui uma extensa coleção pessoal no valor de centenas de milhões de dólares.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).