Aplicativo de aluguel de pranchas de surfe, The Quiver cria comunidade surfista

DEGREE 33 SURFBOARDS
O aplicativo da Quiver está transformando o mercado de aluguel de pranchas de surf pelo mundo

Resumo:

  • A The Quiver funciona como um Airbnb de pranchas, conectando surfistas viajantes com lojas e outros surfistas locais;
  • O aplicativo busca resolver o problema de levar pranchas de surfe em aviões, que pode causar danos aos objetos;
  • O cofundador da Quiver, Joe Wilson, é um surfista ávido que identificou a brecha e buscou uma solução;
  • Além da oportunidade de negócios, o aplicativo aproxima apaixonados pelo esporte e cria novas amizades.

Inúmeros empreendedores aplicaram o modelo de negócios do Airbnb em vários mercados verticais (onde são oferecidos produtos e serviços específicos), portanto, não é surpresa que os empreendedores de surfe criem um mercado ponto a ponto para alugar pranchas de surfe.

LEIA MAIS: Startup começa a substituir saúde pública com um aplicativo

Não sou um surfista particularmente bom, mas mais de uma vez estive em um destino bom para surfar, sem prancha. As companhias aéreas costumam danificar pranchas e elas são, francamente, um aborrecimento para transportar pelo aeroporto. Normalmente, surfo em uma prancha de stand-up, que é imensa e não é prática para levar em viagens. Assim, achei o modelo de negócios da Quiver particularmente interessante.

Para aqueles que não entendem jargões desse mundo, um “quiver” se refere ao arsenal de pranchas de surfe do esportista. A maioria dos surfistas ávidos tem várias delas, cada uma otimizada para aproveitar ao máximo as diversas condições.

Estendendo a economia de aluguel para o surfe

O que antes era chamado de “economia compartilhada” evoluiu para a “economia de aluguel”, na qual os mercados permitem que os consumidores aluguem seus bens quando não estiverem em uso. Por exemplo, o Pavemint permite que você alugue a garagem de alguém, enquanto o EVmatch permite que você carregue seu e-car no carregador da casa de alguém. Agora, os surfistas também podem transformar suas pranchas não utilizadas em dinheiro.

Entrei em contato com Joe Wilson, cofundador da The Quiver, para saber mais sobre sua abordagem para criar um mercado de pranchas ponto a ponto.

Forbes: Joe, presumo que você seja um surfista ávido. Qual é a história de origem da The Quiver? Você estava em algum lugar com ondas épicas e não tinha uma prancha?

Joe Wilson: Eu surfo desde criança e tive a oportunidade de viajar pelo mundo atrás de ondas com os amigos. Também experimentei chegar a um destino com uma sacola de pranchas quebradas, que custaram muito mais do que o preço do meu assento.

Meu parceiro Rob Bonvetti teve a ideia originalmente, quando estava procurando uma nova prancha e pesquisando opções online. Ele então começou a pensar em como seria bom experimentar uma prancha antes de realmente investir dinheiro na compra de uma.

Compartilhamos a percepção de que era preciso haver um mercado para alugar pranchas e aqui estamos: formamos a parceria e estou liderando o grande relançamento da The Quiver. O que antes era uma ideia e necessidade que sabíamos que existia, agora se transformou em um mercado no qual surfistas estão alugando pranchas sobressalentes em mais de 20 países.

Também não se trata apenas de alugar uma prancha enquanto viaja. Os surfistas estão usando a The Quiver para testar o equipamento antes de comprá-lo e experimentar pranchas exclusivas.

F: A The Quiver já existe há algum tempo. Como o seu modelo de negócios mudou e por que você está confiante de que a idéia decola desta vez?

JW: Na verdade, estamos com uma formatação jamais vista no mercado. Depois de alguns anos entendendo como os surfistas estavam usando a The Quiver, quais recursos eram mais importantes para eles e outros comentários de nossa comunidade, redesenhamos totalmente nossa página. Isso inclui tudo, desde novas marcas até a experiência do usuário e também novas e aprimoradas funcionalidades básicas que adicionamos. Eu não poderia estar mais orgulhoso do novo e aprimorado mercado da Quiver.

LEIA TAMBÉM: Startup que checa antecedentes de motoristas de aplicativo vale US$ 2,2 bi

F: Redes frente e verso são difíceis de conseguir. Quantas pranchas você tem disponível? Que tipo de aumento você viu com o lançamento do novo site?

JW: Não compartilhamos o número exato de reservas, mas a Quiver possibilitou a criação de uma comunidade global de compartilhamento de pranchas. Temos milhares de pranchas listadas, com uma comunidade ainda maior de usuários que estão pesquisando no mercado para planejar sua próxima locação.

Como outros mercados de economia compartilhada, também ouvimos histórias de amizades, começando com um aluguel da Quiver e pessoas se tornando companheiras de viagens de surfe e muito mais. É isso que realmente nos entusiasma e nos motiva a criar a melhor e mais confiável comunidade online para alugar pranchas Nossa missão geral é tornar os equipamentos mais acessíveis e aproximar as pessoas.

F: Os mercados frente e verso mais bem-sucedidos são implementados regionalmente, para garantir que cada mercado local tenha uma massa crítica de “compradores e vendedores”. A Uber e Airbnb adotaram essa abordagem incremental. Como você lida, ou lidou, com essa questão de garantir que haja pranchas suficientes em um mercado específico para satisfazer as demandas dos locatários?

JW: Nossa filosofia de implementação foi “pensar grande”. A mentalidade sempre foi causar um impacto global e projetamos a plataforma de acordo.

Recentemente, tivemos novas listagens em Barcelona, ​​Portugal, Japão e Ilhas Mentawai, para citar algumas. A Quiver também serve como um concierge. Por exemplo, se um surfista estiver indo para um local onde não temos uma prancha disponível, entraremos em contato com nossas conexões e encontraremos uma prancha.

F: Nunca ouvi falar em Ilhas Mentawai, mas soa como um lugar que eu deveria visitar. Suponho que as lojas veriam a The Quiver como uma maneira de atrair tráfego de pedestres e gerar alguma receita incremental em seu inventário reformado. Qual é a mistura de pessoas que enviam pranchas para aluguel entre indivíduos e lojas de surfe?

JW: Você está absolutamente certo. Temos recebido um grande interesse de lojas e modeladores (de pranchas de surfe) desde o relançamento, eles desejam se envolver. Estamos nos preparando para anunciar nosso programa de parceiros, que inclui testes de pranchas e outras maneiras de se conectar à nossa comunidade. Nosso programa de parceiros incluirá alguns dos nomes mais confiáveis ​​do setor.

F: O que vem a seguir para a The Quiver? Você planeja expandir para o aluguel de equipamentos relacionados?

E TAMBÉM: Aplicativo russo de mobilidade urbana InDriver estreia em SP

JW: Temos alguns anúncios grandes que ainda não posso compartilhar. Direi que em breve você verá parcerias maiores com marcas de pranchas, demonstrações e até novas categorias e tipos de anúncios na The Quiver, alinhados à nossa missão.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).