Vendas do GPA aumentam 14% no 1° tri com forte alta do comércio eletrônico

ReproduçãoForbes
ReproduçãoForbes

As ações do GPA saltavam cerca de 7,7% na tarde de hoje

O GPA divulgou hoje (22) que suas vendas totais do primeiro trimestre somaram R$ 21,6 bilhões, incluindo operações na Argentina, Colômbia e Uruguai, um aumento de 14% em relação ao ano anterior.

O varejista, controlado pelo francês Casino, que no ano passado concluiu uma reformulação acionária que permitiu que o GPA contabilize as receitas da colombiana Almacenes Éxito, teve alta de 8,2% nas vendas mesmas lojas na comparação anual excluindo efeitos de calendário.

VEJA TAMBÉM: Netflix supera previsões de assinantes no 1º tri

“Como resultado das medidas de isolamento social, notamos maiores volumes de vendas e níveis mais baixos de frequência de compras”, afirmou o GPA em comunicado.

No Brasil, o GPA registrou alta de 15% nas vendas para R$ 15,9 bilhões, dos quais R$ 8,5 bilhões vieram de sua unidade de atacarejo Assaí, informou a empresa em comunicado.

Em uma base comparável, o Assaí teve crescimento de 7,1%. A outra divisão, conhecida como “multivarejo”, que engloba as marcas Pão de Açúcar, Extra e Compre Bem, teve alta de 6,6% nas vendas mesmas lojas, excluindo efeitos de calendário.

As vendas de comércio eletrônico aumentaram 82% no período, com a pandemia de coronavírus impulsionando as compras online em 150% nas últimas duas semanas de março, informou a empresa, acrescentando que contratou mil funcionários temporários para reforçar as operações.

O rival Carrefour Brasil viu suas vendas de comércio eletrônico triplicarem no mês passado.

Como parte das medidas para enfrentar a pandemia e suprir demanda dos consumidores, o GPA disse que aumentou estoques de produtos básicos em 15%, bem como reduziu campanhas promocionais para evitar a concentração de clientes nas lojas, entre outras iniciativas.

As ações do GPA saltavam cerca de 7,7% na tarde de hoje, enquanto o Carrefour Brasil avançava 3,9%.

Analistas do BTG Pactual disseram que as vendas trimestrais do GPA mostram a resiliência das varejistas de alimentos, apesar de não haver grandes surpresas nos números.

“Vemos uma tendência positiva para o GPA nos próximos trimestres, com a empresa se beneficiando do aumento do tráfego (de clientes) no curto prazo devido à Covid-19”, escreveram os analistas em relatório, classificando a ação como “compra”. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).