Dólar supera R$ 4,25 em meio a aversão a risco global por coronavírus

Em todo o mundo, investidores temem consequências do surto no crescimento da China.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Dólar abriu acima de R$ 4,25 pela primeira vez em quase dois meses

Acessibilidade


O dólar tinha alta acentuada contra o real hoje (30), sendo negociado acima de R$ 4,25 pela primeira vez em quase dois meses, em dia marcado pela cautela global em relação ao surto de coronavírus na China e seu possível impacto econômico.

O número de mortes causadas pela epidemia chinesa já chegou a 170, com mais de 7.000 casos confirmados no país, o que levou autoridades a restringirem viagens e empresas a suspender parte de suas atividades.

LEIA MAIS: Dólar sobe com noticiário sobre Fed e coronavírus

Em todo o mundo, investidores temiam as consequências do surto de coronavírus para o crescimento da segunda maior economia do mundo, o que impulsionava o dólar contra boa parte das divisas arriscadas, como peso mexicano, lira turca, dólar australiano e iene chinês. “Hoje se destaca o fator externo; há um clima pessimista lá fora, pesando de forma incerta com preocupações sobre a China”, disse Silvio Campos Neto, economista da Tendências Consultoria.

No cenário doméstico, os investidores estavam atentos à participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, em painel em São Paulo, em que falou sobre as baixas taxas de juros no Brasil e sobre a proposta da reforma administrativa do governo Bolsonaro. Além disso, o Banco Central anunciou que realizará leilão de swap tradicional na segunda-feira para rolagem do vencimento de 1º de abril.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Às 10H12, o dólar avançava 0,76%, a R$ 4,2510 na venda. Na máxima do dia, a divisa norte-americana tocou R$ 4,2520, maior patamar desde 28 de dezembro. Neste pregão, o contrato mais líquido de dólar futuro operava em alta de 0,30%, a 4,2435 reais.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: