Mark Zuckerberg perde US$ 5 bi depois de resultado do Facebook

ReproduçãoForbes
Um lucro decepcionante no quarto trimestre fez as ações do Facebook derraparem, reduzindo mais de US$ 5 bilhões do patrimônio líquido do cofundador e CEO do Facebook, Mark Zuckberg

As ações do Facebook caíram mais de 6% nas negociações após o horário comercial, depois que a empresa divulgou ganhos no quarto trimestre que superaram as expectativas de receita dos analistas, mas mostraram um aumento acentuado nas despesas no ano.

A empresa informou que a receita aumentou 25%, para US$ 21,1 bilhões, superando as previsões da Refinitiv de US$ 20,9 bilhões. O lucro líquido aumentou 7%, para US$ 7,3 bilhões, ou US$ 2,56 por ação, superando as previsões de US$ 2,53.

VEJA MAIS: “Ninguém merece tanto dinheiro”, diz Mark Zuckerberg sobre bilionários

Porém, as despesas aumentaram 34% em relação ao mesmo período do ano anterior, para US$ 12 bilhões, quando o número de funcionários subiu para quase 45 mil. Os números fizeram com que as ações derrapassem, tirando mais de US$ 5 bilhões do patrimônio líquido do cofundador e CEO do Facebook, Mark Zuckberg, que, segundo a Forbes, vale agora US$ 77 bilhões.

O Facebook relatou bons resultados ​​entre seus usuários ativos diários e introduziu uma nova métrica, a DAP (Family Daily Active People), que inclui o número de usuários em toda a sua família de produtos, incluindo Facebook, Instagram, Messenger e WhatsApp, que acessaram pelo menos uma vez por dia. Os usuários ativos mensais subiram para 2,5 bilhões.

A empresa continua relatando números trimestrais positivos, apesar de estar envolvida em várias controvérsias legais, que incluem o escrutínio sobre sua proposta de criptomoeda libra baseada em blockchain e o acordo de US$ 5 bilhões da FTC. As ações subiram 6,4% nos últimos 365 dias.

Zuckerberg reconheceu que espera que 2020 seja “um ano intenso com as eleições”, mas acredita que os sistemas de integridade eleitoral do Facebook “estão agora mais avançados do que qualquer outra empresa”.

A receita de publicidade continua sendo um forte componente dos negócios do Facebook, arrecadando US$ 20,7 bilhões no trimestre e ainda representando a maioria da receita total. Outras receitas cresceram para US$ 346 milhões, representando um aumento de 26% em relação ao mesmo período do ano anterior.

“A história do Facebook foi a mesma no quarto trimestre, como tem sido em muitos dos trimestres anteriores. Apesar de todas as preocupações que circulavam pela empresa nos últimos dois anos, ela superou as expectativas de receita e demonstrou um crescimento contínuo em sua base de usuários ”, disse Debra Aho Williamson, analista principal do eMarketer. “[Nós] esperamos que esse momento continue em 2020.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).