Ações da Gap sobem após acordo com Yeezy, de Kanye West

ReproduçãoForbes
ReproduçãoForbes

Semelhante ao seu contrato com a Adidas, o rapper receberá royalties com base nas vendas

O preço das ações da Gap Inc. aumentou 42% nesta sexta-feira (26) depois que a varejista de roupas – em dificuldades – anunciou um acordo com a marca de moda Yeezy, de Kanye West. “Yeezy Gap” estará nas lojas físicas e digitais em 2021.

Sob a direção criativa de West, o estúdio de design da Yeezy desenvolverá a coleção para “oferecer peças básicas e modernas para homens, mulheres e crianças a preços acessíveis”. 

LEIA MAIS: Kanye West é oficialmente um bilionário

A Gap Inc. se recusou a divulgar detalhes do contrato, mas um porta-voz disse à Forbes que “pretende que seja uma parceria criativa robusta com o desenvolvimento de produtos em várias temporadas”. 

Uma fonte familiarizada com as negociações, mas não autorizada a falar publicamente, revelou mais, dizendo ao “New York Times” que o acordo de 10 anos começa este mês com a opção de renovação após cinco anos. Até 2031, a expectativa da grife é que a “Yeezy Gap” gere US$ 1 bilhão em vendas anuais.

West manterá a propriedade exclusiva da marca Yeezy, que faturou cerca de US$ 1,3 bilhão em vendas em 2019, e a Gap Inc. mantém a propriedade exclusiva da marca Gap.

Semelhante ao seu contrato com a Adidas, o rapper receberá royalties com base nas vendas.

O empresário e músico, que a Forbes estima ter um patrimônio líquido de US$ 1,3 bilhão, trabalhou em uma loja da Gap em Chicago quando adolescente e iniciou suas linhas de calçados e vestuário Yeezy décadas depois. Em uma entrevista de 2015 a “The Cut”, West disse que gostaria de ser “o Steve Jobs da Gap”.

A exemplo de outros varejistas, a Gap Inc. foi duramente atingida pela pandemia. No relatório trimestral apresentado à SEC este mês, a empresa disse que os resultados do primeiro trimestre foram impactados pelo fechamento temporário de, aproximadamente, 90% de suas lojas em todo o mundo a partir de 19 de março. O fluxo de caixa acumulado no ano foi negativo em US$ 1,1 bilhão em comparação com US$ 136 milhões negativos no ano passado.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).