Como a World Artists United ajuda músicos a entrarem no empreendedorismo

GettyImages/HeroImages
Empresas mostra aos novos empreendedores que os obstáculos para o sucesso podem ser superados com a ajuda de parceiros e confiança em si mesmo

Resumo:

  • A World Artists United tem como prioridade ajudar artistas a se transformar em empreendedores;
  • A criadora de conteúdos vai reunir líderes de inovação artística mundial em uma conferência para trocar experiências e criar conexões nesse meio;
  • Um dos cofundadores da empresa, Jalen James Acosta, já morou na rua e decidiu fazer de tudo para que outros artistas não passassem por isso;
  • A presidente e cofundadora da WAU, Rachel Lynn Karry, declarou que criou a companhia com o objetivo de ajudar pessoas em um nível global;
  • Eles buscam mostrar para novos empreendedores que os obstáculos para o sucesso podem ser superados com a ajuda de parceiros e confiança em si mesmo.

Como artista, pode não parecer natural se identificar como empreendedor. Mas a definição de se expandiu: há mompreneurs, solopreneurs, intrapreneurs e youngpreneurs, para citar alguns (variações da palavra “entrepreneur”, “empreendedor” em inglês). Com o surgimento de várias plataformas de distribuição de áudio, como o SoundCloud, artistas da música podem criar, produzir e compartilhar sua criatividade com o mundo. No entanto, agora eles são responsáveis ​​por operar e manter sua marca, tornando-os “artrepreneurs”.

LEIA MAIS: Spotify compra plataforma de produção musical SoundBetter

Rachel Lynn Karry, cofundadora e presidente da agência criadora de conteúdos World Artists United (WAU), com seu parceiro, Jalen James Acosta, cofundador e CEO, têm a missão de fechar a lacuna entre o lado artístico da indústria da música e o lado independente dos negócios. Eles criaram uma conferência, a Music Entrepreneur Conference, que fornece conexões significativas, palestras inspiradoras e recursos poderosos aliados a empreendedorismo. O evento reúne líderes de inovação musical, inspiração e globalização, conectando uma aliança de pioneiros para capacitar e envolver a próxima geração de empreendedores musicais.

Depois de terem passado pelas dificuldades iniciais de abrir sua gravadora, Karry e Acosta queriam retribuir à comunidade, proporcionar aos artistas promissores as oportunidades que eles gostariam de ter. “Alguns anos atrás”, explica Karry, “estávamos trabalhando com diversos artistas. Como empreendedores, estávamos tentando levantar capital, melhorar alavancagem e nossa marca. Depois, nos deparamos com pessoas com uma mentalidade antiga de como construir empresas e músicas. Isso, com o trabalho com alguns artistas que nos ferraram várias vezes, não nos fez pensar: ‘uau, você realmente não entende o que é necessário para ser um empreendedor e construir uma carreira de sucesso’. Passamos a entender essa situação como: ‘ei, nem tudo corre como o planejado’. Você precisa realmente saber como articular e ter inteligência emocional e inteligência de comunicação para formar uma equipe forte. Percebemos que os artistas precisavam de algum apoio e precisávamos encontrar uma comunidade”.

“Queríamos construir uma comunidade de empreendedores com a mesma opinião com quem realmente poderíamos crescer”, continua Karry. “Do lado do artista, desenvolvendo os mais jovens, ficou claro para mim que eles precisavam mais do que apenas desenvolvimento profissional e boa música. Eles realmente precisavam entender como é toda essa jornada empreendedora. Às vezes, os planos não acontecem conforme o planejado e você precisa se adaptar, certo? ”

A carreira de Karry começou no serviço social. Ela, então, passou para organizações sem fins lucrativos. Embora estivesse causando um impacto em pequena escala, ela queria fazer a diferença em nível global. Houve uma oportunidade de ingressar em uma startup de cuidados com a pele fazendo vendas e marketing. “Eu estava morando em Miami”, afirma Karry. “Tinha muito do estilo de vida e tudo o que achava que precisava, mas percebi que algo realmente importante estava faltando, música”.

LEIA TAMBÉM: 10 mulheres mais bem pagas na música em 2019

Em 2014, ela cruzou o caminho de Acosta, que estava desenvolvendo uma plataforma tecnológica para música e entretenimento. Ao mesmo tempo, Karry estava investindo em tecnologia musical. “Eu vi o que ele tinha conseguido e também sua incrível história na indústria da música”, ela sorri, “e o incrível talento que ele tinha como produtor musical e diretor de cinema. Quanto mais eu o conhecia, mais aprendia sobre sua formação em música latina e o que ele havia feito em todo o mundo. Vi o que ele era capaz de fazer com o cinema e como isso estava impactando as comunidades. Ele estava construindo empresas de tecnologia que ajudariam futuros empreendedores criativos. Artistas e pessoas do entretenimento poderiam tirar sustento de algo que era um sonho. Não podia ficar de fora disso, então, investi em um dos projetos nos quais ele estava trabalhando “.

Desde a reunião inicial, Karry e Acosta não apenas investiram em várias empresas, mas também fundaram a World Artists United, uma empresa de multimídia e entretenimento com serviço completo especializada em produção de música, cinema e vídeo. A companhia surgiu da experiência de Acosta, quando deixou os palcos e se tornou um morador de rua, decidindo que não apenas mudaria sua vida, mas também ajudaria outras pessoas ao longo do caminho. Karry, que tinha um estilo de vida luxuoso, queria causar um impacto maior no mundo e ajudar os criativos a compartilhar sua arte.

“A WAU é o resultado do apoio de amigos que estão no mercado há muito tempo, como Laz Alonso e Dj Irie”, comenta Acosta, “incluindo conselhos e incentivos de parceiros como Isabel Celeste Dawson, Odell Beckham Sr. e Nolan Carroll”.

“A virtude mais importante é a paciência”, conclui Acosta. “Há tantas outras coisas que você aprende no processo. Você definitivamente aprende a importância de lealdade, integridade e amizade. Nunca perca contatos. Essa é provavelmente a maior lição. Você nunca sabe quando precisará da ajuda dessa pessoa novamente”.

Em todos os desafios e situações, Karry e Acosta se concentram nessas etapas essenciais:

  • Confie em seus instintos. Parte de ser um empreendedor é aprender quais situações são boas para você e quais não são.

  • Entenda que sofrer é normal. Quando você muda para um novo cargo ou empresa, haverá uma perda de identidade. Dê algum tempo a si mesmo para conseguir se ajustar.

  • Desenvolva uma comunidade de apoio. Às vezes, esse apoio vem de estranhos que recorrem a parceiros de negócios.

Confie em seus instintos. Parte de ser um empreendedor é aprender quais situações são boas para você e quais não são.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).