Tesla fecha temporariamente fábrica que acabou de abrir na China por conta de coronavírus

Xangai
Xangai

Trabalhadores constroem um Modelo 3 na fábrica de Tesla em Xangai

O trabalho na fábrica de automóveis de Tesla, em Xangai, que acabou de começar neste mês, recebeu ordem para parar temporariamente, enquanto a China tenta conter o surto de coronavírus no país.

A montadora de carros elétricos do Vale do Silício, liderada por Elon Musk, disse em uma teleconferência ontem (29) que a produção de sedãs Modelo 3 parou devido a exigências do governo. A pausa deve ser inferior a duas semanas, de acordo com o CFO Zach Kirkhorn.

VEJA MAIS: Ibovespa opera sob estresse do coronavírus

A empresa está “nos estágios iniciais da compreensão se e até que ponto podemos ser afetados temporariamente pelo coronavírus”, disse Kirkhorn a analistas e investidores. A Tesla teve um lucro de US$ 105 milhões no quarto trimestre, com resultados ligeiramente acima das expectativas do consenso.

“Esperamos um atraso de uma a uma semana e meia no fluxo do Modelo 3, construído em Xangai, devido a uma paralisação das fábricas pelo governo. Isso pode impactar levemente a lucratividade do (primeiro) trimestre, mas é limitado, pois a contribuição para o lucro do Modelo 3 (de) Xangai permanece nos estágios iniciais”, disse ele.

A Tesla ignorou vários pedidos da Forbes de informações sobre o status da fábrica de Xangai no início da semana.

Como o maior mercado mundial de automóveis e veículos elétricos, a China é alvo da Tesla desde que começou a fabricar os sedãs Modelo S em 2012. Musk, encantado, voou para Xangai para uma cerimônia em 7 de janeiro, marcando o início das entregas de veículos fabricados localmente para os consumidores chineses. Ele chegou a tirar a jaqueta e dançar brevemente no palco para o público. A empresa disse, na divulgação dos resultados do quarto trimestre, que, tirando a breve pausa, os planos para acelerar a produção da China, estão indo “conforme o esperado”.

Até agora, mais de 6.100 pessoas ficaram doentes e há mais de 130 mortes relacionadas ao coronavírus. O surto está centralizado em Wuhan, na província de Hubei, uma região que é uma grande fornecedora de veículos e autopeças.

“No curto prazo, fabricantes de veículos estrangeiros, especialmente aqueles com joint ventures na área de Wuhan, vão considerar retirar suas equipes estrangeiras das operações na China”, disse David Leggett, editor automotivo do serviço de análise GlobalData. “Têm grandes operações em Hubei PSA, Renault, Nissan e Honda. Os dias seguintes ao feriado prolongado do ano lunar chinês (com retorno ao trabalho na próxima semana) serão fundamentais para avaliar o impacto nas operações de fabricação e nos níveis de trabalhadores ausentes.”

“Haverá impacto potencial na cadeia de suprimento automotivo se as empresas de peças não puderem atender aos pedidos”, completou Leggett.

Kirkhorn não comentou se a Tesla está restringindo viagens de funcionários para e da China ou repatriando-os temporariamente. Por enquanto, a empresa não espera um impacto financeiro significativo do surto e monitora se pode haver interrupções no fornecimento de peças em sua fábrica em Fremont, Califórnia. “Não temos conhecimento de nada concreto, mas é importante ressaltar que é uma história em desenvolvimento”, disse ele em declarações preparadas. “Temos dinheiro mais do que suficiente para continuar nossos planos de expansão e fortalecer ainda mais os resultados”, disse.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).