Lucro trimestral da Cargill avança 3%

ReproduçãoForbes
O lucro operacional da Cargill avançou para US$ 908 milhões no primeiro trimestre fiscal de 2019/20

A empresa de commodities Cargill reportou hoje (26) um aumento de 3% em seu lucro trimestral ajustado, citando a forte demanda de consumidores por carnes e ovos na América do Norte e o crescimento em seus negócios de nutrição animal.

A Cargill, maior empresa de capital fechado dos Estados Unidos, disse que seu lucro operacional ajustado avançou para US$ 908 milhões no primeiro trimestre fiscal de 2019/20, encerrado em 31 de agosto, ante US$ 883 milhões no ano anterior.

Os resultados vêm conforme as tensões comerciais entre EUA e China, que afetaram o setor agrícola norte-americano, entram em seu segundo ano, com as tarifas retaliatórias reduzindo as exportações de commodities dos EUA e redesenhando os fluxos comerciais globais.

Pelos dados desta quinta-feira, duas das quatro unidades de negócios da Cargill apresentaram melhores resultados na comparação trimestral – mais especificamente, o grupo de proteínas e nutrição animal e a divisão de serviços industriais e financeiros.

VEJA TAMBÉM: Saudi Aramco busca fundos soberanos para atingir US$ 2 tri em IPO

O principal ponto positivo foi a carne bovina na América do Norte, impulsionada pela demanda doméstica, informou a empresa. Da mesma forma, a demanda por aves entre os consumidores de China, Tailândia e Reino Unido ajudou a alavancar os resultados trimestrais da empresa.

A atuação comercial global da Cargill também melhorou, disse a empresa, em parte graças à melhor execução em seus negócios de metais, com sede na Ásia, embora os resultados financeiros e comerciais tenham sido pressionados pela crise econômica na Argentina no final do primeiro trimestre fiscal da temporada.

Os lucros nos negócios de originação e processamento da Cargill caíram em relação ao ano passado, com a empresa dizendo que o panorama atual de comércio e as interrupções relacionadas ao clima continuaram a representar dificuldades.

Apesar de uma enxurrada de compras recentes de grãos, as exportações de produtos agrícolas dos EUA seguem enfrentando fortes ventos contrários, à medida que as tarifas sobre produtos norte-americanos importados pela China, principal compradora mundial de soja e importante importadora de vários outros produtos agrícolas, permanecem em vigor.

As receitas da companhia no trimestre cresceram 1%, para US$ 29 bilhões. Já o lucro líquido foi de US$ 915 milhões, redução de 10% ante os US$ 1,02 bilhão de igual período do ano passado, informou a empresa.

“Nosso ano começou bem, uma vez que continuamos a ajudar nossos clientes a navegar em um ambiente de negócios imprevisível”, disse Dave MacLennan, presidente do conselho e diretor executivo da Cargill, em comunicado.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).