Como escolher entre o plano A e o plano B sem medo de errar

Steven Enrico/Getty Images
Steven Enrico/Getty Images

O medo de errar pode ser seu inimigo na hora de tomas decisões

Conversei recentemente com um amigo, um experiente proprietário de um negócio que já tem 14 anos, que enfrentou dilemas enquanto moldava a cultura da empresa. Ele sabia que cabia a ele definir o tom certo e servir de exemplo, e pediu meu conselho sobre escolher a melhor opção e seguir adiante com os passos certos. Em particular, ele se sentia preso entre duas escolhas – os tais planos A e B. Como ele poderia garantir qual deles era o certo? No fim, eu disse a ele para não ter medo de errar.

Na realidade, podemos não saber a resposta correta na hora. Aprendemos qual é a opção certa ao tomar as medidas, avaliar como elas funcionam e medir os resultados. Quando “ficamos presos”, muitas vezes estamos focando mais na preocupação de escolher o caminho “errado”. Para mim, esta é uma questão de mindset. Se você tem duas opções inteligentes, baseadas nos fatos que tem em mãos no momento, não pode dar errado. Você simplesmente precisa agir e mudar seu plano com base no que você observa a partir daí. É por meio da sua decisão que você acabará por criar o sucesso que deseja. Como disse ao meu amigo, faça uma escolha e a implemente. Você vai aprender o próximo passo ao longo do caminho.

LEIA MAIS: As 4 melhores estratégias usadas por negociadores excepcionais

É vital trocar a palavra “fracasso” em seu vocabulário por “experiência”. Você não está falhando, você está experimentando. Pode soar preocupante, mas a mudança de mindset sobre a definição é um processo psicológico importante. Quanto mais cedo puder experimentar os efeitos de uma decisão, mais cedo você poderá aprender e crescer. Essa experiência é uma parte importante do processo de aprendizagem e da tomada de decisão. Sua mistura de experiências, reflexão e ação é o que gera sucesso.

Veja, a seguir, como fazer isso:

Crie um plano dinâmico

Quando equipado com um plano que tem espaço para evoluir, você nunca vai ficar preso entre o A e o B. Você pode passar pela implementação à medida que ele se desenvolve em tempo real. Como Carol Dweck explica em seu livro “Mindset”, as pessoas têm um mindset fixo ou uma mentalidade de crescimento. No primeiro caso, elas acreditam que nascem com certas habilidades – “eu sou o que sou”. Já com uma mentalidade de crescimento, as pessoas sabem que estão evoluindo continuamente e se treinam para se adaptar e ser melhores. Na nossa empresa, os gestores seniores sabem incentivar os processos dinâmicos e colaborativos para tomar decisões e realizar projetos. A entrada de todos é valiosa, e nossos funcionários devem ter a coragem de emitir suas opiniões. Se tentamos um novo plano, fazemos juntos, e, se ele falhar, fracassamos juntos. Em seguida, colaboramos para corrigir os erros e avançamos novamente juntos.

Elimine as tendências perfeccionistas

Quando você está preocupado em tomar a decisão “certa” e não errar, você se atrapalha em cada jogada. Não seja ideológico com o seu papel de líder e não imagine que pode escolher a alternativa que resultará perfeita. Na vida real – e nos negócios reais -, nossas escolhas nunca saem exatamente como queremos. A mentalidade de crescimento permite que você seja adaptável às circunstâncias que aparecem à sua frente. Para mudar rapidamente, você e todos ao seu redor precisam ter essa mentalidade, o que cria abertura e oportunidades para que seus funcionários sejam criativos e pensem fora da caixa.

VEJA TAMBÉM: Saiba como sua maior inaptidão pode trazer sucesso

Encorajar o crescimento

Sou um eterno otimista, e estou aberto para olhar para um copo e vê-lo como meio cheio em vez de meio vazio. Esta pode ser uma parte inerente de quem eu sou, mas qualquer um pode aprender a pensar assim. Se você é um líder, já faz isso sempre que assume um risco, acreditando em uma ideia ou empresa, e seguindo adiante sem todos os recursos ou circunstâncias disponíveis antes de agir. É importante continuar essa busca de crescimento ao longo da vida, tanto dentro de si mesmo quanto entre sua equipe, criando um ecossistema favorável para que isso aconteça. Olhe para livros, podcasts, coaching ou o que você curte que influencie suas ideias e pensamentos. Para mim, tem sido vital me encontrar consistentemente com um grupo de colegas que modelam as tendências e comportamentos que eu quero exibir. Encontre um mentor ou dois, e adeque suas crenças e ações. Estamos sempre evoluindo. Certifique-se de que você está se movendo na direção mais positiva.

Reconhecer que vai dar certo

Desde jovens, fomos ensinados a evitar o fracasso. Mesmo na escola, ouvimos que, se tomarmos uma iniciativa e ela não der certo, estamos errados. Se nos deparamos com uma barreira em nosso plano, reescrevemos tudo rapidamente. É o plano A contra o plano B mais uma vez. Essa é a perspectiva errada. Isso não significa que eu pulo passos baseado na minha intuição. Em vez disso, reúno o máximo de dados possível para dar o primeiro passo. Depois, faço uma pausa, reflito, e coloco o próximo passo no plano em vigor. À medida que você coleta mais informações, você pode seguir em frente com confiança. Em vez de fazer, por exemplo, algumas ações de marketing em avenidas tradicionais, investimos em anúncios em redes sociais. Apesar de ter sido contra-intuitivo em nossa indústria na época, sabíamos que era importante fazer e aprender como melhorar o conteúdo ao longo do caminho. Em vez de fazer pressão para fazer a campanha “perfeita”, focamos em aprender a usar o LinkedIn, o Facebook e o Instagram primeiro, e então melhoramos nossos posts com base no engajamento que vimos. Sabíamos que íamos cometer erros e aprender. Mas tomar a iniciativa foi inestimável para os nossos próximos passos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).