Como cuidar da saúde mental no trabalho em 2022

Ter autocuidado, criar limites, buscar uma válvula de escape e praticar atividade física são as principais dicas.

Arthur Guerra
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Prática de atividade física melhora circulação de sangue no cérebro, trazendo sensação de energia

Acessibilidade


Se existe uma coisa que estes dois últimos anos nos ensinaram, foi que a saúde mental está em nossas vidas como uma nuvem de pólen. Ela circunda as nossas famílias, o nosso trabalho, o nosso círculo social, o nosso sono. Nunca se falou tanto em saúde mental e nunca se falará tanto quanto nos próximos anos.

Já que a vacinação se dissemina pelo país e a vida dá sinais de voltar ao normal, a pergunta é: como cuidar da saúde mental no ambiente de trabalho em 2022? Eis, a seguir, algumas dicas importantes:

1. Quem irá ajudar você se algo não vai bem com sua saúde mental? Acredite, é você mesmo. Autocuidado significa, entre outras coisas, estar atento a sentimentos que estão fora do lugar, a atitudes que você tem tomado e que antes não ocorriam, à irritação que não vai embora, ao cansaço pelas noites de sono mal dormidas, à queda de produtividade no trabalho. Esses são alertas de que, de fato, há algo errado com você. Não menospreze esses sinais.

LEIA TAMBÉM: Um par de meias nos pés – acredite – pode ajudar você a dormir melhor

Ainda que você não saiba explicar o que acontece com você, ao se ver com uma sensação ruim, de que algo está fora de ordem, de que a vida está “xoxa”, saiba que esses também são indicativos de baixa saúde mental. Dê o primeiro passo buscando um médico em quem confia para que ele o ajude. Mas é você quem tem de dar esse passo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

2. Coloque-se limites. Uma das grandes dificuldades no ambiente de trabalho é nos colocar limites. Estabelecer limites começa na entrevista para uma posição. Muitas organizações exigem, por exemplo, que o colaborador viaje ou trabalhe em eventos no fim de semana. Aceitar ou não essas regras é uma decisão sua, que começa antes de você, de fato, começar a trabalhar.

Cada um tem noção de até onde é capaz ou está disposto a ir. Ninguém é igual, assim como ninguém trabalha da mesma forma. A instauração de limites não diz respeito só ao trabalho propriamente dito, mas também a questões emocionais e até físicas. Sente-se ainda com medo de apertar a mão dos colegas? Seja transparente com eles, para não gerar mal-entendidos.

O estabelecimento de limites claros para você mesmo e para a organização para a qual trabalha é fundamental para não se chegar ao que se chama de burnout, uma forma de esgotamento físico e mental que tem crescido assustadoramente no mundo corporativo.

3. Encontre a sua válvula de escape. Ninguém consegue manter-se mentalmente saudável se só acumula demandas, sem se dar a chance de descomprimir. Para algumas pessoas, ver séries é uma ótima válvula de descompressão. Para outras, correr, enquanto outras desabafam na terapia ou conversando com os amigos. Não importa qual escape seja, o importante é você identificar algo que lhe permita desafogar. Atenção: álcool e drogas são descompressores ilusórios, porque dão a falsa sensação de que nos sentimos mais leves. A angústia volta tão logo o efeito deles acaba.

4. Pratique atividade física. A prática de atividade física não só melhora indicadores de saúde, como glicemia e colesterol, mas melhora também a circulação de sangue, inclusive para o cérebro, trazendo aquela sensação gostosa de se sentir energizado e mais alerta, algo importante quando se está trabalhando.

Além disso, reduz os níveis de estresse, fundamental quando se pensa em cuidados com a saúde mental. Menos estressado, você trabalhará melhor e será até mais produtivo, cansando-se menos ao fim do dia.

Por fim, atividade física é um dos melhores reguladores do sono. Desde o início da pandemia, a qualidade do sono dos brasileiros caiu consideravelmente. Exercitar-se melhora a qualidade do sono e reduz o tempo que se leva para pegar no sono.

Como também contribui para o controle de peso, reduz as chances de você apresentar a chamada apneia obstrutiva do sono, condição comum em quem convive com sobrepeso ou obesidade e que leva à interrupção da respiração várias vezes durante a noite, fazendo com que a pessoa acorde e tenha um sono entrecortado.

Pode ser qualquer atividade física, qualquer uma mesmo, mas você deverá gostar daquela que pratica. Caso contrário, será difícil incorporá-la no seu dia a dia.

Dr. Arthur Guerra é professor da Faculdade de Medicina da USP, da Faculdade de Medicina do ABC e cofundador da Caliandra Saúde Mental.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Compartilhe esta publicação: