Dono da DiaSorin, Gustavo Denegri lucra US$ 100 milhões com novo teste para coronavírus

GettyImages/ Javier Zayas Photography
Novo teste desenvolvido pela DiaSorin promete facilitar e agilizar o diagnóstico do Coronavírus

Enquanto a Itália continua lutando para conter a disseminação do coronavírus, um bilionário nacional está entrando em evidência. A DiaSorin, uma empresa de biotecnologia controlada pelo empresário Gustavo Denegri, anunciou ontem (10) que concluiu estudos médicos para um novo kit de teste rápido para o Covid-19. As ações da empresa subiram 18%, para US$ 135 por papel após o anúncio, chegando a fechar cerca de 3% mais altas do que na segunda-feira (9). Denegri, dono de 45% da empresa do norte da Itália, viu um aumento de quase US$ 100 milhões em sua fortuna de US$ 3,2 bilhões.

A DiaSorin diz que o teste, desenvolvido em hospitais de Roma e na cidade italiana de Pavia, reduzirá o tempo do resultado de cinco a sete horas para apenas uma hora, permitindo exames muito mais rápidos de pacientes com suspeita de coronavírus. Em um comunicado de imprensa, a empresa afirmou que estaria pronta para uso “até o final de março de 2020”, após receber a aprovação dos reguladores europeus e da Food and Drug Administration, a administração de alimentos e substâncias dos EUA.

LEIA MAIS: Pensando em comprar um novo celular? Veja como o coronavírus está afetando Apple, Samsung e outros fabricantes

“O surto de coronavírus provocou preocupação global e criou intensa pressão nos sistemas de saúde para fornecer testes de laboratório que detectam a nova cepa de vírus”, disse o presidente da DiaSorin, John Gerace, em comunicado. “É importante ter um teste de coronavírus que forneça resultados precisos em tempo hábil e permita que os médicos tomem decisões de diagnóstico apropriadas”.

O anúncio ocorre pouco depois de as autoridades italianas colocarem o país inteiro em isolamento. A medida marcou uma escalada significativa nos esforços do governo para combater um vírus que infectou 9.172 pessoas e resultou em 463 mortes no país, o maior número de vítimas fora da China, onde o surto começou no final do ano passado. Globalmente, são quase 110.000 casos de Covid-19 em todo o mundo, com mais de 3.800 mortes.

Fundada em Saluggia, Itália, em 1968, a DiaSorin faz testes de diagnóstico para várias doenças infecciosas, incluindo a gripe suína H1N1 e o vírus zika. Em 2000, Denegri adquiriu o negócio (que passava por dificuldades) da fabricante de instalações sanitárias American Standard Companies através de sua empresa de private equity, IP Investimenti e Partecipazioni. Ele mudou os rumos do negócio, culminando em uma oferta pública inicial (IPO) na bolsa de valores de Milão em 2007. A empresa emprega 2.000 pessoas e opera seis centros de fabricação em três continentes.

LEIA TAMBÉM: Uber pode suspender temporariamente contas de contaminados por coronavírus

Embora Denegri retire grande parte de sua riqueza atual de sua participação na DiaSorin, ele não começou sua carreira na indústria farmacêutica. O nativo de Turim ganhou seu primeiro pote de ouro na década de 1970, quando fundou a Gruppo Pro-Ind, uma empresa de autopeças. Mais tarde, ele a fundiu com a Piaggio, a fabricante por trás das scooters da Vespa e da Aprilia, em 1985. Denegri reestruturou a Piaggio e a levou de volta à lucratividade antes de liquidar suas ações em 1994 para estabelecer a IP Investimenti e Partecipazioni, uma empresa de private equity e holding para seus investimentos.

Esta não é a primeira vez que a DiaSorin responde rapidamente a um surto de vírus. A empresa obteve autorização de emergência do FDA para kits de testes rápidos para a gripe suína H1N1 em dezembro de 2009 e para o vírus zika em abril de 2017. A empresa não respondeu imediatamente a um pedido de comentário da Forbes.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).