Com IPO incerto, Airbnb levanta US$ 1 bilhão em rodada de financiamento

Mateusz Slodkowski/SOPA Images/LightRocket via Getty Images
A empresa usará parte do dinheiro para ajudar anfitriões que também estão em crise

O Airbnb anunciou uma rodada de financiamento de US$ 1 bilhão para novos investidores na segunda (6), enquanto enfrenta um mercado cada vez mais incerto antes da oferta pública inicial prevista para 2020.

O aporte das empresas de investimentos privados Silver Lake e Sixth Street Partners acontece em um momento em que os anfitriões do site estão sofrendo com crescentes cancelamentos. Segundo a empresa de análise de aluguel de curto prazo AirDNA, mais de 80% das reservas para a primeira quinzena de abril foram canceladas.

LEIA MAIS: Airbnb reembolsa hóspedes por conta do coronavírus e cria crise para anfitriões

O Airbnb havia planejado inicialmente abrir capital neste ano, com uma avaliação esperada de US$ 31 bilhões. Diz-se que a avaliação interna foi reduzida para US$ 26 bilhões no mês passado.

O anúncio do financiamento não inclui uma nova avaliação ou um cronograma para o IPO.

A empresa também disse que US$ 5 milhões do financiamento serão destinados ao Superhost Relief Fund, que ajuda os principais anfitriões do site a pagar seus aluguéis e hipotecas durante a pandemia.

Toda a indústria hospitaleira está sofrendo. Segundo a Associação Americana de Hotéis e Hospedagem, 70% dos funcionários de hotel foram demitidos ou dispensados. No início do mês, os hotéis nos EUA tinham uma taxa de ocupação de apenas 30% e estavam a caminho de perder mais de US$ 500 milhões em receita por dia.

Um setor do Airbnb e outros sites de aluguel de curto prazo tiveram crescimento, porém: propriedades em áreas rurais longe de cidades tiveram um grande aumento na demanda à medida que os moradores fugiam das áreas urbanas, de acordo com o AirDNA . O Airbnb diz que fará uso do novo financiamento para expandir seus negócios de aluguel de longo prazo para clientes como estudantes universitários e profissionais que se mudam por conta de trabalho, o que poderia ser menos suscetível a disrupções do mercado de turismo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).