Amazon compra MGM por US$ 8,45 bilhões em meio à guerra do streaming

Com aquisição do estúdio de cinema, assinantes do serviço terão acesso a clássicos como “E o Vento Levou” e “Rocky” .

Siladitya Ray
Compartilhe esta publicação:
SOPA Images/Getty Images
SOPA Images/Getty Images

Com aquisição da MGM, assinantes da Amazon Prime Video terão acesso a clássicos como “E o Vento Levou” e “Rocky”

Acessibilidade


A Amazon anunciou ontem (25) a intenção de adquirir o estúdio cinematográfico MGM Holdings por US$ 8,45 bilhões, no que se traduz como a maior investida da gigante do e-commerce em Hollywood. Com a operação, a companhia quer reforçar sua plataforma de streaming em meio à crescente competição de empresas como Netflix, Disney e WarnerMedia e a próxima mídia do gigante Discovery.

A aquisição dá à Amazon acesso ao vasto catálogo da MGM de filmes clássicos de Hollywood como “E o Vento Levou”, “O Mágico de Oz”, “Cantando na Chuva”, “Rocky”, “Silêncio dos Inocentes” e “Pantera Cor de Rosa”.

LEIA TAMBÉM: Ericsson sinaliza risco de perder participação de mercado em 5G na China

A MGM também compartilha os direitos do filme da franquia James Bond com a Eon Productions – uma holding pertencente à família Wilson / Broccoli – que manterá o controle criativo sobre a série de filmes de espionagem.

A MGM opera um estúdio de TV – que produziu vários sucessos como “The Handmaid’s Tale” e “Fargo” – junto com o canal premium a cabo Epix.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O anúncio indica que o negócio será concluído após “aprovações regulatórias”.

“A MGM possui um vasto catálogo com mais de 4.000 filmes… que ganharam coletivamente mais de 180 Oscars e 100 Emmys”, disse Mike Hopkins, vice-presidente sênior da Prime Video e Amazon Studios. Ele descreveu o “valor financeiro real por trás deste negócio” como o “tesouro” de propriedade intelectual que eles “planejam reimaginar e desenvolver junto com a talentosa equipe da MGM.”

O negócio é a segunda maior aquisição na história da Amazon, perdendo apenas para os US$ 13,7 bilhões que a empresa pagou pela Whole Foods em 2017. A compra da MGM chega em um momento em que a empresa busca aumentar sua oferta de streaming de vídeo para competir com Netflix e Disney. Seu serviço de streaming, Prime Video, é uma parte fundamental do serviço de assinatura Prime da gigante do comércio eletrônico, que também oferece remessa gratuita em dois dias, streaming de música e uma série de outros serviços.

VEJA MAIS: AT&T fecha fusão de mídias com Discovery por US$ 43 bilhões

Em seu relatório anual de 2020 publicado no mês passado, a empresa revelou que gastou US$ 11 bilhões na produção de programas de TV, filmes e música para o Prime. Este foi um aumento acentuado dos US$ 7,8 bilhões que a empresa havia gasto com mídia em 2019. No início deste ano, a Amazon também assinou um acordo de 10 anos – estimado em US$ 1,3 bilhão por ano – com a NFL (National Football League, a liga de futebol americano) para direitos de transmissão exclusivos dos jogos de futebol americano nas noites de quinta-feira a partir de 2023.

A decisão da Amazon de adquirir a MGM vem logo após outra grande parceria com Hollywood, na qual a AT&T concordou em desmembrar sua divisão de mídia WarnerMedia e fundi-la com a Discovery em um negócio de US$ 43 bilhões. O acordo, se for aprovado, visa criar um gigante global de streaming para enfrentar empresas como Amazon, Disney e Netflix.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: