Nintendo tem melhor lucro trimestral em dez anos

Empresa japonesa elevou previsão de vendas do Switch.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:

Empresa japonesa elevou previsão de vendas do Switch

Acessibilidade


A Nintendo elevou hoje (30) a previsão de vendas para seu console Switch, após ter registrado o maior lucro trimestral em 10 anos devido à forte demanda pelo dispositivo na temporada de compras de fim de ano.

A estimativa atual é de 19,5 milhões de unidades vendidas no ano fiscal que termina em 31 de março, ante 18 milhões de unidades anteriormente. A empresa também aumentou sua previsão de lucro operacional em 15%, para 300 bilhões de ienes.

LEIA MAIS: Nintendo dobra lucro trimestral com ajuda do Switch Lite

O lucro operacional do último trimestre de 2019 aumentou 6%, para 168,7 bilhões de ienes (US$ 1,54 bilhão), contra 158,6 bilhões de ienes no ano anterior. O lucro trimestral foi o mais alto desde o último trimestre de 2009, mas ainda ficou abaixo da previsão média de 175 bilhões de ienes, de acordo com 10 estimativas de analistas compiladas pela Refinitiv.

A empresa de jogos com sede em Kyoto vendeu 12,6 milhões de unidades de seu console Switch nos nove meses até dezembro e 5,2 milhões de unidades do Switch Lite, que foi lançado em setembro. O lançamento do dispositivo portátil Switch Lite, de preço mais baixo, e dois novos jogos da série Pokémon –os games com vendas mais rápidas do console– deram impulso ao dispositivo pelo terceiro ano, à medida que os consoles das rivais Sony e Microsoft se aproximam do final de seus respectivos ciclos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A expansão da empresa inclui o lançamento do Switch na China em dezembro, em parceria com a Tencent, enquanto tenta fechar o mercado paralelo para seus produtos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: