Tóquio 2020 diz que adiamento dos Jogos custará US$ 2,8 bilhões aos organizadores

Valor será dividido entre os governos metropolitano e do país e o comitê organizador.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Kim Kyung-Hoon/Reuters
Kim Kyung-Hoon/Reuters

Tóquio 2020 também está recorrendo a um fundo de contingência de 27 bilhões de ienes detalhado no orçamento do ano passado para cobrir os custos

Acessibilidade


O adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para o ano que vem por causa da pandemia de coronavírus custará aos organizadores japoneses mais 294 bilhões de ienes (US$ 2,8 bilhões), afirmou o comitê organizador hoje (4).

Os organizadores estão avaliando o impacto financeiro do adiamento desde que o governo japonês e o Comitê Olímpico Internacional (COI) decidiram, em março, adiar os Jogos até 2021.

LEIA MAIS: Atletas serão testados “a cada 96 a 120 horas” durante Olimpíada, dizem organizadores

O governo metropolitano de Tóquio deve pagar 120 bilhões de ienes, o comitê organizador 103 bilhões de ienes e o governo japonês 71 bilhões de ienes, disseram os organizadores.

O COI informou anteriormente que contribuirá com US$ 650 milhões para cobrir os custos do adiamento. Este valor é separado dos custos anunciados pelos organizadores japoneses hoje.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Os custos de Tóquio são os custos de Tóquio”, disse o CEO da Tóquio 2020, Toshiro Muto. “A (atribuição) de Tóquio 2020 é uma receita que podemos garantir”, acrescentou.

“Dentro dessa receita, temos patrocínio adicional que solicitamos dos parceiros e também temos seguro.”

Tóquio 2020 também está recorrendo a um fundo de contingência de 27 bilhões de ienes detalhado no orçamento do ano passado para cobrir os custos.

O último orçamento oficial divulgado pelo comitê organizador em dezembro de 2019, meses antes do adiamento dos Jogos, foi de US$ 12,6 bilhões. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: