Petróleo Brent toca US$ 70 o barril em meio a troca de ameaças entre Trump e Irã

Ataque aéreo dos EUA aumentou as preocupações sobre uma escalada nos conflitos no Oriente Médio

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

O petróleo Brent subia US$ 1,09, ou 1,59%, a US$ 69,69 por barril, às 8:47

Acessibilidade


Os contratos futuros do petróleo subiam mais de 1% hoje (6), com o Brent chegando a tocar US$ 70 o barril, em meio a uma escalada retórica entre Estados Unidos, Irã e Iraque que agravava tensões no Oriente Médio após um ataque aéreo dos EUA que matou um importante general iraniano.

O petróleo Brent subia US$ 1,09, ou 1,59%, a US$ 69,69 por barril, às 8:47 (horário de Brasília).

LEIA MAIS: Petróleo sobe mais de 4% após ataque dos EUA matar chefe de força de elite do Irã

Mais cedo, o Brent chegou a tocar uma máxima de US$ 70,74 o barril. O petróleo dos Estados Unidos avançava US$ 0,81, ou 1,28%, a US$ 63,86 por barril.

Os ganhos somaram-se à alta de mais de 3% na sexta-feira (3), depois que um ataque aéreo dos EUA no Iraque matou o general iraniano Qassem Soleimani, aumentando as preocupações sobre uma escalada nos conflitos no Oriente Médio e o possível impacto das tensões sobre o fornecimento de petróleo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A região é responsável por quase metade da produção mundial de petróleo, enquanto um quinto dos embarques mundiais da commodity passa pelo Estreito de Ormuz.

No domingo (5), o presidente dos EUA, Donald Trump, ameaçou impor sanções ao Iraque, o segundo maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), caso as tropas dos EUA sejam forçadas a se retirar do país.

O governo do Iraque pediu anteriormente aos EUA e outras tropas estrangeiras que deixassem o país.

Trump também disse que os Estados Unidos vão retaliar o Irã caso Teerã contra-ataque em resposta à morte de Soleimani.

VEJA TAMBÉM: Preços do petróleo cravam maior alta anual desde 2016

“A situação traz muita incerteza e exige uma leitura geopolítica das reações. Embora o fechamento do Estreito de Ormuz siga um evento bastante improvável, a deterioração (da situação) no Iraque representa riscos à oferta”, disse o chefe da área econômica do banco suíço Julius Baer, Norbert Rucker.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: