Tendência: 3 ingredientes para ficar de olho na coquetelaria em 2020

Getty Images
Jerez é uma das tendências em coquetelaria apontadas por Carolina Oda

Ondas vêm e vão na mixologia. Mas, atualmente, os ingredientes tendência para se prestar atenção nos bares do Brasil são jerez, café e chá mate. Essa é a opinião da especialista em bebidas e embaixadora de 2020 da edição São Paulo do BCB (Bar Convent Berlim, um dos eventos de bebidas mais importantes do mundo), Carolina Oda, que concedeu entrevista exclusiva sobre o tema à Forbes Taste.

Segundo ela, o jerez –vinho fortificado típico da Espanha–, que vai do mais seco ao mais doce, não chega a ser uma tendência de mercado, porém, já tem aparecido em cartas de drinques. “O consumo em coquetéis tem aumentado, e ele pode casar com vários perfis. Por ser um vinho, possibilita um outro jeito de fazer drinques com teor alcoólico mais baixo e trazer notas complexas e diferentes, com uma base que já tem muito sabor”. As criações com menos álcool são, inclusive, outra tendência mundial. “Já há até torneiras de bebida sem álcool em alguns países. É interessante pensar que não alcoólico não significa infantil”, pontua. Segundo ela, porém, em território nacional, a onda deve pegar a partir das próximas gerações.

LEIA MAIS: Exclusivo: Dono do Kitchin abre terceira marca em São Paulo e vai expandir para Miami

Uma das bandeiras de Carolina e do evento é aumentar e possibilitar maior integração de gastronomia e mixologia, algo que já tem ocorrido em vários níveis, em bares e restaurantes pelo país. Por conta disso, ela aponta o uso do café e do mate, ingredientes que podem ser usados em coquetéis, em drinques não alcoólicos e na comida. “O mercado de café especial tem crescido e hoje há até um campeonato de drinques com o ingrediente dentro da Semana do Café”, diz. “Ele não é um ingrediente exatamente fácil de ser trabalhado, pois são muitas variáveis, mas permite uma gama enorme de possibilidades. Você pode fazer parceria com um produtor e ter um tipo específico para o seu drink. Algumas fazendas, inclusive, abrem áreas experimentais com essa finalidade e outras tratam o café em barris de cachaça ou de uísque para torrar depois”, lembra.

“Já o mate é nativo e pode ser usado de diversas maneiras. Estamos acostumados com o tradicional do dia a dia, do mate com limão, mas temos produtores encarando o mercado como os chineses pensam o chá verde, por exemplo. Para se ter uma ideia, alguns já têm linhas com diversos tipos”, justifica. “Usar chá, café, mel… É importante ter um olhar para o drinque como se olha para um prato”, diz a especialista.

Carolina também acredita que o reinado do gim ainda está longe de acabar. “A gim tônica funcionou muito bem para o gosto do brasileiro, é refrescante e com certo amargor, o que mostra também uma evolução de paladar”, avalia.

O BCB São Paulo 2020 acontece nos dias 15 e 16 de junho. Com o sucesso de 2019, a segunda edição nacional do evento terá 40% mais área para expositores e uma série de novas marcas participantes, como Casa Roble, Monin, Jungle Gin. De acordo com Fernando Nagamine, diretor do BCB, os participantes podem esperar tratamento especial para a cachaça, destilado ícone do Brasil.

***
Gastronomia e tênis
Divulgação
O premiado restaurante carioca Lasai, que tem uma estrela Michelin, vai estar presente no torneio de tênis Rio Open, que começa amanhã (15) e vai até 23 de fevereiro. O cardápio do chef Rafa Costa e Silva terá pratos como salada de quinoa, sanduíche de peixe frito, porco assado lentamente e bolo de cacau morno. “Nossa expectativa em participar do Rio Open é enorme. Faremos uma gastronomia que segue a nossa linha, cheia de sabor e com ingredientes locais e super frescos”, afirma Costa e Silva, chef e proprietário do Lasai.

***

Food design
O Istituto Europeo di Design relança seu curso de Food Design. Com duração de cinco finais de semana, é focado em inovação, serviço e experiência. Coordenado por Alexandre Carvalho, tem participação de nomes como Camille Lau, responsável por projetos de inovação na Nestlé, Nespresso e Unilever; Francisco Tortorelli, líder de estratégia e insights na Danone Brasil e Renato Caleffi, chef e proprietário da rede de cafés Le Manjue e do restaurante Le Manjue Organique.

***

Young Chef 2020
A chef paranaense Manu Buffara foi uma das selecionadas para fazer parte do júri de sete integrantes da final do concurso Young Chef 2020, da S. Pellegrino, que acontece em Milão nos dias 8 a 9 de maio. Ela avaliará os participantes ao lado de colegas tri-estrelados pelo guia Michelin como o ítalo-argentino Mauro Colagreco e o italiano Enrico Bartolini. O restaurante Manu foi escolhido como One to Watch no ranking Latin America’s 50 Best em 2018.

***

Torrefação e grãos verdes

A Um Coffee Co., do Under 30 2019 Boram Um, inaugura na segunda quizena do mês uma central dedicada à torrefação de café. Além do serviço, o local vai funcionar como núcleo de comércio de grãos verdes para amantes da bebida, os coffee lovers, e terá uma pequena operação de cafeteria voltada para a experiência em cafés espressos. A marca originalmente abrigava as máquinas de torra em salas de duas de suas quatro cafeterias em São Paulo.

***

Conexão NYC-Rio
Divulgação
Até o fim do mês, o Astor do Rio de Janeiro recebe o Dante, eleito o melhor do mundo pelo The World’s 50 Best Bars no ano passado. O pop-up terá drinques especiais como o Endless Summer (foto), com vodca Ketel One, vermute rosé, morango, ruibarbo, melancia, água de rosas e espumante rosé. Na segunda (17), recebe como guest bartender Tato Giovanonni, terceiro na lista dos 50th Best Bars entre os melhores bares do mundo, com o argentino Floreria.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).