Bilionários russos prometem US$ 100 milhões à educação no primeiro Prêmio Rybakov

GettyImages/ Sergei Rasulov
GettyImages/ Sergei Rasulov

O casal bilionário Igor e Ekaterina Rybakov anunciaram os ganhadores do prêmio e falaram da importância da educação

No último domingo (2), o bilionário Igor Rybakov e sua esposa, Ekaterina, anunciaram em Moscou os vencedores do primeiro Prêmio Rybakov, totalizando US$ 1,2 milhão para três formadores de opinião no campo da educação e uma promessa pessoal de US$ 100 milhões nos próximos 10 anos.

O comprometimento de nove dígitos é significativo, comparável a bolsas de colegas bilionários como Eli e Edythe L. Broad que, por meio de sua fundação, em 2019 prometeram US$ 100 milhões para a Escola de Administração da Universidade de Yale, e Stephen A. Schwarzman, que doou o mesmo valor para a Universidade Tsinghua, na China, em 2013.

LEIA MAIS: Ibovespa sobe com Fed sem surpresas e educação em destaque

“Tentamos descobrir qual era a melhor ideia e o que podíamos fazer pela prosperidade no Além de mais centros Luminary, os fundos da Fundação apoiarão a expansão dos empreendedores que ficaram em segundo e terceiro lugar no concurso Rybakov Prize, cada um ganhando US $ 100.000.mundo”, disse Igor em dezembro. “E a educação realmente era a melhor solução. Por isso, decidimos ser filantropos na educação.”

O casal, que tem quatro filhos e estabeleceu sua fundação de mesmo nome em 2015, entregou o Prêmio Rybakov ao investidor europeu em fintech Abdul Abdulkerimov, durante uma cerimônia realizada na histórica mansão Pashkov House, em Moscou. O prêmio de US$ 1 milhão apoiará o Luminary Center, de Abdulkerimov, que fica em uma vila montanhosa na região russa do Daguestão, que oferece ensino modular, interdisciplinar e sem mensalidades. A maior parte do dinheiro será destinada à criação de uma doação para o centro, enquanto US$ 100 mil poderão ser usados ​​a seu critério. Ele declarou planos de abrir 50 centros Luminary em cinco anos.

Mudanças de impacto podem ter sucesso mesmo a essa taxa de crescimento. “Apenas cinco anos atrás, eu estava muito mais ansioso com o futuro do que agora”, disse Ekaterina, presidente da Fundação Rybakov. “Queremos incentivar as pessoas a serem envolvidas e responsáveis ​​pelo mundo em que viveremos. Para o nosso futuro comum. E nosso futuro, agora, está na carteira da escola.”

Além de mais centros Luminary, os fundos da Fundação apoiarão a expansão dos empreendedores que ficaram em segundo e terceiro lugar no concurso, cada um ganhando US$ 100 mil.

De Perm, na Rússia, Olga Zubkova estabeleceu ambientes de aprendizado inclusivo em 24 países como presidente da Associação Nacional Tetradka Druzhby para o Desenvolvimento da Educação. O impulso do Rybakov ajudará a associação a chegar a mais comunidades, permitindo que as escolas se tornem centros de iniciativas socialmente relevantes para adolescentes com diferentes habilidades e necessidades.

LEIA TAMBÉM: Quero Educação compra operação brasileira de norte-americana QuinStreet

Dos EUA, Boris Bulayev é cofundador da Educate! com foco em estudantes do ensino médio na África. A organização, em cooperação com os governos de Quênia, Uganda e Ruanda, alcançou mais de 470 mil jovens aspirantes a iniciar seus próprios negócios ou encontrar empregos avançados imediatamente após a formatura. Com o apoio do Rybakov, Bulayev pretende atingir um terço de todas as escolas secundárias de Uganda (totalizando 1.000) neste ano. Ele ganhou reconhecimento em 2014 como dos eleitos na lista Forbes 30 Under 30 na categoria empreendedores sociais.

O Prêmio Rybakov avaliou 460 inscrições de indivíduos que apresentaram suas soluções educacionais inovadoras e representam mais de 40 países. Desses candidatos, quatro apresentaram suas ideias durante a cúpula Under 30 da Forbes Europa, realizada em Berlim em dezembro, onde dois foram escolhidos para avançar para a rodada final de 16. Um comitê de nove jurados, incluindo o diretor de conteúdo da Forbes, Randall Lane, votou para premiar Abdulkerimov, Zubkova e Bulayev.

“A qualidade dos projetos selecionados foi excelente em termos de inovação, escalabilidade e replicabilidade”, disse Safeena Husain, presidente do comitê do júri, fundadora e CEO da Educate Girls, que atende alunas da zona rural da Índia. “Estou impressionada e inspirada pelo fato de que cada um dos indicados à lista têm o potencial de melhorar o ambiente educacional global.”

Husain referenciou o alinhamento do prêmio com o quarto objetivo de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas: educação de qualidade. “Precisamos de várias iniciativas como essas para dar impulso a projetos sociais inovadores”, disse ela.

E TAMBÉM: Ânima Educação anuncia oferta de ações de até R$ 1,01 bi

Continuar concedendo um prêmio anual de US$ 1,2 milhão é apenas um elemento da visão filantrópica de Ekaterina e Igor para defender pessoas que investem no setor educacional. Como Ekaterina afirmou, a dupla quer ajudar “o maior número possível de lugares onde as crianças possam crescer sem medo e agressões e aprender sem coerção”. A Forbes, que é media partner da premiação, estima o patrimônio líquido pessoal de Igor seja de US$ 1,4 bilhão, construído ao longo de 22 anos no leme da fabricante de materiais industriais Technonicol, empresa da qual ainda possui 50%.

Ekaterina espera que o prêmio seja considerado um Nobel da Educação nos próximos anos. Ela disse: “Deixei de ser apenas um consumidor e me tornei um parceiro no ambiente educacional. E todos os participantes do Prêmio Rybakov também são parceiros e criadores do ambiente educacional”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).