Cargill nomeia Paulo Sousa para presidência da empresa no Brasil

Executivo substituirá Luiz Pretti a partir de dezembro

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

Sousa também manterá sua posição como chefe da divisão sul-americana de commodities agrícolas da Cargill

Acessibilidade


A operadora de commodities norte-americana Cargill anunciou hoje (16) que Paulo Sousa vai comandar as operações da empresa no Brasil, assumindo como presidente em 16 de dezembro, com a saída de Luiz Pretti.

LEIA MAIS: Lucro trimestral da Cargill avança 3%

Sousa também manterá sua posição como chefe da divisão sul-americana de commodities agrícolas da Cargill, cargo que ocupa desde 2016, disse a empresa.

Pretti atuou como presidente da Cargill no Brasil pelos últimos oito anos, de acordo com um comunicado divulgado pela companhia, tendo trabalhado na empresa por um total de 15 anos.

A Reuters noticiou em maio que Pretti preparava sua saída, mas nem a Cargill nem o executivo confirmaram a decisão publicamente.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Maior empresa de capital fechado dos Estados Unidos, a Cargill reportou em julho uma queda de 41% em seus lucros trimestrais, justificada por problemas causados pela guerra comercial entre EUA e China e inundações no Meio-Oeste norte-americano, fatores que atingiram seus negócios de grãos e carnes.

VEJA TAMBÉM: Cargill tem aprovação do Cade para compra da Beckers

No segmento de originação e processamento, as operações da Cargill na América do Sul registraram alta nos lucros ante o ano passado, com um avanço na soja e milho no Brasil, disse em seu balanço a empresa sediada em Minneapolis.
Sousa chegou à Cargill em 1990 e trabalhou em várias áreas na empresa. Ele estabeleceu o grupo de operações logísticas da Cargill no Brasil e liderou as áreas de originação de grãos e controle de riscos, disse o comunicado da empresa.

De acordo com a agência marítima Cargonave, no ano passado a Cargill embarcou 10,9 milhões de toneladas de soja do Brasil, o que fez dela a segunda principal exportadora da oleaginosa no país, atrás da rival Bunge e à frente da Archer Daniels Midland.

A Cargill afirmou que Pretti vai continuar atuando em papéis fora da empresa no país. Ele é presidente do conselho da Amcham Brasil e ocupa uma cadeira no conselho da Alvean Sugar, joint-venture de Cargill e Copersucar para comércio de açúcar.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: