Fintech Pitzi recebe aporte de R$ 60 milhões

Startup de seguros de celulares está avaliada em cerca de R$ 400 milhões.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

A fintech brasileira de seguros para telefones celulares afirma ter superado recentemente a marca de 1 milhão de clientes

Acessibilidade


A fintech brasileira de seguros para telefones celulares Pitzi anunciou hoje (11) que recebeu um aporte de R$ 60 milhões numa rodada liderada por QED Investors, WTI, Valiant Partners e Thrive Capital, o que avalia startup em cerca de R$ 400 milhões.

LEIA MAIS: Norte e Nordeste são os melhores lugares para fintechs

Fundada em 2012, a Pitzi afirma ter superado recentemente a marca de 1 milhão de clientes.

A Pitzi tem planos de expansão agressivos para ampliar a penetração dos programas de seguro de celular no Brasil, saindo dos atuais 4% para mais de 40% dos cerca de 200 milhões de aparelhos ativos no país.

A startup já havia levantado R$ 70 milhões em outras três rodadas, incluindo Thrive, Kaszek, Flybridge e DCM.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Bill Cilluffo, sócio na QED, que já investiu em fintechs conhecidas, como Nubank, Creditas, QuintoAndar, vai ser membro do conselho de administração da Pitzi. E o fundo WTI já apoiou Google, Facebook, e, mais recentemente, Oscar, uma das maiores insurtechs dos EUA.

“Hoje, só 4% dos smartphones são protegidos no país, comparado com até 90% em outras regiões. Queremos expandir o mercado, reduzir o gap e chegar a esse nível de penetração (40%) em um futuro próximo”, Daniel Hatkoff, fundador e presidente da Pitzi.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: