Crise do coronavírus pode atrasar pagamento de US$ 55 bilhões a Elon Musk

GettyImages/ Win McNamee / Equipe
Elon Musk e a Tesla estão sofrendo com a crise do coronavírus e a retração dos mercados de capitais

A alta nas ações da Tesla que ganhou força até fevereiro elevou as expectativas de que o CEO Elon Musk logo atingisse a primeira parcela de um pacote de remuneração de pelo menos US$ 55 bilhões em uma década por atingir metas de desempenho definidas pelo conselho da empresa. Ele pode se qualificar para um pagamento de US$ 435 milhões no início de abril, embora o momento seja cada vez mais nublado, pois as ações da Tesla despencam em meio a preocupações com o coronavírus.

O pacote de remuneração de longo prazo de Musk, aprovado em março de 2018, estabeleceu uma série de limites de mercado específicos, receita e metas de lucro ajustado a serem atingidas ao longo de uma década. Para receber o pagamento máximo, o valor de mercado da Tesla deve atingir US$ 650 bilhões, mais de seis vezes o atual. A receita anual dos veículos elétricos, baterias e painéis solares da Tesla deve ser de US$ 175 bilhões, com ganhos ajustados de US$ 14 bilhões. Se ele não alcançar as metas, não recebe nada. A Forbes estima que o patrimônio líquido de Musk seja de US$ 33,3 bilhões.

LEIA MAIS: CPFL Energia prevê investimentos de R$ 13,5 bilhões até 2024

Os pagamentos a Musk vêm na forma de uma dúzia de prêmios individuais de cerca de 1,69 milhão de ações da Tesla, supondo que ele tenha atingido uma das 12 metas de valor de mercado, junto com metas de receita ou lucro ajustado. Ele está a caminho de fazer isso, pois a receita da Tesla de US$ 24,6 bilhões em 2019 e os ganhos anuais antes de impostos ajustados de pelo menos US$ 1,5 bilhão representam “dois marcos operacionais”, disse a empresa em seu relatório anual de 13 de fevereiro. Até aquele momento, “nenhum marco de capitalização de mercado foi alcançado.”

Mas o aumento da Tesla que elevou seu valor de mercado para US$ 100 bilhões pela primeira vez em 22 de janeiro continuou por mais de 30 dias. Prever que esse nível se manterá por 30 dias e seis meses parece mais difícil. Atualmente, a avaliação final de seis meses da Tesla é de US$ 79,2 bilhões, de 9 de setembro a 9 de março.

Os mercados dos EUA foram particularmente afetados ontem, com o Dow Jones Industrial Average caindo 7,8%, o S&P 500 com queda de 7,6% e o Nasdaq Composite caindo 7,3%. A Tesla se recuperou um pouco na última terça-feira, subindo 7%, para US$ 650,56, no início das negociações da Nasdaq.

Desde o fechamento em recorde de US$ 917,42 em 19 de fevereiro, que aumentou o valor de mercado da Tesla para US$ 168,8 bilhões, as ações caíram 34%, para US$ 608 em 9 de março, cortando sua avaliação para US$ 108,9 bilhões. Se o nível atual se mantiver por mais seis semanas, Musk poderá ver seu primeiro pagamento até o final de abril. As 1,69 milhão de ações no primeiro prêmio têm um preço de exercício de US$ 350,02 cada, portanto, se os papéis ainda estivessem no nível de US$ 608, o valor líquido do prêmio para ele seria de cerca de US$ 435 milhões.

Uma revisão do pacote de Musk pelo “The New York Times” em janeiro de 2018 o chamou de “o plano de pagamento mais ousado da história corporativa”. Musk disse ao jornal: “Na verdade, vejo o potencial de a Tesla se tornar uma empresa de trilhões de dólares em um período de dez anos”.

LEIA TAMBÉM: Samsung Display pede isenção de quarentena para 700 engenheiros no Vietnã

Em fevereiro, quando as ações estavam subindo, uma estimativa calculou que a meta de capitalização de mercado de seis meses poderia chegar em 17 de abril, supondo que as ações não caíssem abaixo do preço de fechamento de 11 de fevereiro, de US$ 774,38. Atualmente, a melhor das hipóteses é que os papéis permaneçam iguais ou acima do preço atual de US$ 608 cada um. A Forbes estima que a média de seis meses ainda poderá ser atingida em 22 de abril. Mas, com a turbulência contínua do mercado com empresas e investidores tentando entender o alcance dos danos econômicos causados ​​pelo surto de Covid-19, as chances de que isso aconteça estão ficando mais remotas.

Musk não comentou diretamente sobre seu pacote de pagamento ou a queda recente das ações, embora tenha criticado o “pânico” do coronavírus no final da semana passada, dizendo a seus 32 milhões de seguidores no Twitter em 6 de março que “o pânico do coronavírus é estúpido”.

Musk foi repreendido pelo ex-negociador de opções e analista de risco Nassim Nicholas Taleb, mais conhecido por seu livro “The Black Swan: The Impact of the Highly Improbable” (“A Lógica do Cisne Negro: O Impacto do Altamente Improvável”, em português), que disse a Musk no Twitter: “É estúpido dizer que o pânico do coronavírus é estúpido”.

E TAMBÉM: Saudi Aramco anuncia parceria de longo prazo com a Fórmula 1

Além de sua potencial decepção com o atraso no pagamento das ações, Musk (muitas vezes privado de uma boa noite de sono) pode ter ainda mais coisas em mente esses dias do que os desafios normais de administrar a Tesla e SpaceX. Sua parceira romântica, a cantora canadense Grimes, disse à “Rolling Stone” em uma entrevista neste mês que está grávida do sexto filho de Musk.

Independentemente disso, ele estava mais otimista com a turbulência da bolsa de valores ontem, quando tuitou: “O mercado estava um pouco alto mesmo, precisava ser corrigido”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).