5 tendências de empreendedorismo para 2020 que ninguém pode ignorar

Getty Images
Fazer investimentos seguros, mas em maior quantidade, é uma das orientações

Resumo:

  • CEOs e empreendedores preveem o mercado do próximo ano com base nos destaques empresariais de 2019;
  • Tempo, tecnologia e preocupação com os colaboradores são algumas das tendências para 2020;
  • As eleições nos Estados Unidos são um fator com potencial para mudar o mercado econômico mundial.

Recentemente, participei do Ernst & Young’s Strategic Growth Forum U.S. Saí de lá com novas ideias para expandir minha empresa e jogar com segurança, o que será fundamental para o novo ano. Com a incertezas à frente, alguns pontos foram destaque no empreendedorismo.

As previsões de tendências nem sempre dão certo, mas estou convencido de que os participantes do evento sabiam do que estavam falando. Com o novo ano se aproximando, investir em áreas como cultura empresarial e tecnologia é uma opção que não prejudica o crescimento.

LEIA MAIS: 45 são os novos 25: maturidade faz bem ao empreendedorismo; entenda por quê

Veja, na galeria abaixo, as cinco tendências empreendedoras para 2020:

  • 1. Otimização x gerenciamento de riscos

    Com as tensões políticas norte-americanas em alta e uma possível recessão no radar mundial, não é surpresa que o conservadorismo econômico fique em voga. Lee Henderson, Líder dos Mercados de Crescimento da EY Americas, enfatizou a importância de investir com segurança, mesmo que aumentando as apostas. “As empresas precisam olhar para coisas como contratos, fornecedores, custos e operações comerciais, para que haja conforto em eficiência, mas ainda devem procurar áreas para crescer e inovar. Certamente haverá oportunidades, e você deve pronto para capitalizá-las quando chegar a hora”, defende Henderson.

    Segundo os dados da EY, os empreendedores estão mais otimistas sobre essas oportunidades do que outros líderes de negócios: 67% disseram estar concentrados em “buscar novas oportunidades de mercado”, em comparação com apenas 19% dos líderes em grandes empresas.

  • 2. Startups nichadas estão crescendo mais

    Uma das pessoas mais legais que conheci no evento deste ano foi Brad Keywell, CEO da Uptake, eleito o Empreendedor do Ano nesta edição. Keywell concorda comigo que as melhores oportunidades para os empreendedores nem sempre são encontradas em amplos serviços de negócios. “Grandes empresas como a Amazon são ótimas em agregar valor através da tecnologia ao público do mercado de massa. São os nichos em que eles não estão que oferecem uma oportunidade real aos empreendedores, que podem ser flexíveis e se mover rapidamente”, explicou.

  • 3. Empreendedores sem conhecimento tecnológico ganham com parcerias

    Muitas pessoas com grandes ideias não sabem programar. Todd Buelow, fundador da Dualboot Partners, destacou que mais empreendedores sem habilidade técnica confiam em outros para desenvolver as tecnologias necessárias para transformar seus sonhos em realidade.

    A razão para isso, segundo Todd, é que muitos especialistas em tecnologia também estão empreendendo. Eles podem ter as habilidades necessárias para criar o produto, mas geralmente precisam de ajuda do lado das vendas e do marketing – área que muitos outros profissionais dominam.

  • 4. Equipes estão usando a tecnologia para maximizar suas operações

    Uma das maneiras pelas quais as empresas estão jogando com segurança, como Henderson sugeriu que deveriam, é por meio da tecnologia. As ferramentas de economia de tempo possibilitam que os empreendedores alcancem mais, com menos recursos. Uma empresa no marco zero dessa tendência é a Teamwork, uma plataforma de gerenciamento de projetos com sede na Irlanda. O CEO, Peter Coppinger, que recebeu o prêmio EY de empreendedor da Irlanda, disse durante nossa conversa sobre como as melhorias de eficiência nos sistemas operacionais são uma ótima maneira de permanecer seguro enquanto buscamos crescimento.

  • 5. As empresas estão se tornando mais focadas em cultura

    Um tema que ouvi repetidas vezes – e concordo plenamente – é que são as pessoas que fazem um negócio prosperar. Muitos participantes do evento queriam aprender sobre a criação de equipes diversas, destacando o melhor de seus funcionários e criando o tipo de cultura de trabalho em que os melhores colaboradores desejam ficar. Especialmente com o desemprego em recordes de baixa, muitos empreendedores estão lutando para encontrar talentos. A solução, que eu e outros descobrimos, é investir no crescimento pessoal dos membros da equipe. Isso significa fornecer um ambiente de trabalho flexível, muita autonomia e remuneração baseada em desempenho, como participação nos lucros, para manter a motivação

1. Otimização x gerenciamento de riscos

Com as tensões políticas norte-americanas em alta e uma possível recessão no radar mundial, não é surpresa que o conservadorismo econômico fique em voga. Lee Henderson, Líder dos Mercados de Crescimento da EY Americas, enfatizou a importância de investir com segurança, mesmo que aumentando as apostas. “As empresas precisam olhar para coisas como contratos, fornecedores, custos e operações comerciais, para que haja conforto em eficiência, mas ainda devem procurar áreas para crescer e inovar. Certamente haverá oportunidades, e você deve pronto para capitalizá-las quando chegar a hora”, defende Henderson.

Segundo os dados da EY, os empreendedores estão mais otimistas sobre essas oportunidades do que outros líderes de negócios: 67% disseram estar concentrados em “buscar novas oportunidades de mercado”, em comparação com apenas 19% dos líderes em grandes empresas.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).