Amazon compra briga com Trump depois de perder contrato de US$ 10 bilhões

Reuters
Além de solicitar depoimentos do presidente Donald Trump, a Amazon está pedindo descoberta judicial para o governo entregar documentos e e-mails relacionados ao contrato

A Amazon subiu o tom da oposição à Microsoft, que ganhou um lucrativo contrato com o governo norte-americano, ao solicitar depoimentos do presidente, Donald Trump, e do Secretário de Defesa, Mark Esper, segundo documentos judiciais.

Em um processo no Tribunal de Ações Federais dos Estados Unidos, a Amazon Web Services pediu a um juiz que permitisse declarações de Trump, Esper, doex-secretário de Defesa Jim Mattis e da chefe de informações do Departamento de Defesa, Dana Deasy.

VEJA MAIS: Amazon culpa Trump por perder para Microsoft contrato de US$ 10 bi do Pentágono

A Amazon também está pedindo descoberta judicial, o que significa que a empresa deseja que o governo entregue documentos e e-mails relacionados ao contrato.

A AWS, divisão de computação em nuvem da gigante do comércio eletrônico, perdeu sua proposta de fornecer aos militares infraestrutura de nuvem para a Microsoft em outubro.

A Amazon alega que perdeu o contrato de US$ 10 bilhões porque Trump é pessoalmente contra o CEO, Jeff Bezos. O executivo é dono do jornal “Washington Post”, que, segundo Trump, faz uma cobertura injusta e negativa sobre ele.

O documento cita os tuítes de Trump que atacam Bezos, inclusive um chamando-o de “Jeff Bozo”, e uma passagem de um livro de outubro de 2019 do redator de discursos Mattis, a qual revela uma fala do presidente sobre “arruinar a Amazon” no contrato, como evidência de sua intenção e hostilidade em relação à organização.

O drama em torno do contrato começou antes mesmo das reclamações da Amazon. IBM e Oracle entraram com uma queixa, alegando que o Pentágono era tendencioso em relação à Amazon (ambas as alegações foram eventualmente rejeitadas). Respondendo a essas reclamações, Trump disse que “analisaria” o processo de licitação, de modo a alimentar temores dos legisladores de que o contrato poderia ser adiado.

“O presidente Trump demonstrou repetidamente disposição em usar sua posição para interferir nas funções do governo, incluindo compras federais, para promover seus interesses pessoais”, disse um porta-voz da AWS.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).