Como ir do family business para o business family

GettyImages/Westend61
GettyImages/Westend61

Uma empresa que atravessa gerações deve ser administrada com cuidado para não interferir em assuntos familiares

A última coisa que passa pela cabeça dos jovens donos de family business é o que fazer quando eles terminarem de administrar seus negócios. Na maioria dos casos, o pensamento de que isso pode ser uma realidade nunca existirá até que se preparem para a aposentadoria. Nesse momento, muitos imaginam entregar o império que construíram para a próxima geração como parte do legado de sua família.

Embora esse seja geralmente o plano geral, há momentos em que a vida e os negócios não prosseguem de acordo com o esperado. Uma família pode enfrentar certas situações que a leve a vender seus negócios ou outros investimentos podem crescer mais substancialmente do que a própria empresa, exigindo uma mudança de estratégia e uma transição fundamental de family business para business family.

Fatores que desencadeiam essa transição

Quando uma família constrói um family business bem-sucedido, pode considerar vendê-lo em algum momento. A razão para isso geralmente está relacionada com três aspectos:

  1. O desenvolvimento de dinâmicas familiares destrutivas;
  2. Incapacidade de apoiar um negócio viável sob a propriedade atual;
  3. Perda de paixão pelo negócio.

Como os family businesses dependem dos integrantes que os administram para sobreviver, essas partes exercem uma influência única sobre a organização. Quando surgem conflitos e divergências intensos entre os membros, isso afeta não apenas o lado pessoal, mas também o profissional, passando para as operações comerciais diárias, que acabam comprometidas. Se a situação permanecer sem solução, mesmo com a ajuda de consultores profissionais e da dinâmica familiar, a única opção pode ser vender.

LEIA MAIS: 5 lições de “Succession” para empresas familiares

Mesmo quando os proprietários de family businesses se dão bem, a preservação da organização sob sua liderança pode se tornar problemática. A incapacidade de dar suporte aos negócios pode se originar de várias fontes, desde a mudança dos ambientes de negócios até os requisitos de capital, passando por preocupações sobre a capacidade ou o desejo da próxima geração de sustentar os negócios.

Nas empresas que exigem toda a atenção e entusiasmo do proprietário para sobreviver e prosperar, os donos precisam manter sua motivação e paixão. Se isso diminuir, a venda do negócio pode ser considerada ou o proprietário pode optar por manter o negócio e empregar gerenciamento não familiar.

Em outros casos, indivíduos experientes em investimentos podem descobrir que os recursos provenientes dos negócios primários em outras áreas crescem mais rapidamente do que a própria empresa. Isso representa uma situação única, em que decisões estratégicas devem ser tomadas com relação ao caminho mais eficaz e lucrativo para a família.

Decisões, decisões e decisões

Se uma família experimenta um evento de liquidez ou se encontra em uma situação em que seu capital de investimento cresceu mais significativamente do que sua operação principal, ela geralmente é lançada em um território pouco familiar. A família normalmente fica com uma riqueza líquida substancial e uma infinidade de decisões que precisam ser tomadas.

Nesse momento, independentemente dos negócios principais, a família precisa determinar como preservar e aumentar sua riqueza, reter sua influência social, continuar a beneficiar todos os membros e promover uma identidade compartilhada. Sem um plano claro e estrategicamente implementado para preservar sua riqueza e legado, a família enfrenta uma progressiva dispersão e dissipação de seus ativos, juntamente com a perda da unidade, identidade e influência. Para muitos, a criação de um family office é a resposta.

Nessas organizações, as business families podem realizar uma infinidade de atividades, enquanto lidam com tudo que diz respeito à sua riqueza. O capital pode então ser usado para buscar novas paixões nas quais investir ou coinvestir. De acordo com John Veale, vice-chefe de investimentos da Stonehage Fleming Investment Management, às vezes o interesse pelo investimento é impulsionado pela visão do investidor de uma área ou setor específico. Os coinvestimentos permitem que essas pessoas sintam prazer ao investir em uma empresa ou negócio, e não em um fundo pelo qual não têm nenhuma relação pessoal.

LEIA TAMBÉM: Por que famílias devem administrar seus patrimônios como se fossem negócios

Os family offices também ajudam as famílias a manterem as vantagens inerentes e a alavancá-las em investimentos

As business families também podem se concentrar em incentivos mais brandos, como objetivo e sustentabilidade, o que também ajuda a envolver os membros da família da próxima geração. Mehta observa que houve uma correlação entre os investimentos feitos em projetos de tecnologia limpa e sustentabilidade e investimentos dos family offices.

Os desafios e as vantagens de ser um business family

Embora o fato de ser um business family tenha diferenças significativas na administração de um family business, muitos dos mesmos princípios fundamentais para o sucesso se aplicam. Isso inclui um objetivo claro, visão e missão, comunicação aberta e transparente, uma estrutura organizacional claramente definida e considerações sobre tudo, desde finanças até recursos humanos.

Em alguns family businesses, a natureza da empresa pode exigir que os membros se concentrem em uma área específica de negócios ou indústria, e a identidade da família é frequentemente forjada nessa arena. Quando a família sai do negócio principal, a evolução de sua identidade deve continuar e ser encontrada de novas maneiras. Isso pode ser assustador e desafiador. Ainda assim, como a construção de uma marca forte é vital para os negócios, o desenvolvimento de uma identidade familiar compartilhada é essencial para o sucesso e a continuidade do business family.

Muitas vezes, isso pode ser encontrado na busca de novas oportunidades, e as business families têm uma vantagem única em fazer isso devido à sua natureza frequentemente ágil e à capacidade de obter visões de longo prazo. Isso significa que elas podem não apenas buscar oportunidades lucrativas em várias áreas de interesse pessoal, mas também acordos em caminhos que as ajudem a permanecer relevantes e envolver as gerações futuras nos negócios.

E TAMBÉM: Como mãe e filho criaram uma empresa familiar de US$ 850 milhões


A transição de uma family business para uma business family nem sempre é antecipada por muitos empresários ou proprietários. Ainda assim, merece ser consideradad. Ambos os cenários apresentam seus desafios e oportunidades únicos. No entanto, a transição para se tornar um business family, quando planejada e gerenciada com eficiência, pode não apenas ajudar a manter uma família conectada e trabalhar em direção a um objetivo comum, mas também ser ágil e resistente o suficiente para construir um legado por gerações.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).