O futuro das feiras: Magic, Coterie e outras estreiam edições online

Reprodução Forbes
Reprodução Forbes

Salões de convenções permanecem inativos à medida que fornecedores e compradores realizam transações online

A pandemia tem obrigado as feiras de moda a passarem para o ambiente virtual. Os Estados Unidos começam a flexibilizar o isolamento social, mas os salões de convenções permanecem inativos à medida que fornecedores e compradores realizam transações online. Uma parceria anunciada na última semana entre a Informa Markets e a NuORDER viabilizará feiras digitais a partir de 15 de agosto para moda masculina e 1º de setembro para moda feminina.

A Informa Markets é um dos principais organizadores de feiras e exposições e realiza mais de 450 eventos, o que inclui os relacionados à moda –Magic, Project, Coterie e Micam Americas. Tradicionalmente, feiras como a Magic são realizadas em agosto no Las Vegas Convention Center para lançar novas coleções e fazer propaganda das mercadorias da temporada atual à venda. Neste ano, o evento presencial foi adiado até o final de setembro.

VEJA TAMBÉM: Maio sem moda: Pandemia enrolou os tapetes vermelhos

O NuORDER é uma plataforma tecnológica que otimiza o processo de compra de mercadorias por atacado. No início de maio, a empresa lançou um showroom virtual, que incorpora marketing de storytelling das marcas e ensaios de modelos. Fotos e vídeos de showrooms físicos podem ser adquiridos, assim como um desfile pré-gravado ou uma entrevista com o designer para reafirmar ainda mais a imagem da marca e as ofertas e compromisso das vendas físicas.

Uma peça publicitária com imagem das prateleiras apresenta itens chaves da coleção com um link de acesso para compra e botão para ampliar o tamanho da foto. A experiência do showroom virtual também incorpora imagens 3D detalhadas para que os compradores tenham melhor noção da aparência do produto no corpo. Esses recursos estarão disponíveis para expositores que se inscreverem no estande virtual.

A experiência digital não pretende substituir permanentemente os eventos presenciais, mas melhorá-los. “A moda, em particular, é um negócio tátil –os compradores querem sentir os tecidos nas próprias mãos e ver as cores com os próprios olhos”, disse Nancy Walsh, presidente da Informa Fashion Markets, em um comunicado à imprensa. Nancy também afirmou que o futuro do atacado da moda é uma sinergia entre o mundo físico e o digital.

Outro bônus é o tempo em que a venda de uma coleção permanece disponível online. As feiras típicas duram de três a quatro dias. No entanto, os próximos shows ficarão disponíveis digitalmente por oito semanas. “É uma mudança de paradigma no processo de compra com o intuito de estender o tempo de exposição e descoberta de uma marca, em vez de apenas apressar a decisão dos compradores em um evento”, disse Heath Wells, cofundador da NuORDER. “A Informa aposta que os compradores terão tempo para selecionar suas compras”.

O NuORDER foi lançado por Wells e sua esposa, Olivia Skuza, em 2011. A empresa ganhou força em 2018 depois que a Nordstrom os escolheu como sua plataforma de compras. Isso resultou na assinatura de outras marcas para continuar vendendo para a moderna varejista de Seattle. A Bloomingdale’s trilhou o mesmo caminho logo depois. Atualmente, o site possui aproximadamente 500 mil compradores e mais de 2.000 marcas em todo o mundo. As empresas pagam uma taxa única de “estande” por um período de 8 semanas. Normalmente, a NuORDER opera como um serviço baseado em assinatura.

E AINDA: Como o coronavírus transformará a indústria da moda em sustentável

Como em um site de comércio eletrônico de varejo, os compradores escolhem entre as marcas listadas em ordem alfabética e por categoria, como feminino, masculino, infantil e jeans. Como a compra B2B é o que Wells chama de “comércio colaborativo” –o comprador e o vendedor estão ativamente envolvidos na transação– o representante apresenta a linha de produtos e, em última análise, aprova a venda no atacado ou não a uma loja de varejo.

Os aspectos físicos do processo de compra são digitalizados; desde a apresentação da coleção em modelos aos catálogos. Os compradores fazem pedidos adicionando itens a um carrinho digital. O merchandising e logística de entrega também ocorrem na plataforma.

Depois de finalizada, a compra é enviada para a fila de espera dos varejistas, aguardando aprovação e processamento. Se aprovado, o sistema digital gera automaticamente uma fatura. Isso elimina o modelo antiquado de pedidos que requer processos separados de entrada dos dados para gerar o boleto, o que pode atrasar os pedidos em até 30 a 60 dias.

Além disso, a plataforma permite análises precisas sobre os produtos mais vendidos e facilita a recompra dos varejistas. Olivia conversou com marcas em feiras sobre quais eram seus modelos mais vendidos e comparou as respostas aos dados de vendas da NuORDER. “Na maioria dos casos, não era o que eles pensavam”, disse ela. A plataforma também pode fornecer análises detalhadas de inventário de acordo com o tamanho, cor e categoria de roupas para os varejistas.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).