Bitcoin sobe e se destaca nas bolsas tradicionais

Yuriko Nakao/Getty Images
Valor do bitcoin se recuperou da marca dos US$ 4.000 e agora já passa de US$ 7.000

O bitcoin chegou ao segundo trimestre do ano, saltando acima de US$ 7.000 por moeda e subindo quase 15% nas últimas 24 horas.

O valor do bitcoin, que no mês passado caiu para menos de US$ 4.000 após a grande queda do mercado induzida pelo coronavírus, subiu bastante desde então. Muitos entendem que a alta pode se manter pelo ano.

LEIA MAIS: Embora não pareça, a hora do bitcoin é agora

O preço do bitcoin atingiu US$ 7.236 na Bitstamp, a bolsa cripto de Luxemburgo, ontem (2) cedo, antes de cair para menos de US$ 7.000. A razão por trás da repentina crescente não ficou imediatamente clara.

No entanto, a recuperação dos últimos dias coloca a criptomoeda muito à frente dos ganhos do mercado americano, com a média do Dow Jones Industrial, da S&P 500 e da Nasdaq caindo depois que dados mostraram que mais de 6 milhões de americanos pediram benefícios de desemprego na semana passada por causa do coronavírus.

Durante o primeiro trimestre do ano, o bitcoin registrou pesadas perdas, mas não teve um desempenho tão ruim quanto os principais índices dos EUA. O preço do bitcoin caiu 12% no primeiro trimestre de 2020, superando o declínio de 23% da S&P 500, a queda de 26% da Dow e a de 15% da Nasdaq.

O ouro, refúgio clássico em tempos de incerteza, aumentou pouco mais de 4% durante os primeiros três meses do ano. “O ouro, a prata, as bolsas de valores do mercado de ativos digitais estão indo muito bem hoje [ontem]”, escreveu Mati Greenspan, fundadora da empresa de consultoria financeira Quantum Economics, em nota aos clientes. “Parece que a grande fase de acumulação de dinheiro pode finalmente acabar e os investidores estão prontos para colocar seu dinheiro de volta ao trabalho. O bitcoin subiu quase 10% nas últimas 24 horas e está recuperando muito de seu domínio sobre o resto do mercado cripto.”

Outros estão menos otimistas com as perspectivas do bitcoin. Nicholas Cawley, analista de mercado sênior do DailyFX, per exemplo, alertou que o bitcoin não conseguiu cumprir sua reivindicação como um porto seguro em expansão. “Embora os usos do blockchain sejam amplos e crescentes e com o tempo possam sustentar o preço do bitcoin, atualmente, a moeda é apenas mais um ativo negociável sem valor de refúgio, especialmente quando os mercados ficam azedos”, disse Cawley.

No começo desta semana, os resultados da pesquisa mostraram que os investidores em bitcoin estavam otimistas no início do ano, com a maioria esperando que seu valor subisse para mais de US$ 20 mil por bitcoin em 2020.
A meta de preço médio do bitcoin para 2020 citada por traders e investidores foi de US$ 22.866 por bitcoin, mostrou uma pesquisa com usuários da Kraken baseada em criptomoedas e bitcoin dos EUA, o que está acima da alta histórica de bitcoin de cerca de US$ 20 mil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).