Ação da Weg dispara após lucro bilionário no 2º trimestre

As ações da Weg disparavam hoje (28), após a companhia mais do que dobrar o lucro no segundo trimestre, apoiado tanto na demanda doméstica como na aceleração da atividade industrial nos principais países que atua, além de efeito de crédito fiscal.

O lucro líquido somou R$ 1,13 bilhão no período de abril a junho, contra R$ 514 milhões um ano antes, de acordo com dados divulgados pela companhia hoje, com a margem líquida subindo a 19,7%, de 12,7%.

LEIA MAIS: Forbes Radar: CSN, TIM, Google, Rumo, Apple e outros destaques corporativos

No segundo trimestre, houve a contabilização de créditos referentes à exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e Cofins, com o lucro líquido sendo positivamente impactado por R$ 282,8 milhões.

Por volta de 10:40, os papéis subiam 6,34%, a R$ 36,57, maior alta do Ibovespa, que avançava 0,76%. Na máxima até o momento, as ações chegaram a R$ 36,61, maior patamar intradia desde o final de abril.

“Outro trimestre impressionante”, afirmaram analistas do BTG Pactual, em relatório a clientes, citando que os números superaram suas estimativas.

A receita operacional líquida cresceu 41,4% na comparação anual, para R$ 5,75 bilhões, com alta de 60,7% no mercado interno e de 28,9% no externo. Em dólar, a receita no mercado externo subiu 31,5%.

No Brasil, a Weg disse que observou solidez na demanda após a consistente recuperação nos últimos trimestres, com destaque para o crescimento dos negócios de ciclo curto, nas áreas de Motores Comerciais e Appliance, Equipamentos Eletroeletrônicos Industrias e em especial o negócio de geração solar distribuída.

“A manutenção dos negócios de ciclo longo… também contribuiu de forma importante para este resultado, com destaque para o retorno da receita de projetos de geração eólica.”

LEIA MAIS: Spotify tem receita trimestral acima do esperado

No exterior, a companhia registrou crescimentos relevantes de receita nos principais mercados de atuação, com destaque para os segmentos de mineração, óleo & gás e água & saneamento.

“Além dos negócios de Equipamentos Eletroeletrônicos Industrias, destacamos também o bom desempenho das áreas de Motores Comerciais e Appliance e T&D (Transmissão e Distribuição de Energia), com crescimento de vendas e aumento da participação em mercados importantes.”

O resultado operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 1,39 bilhão, salto de 90,2% ano a ano, com a margem Ebitda passando a 24,2%, de 18% no segundo trimestre do ano passado.

O custo dos produtos vendidos cresceu 41,3%, para R$ 4 bilhões, enquanto as despesas de VG&A (Vendas, Gerais e Administrativas) subiram 26,8%, para R$ 637 milhões.

No segundo trimestre, a Weg investiu R$ 168,3 milhões em modernização e expansão de capacidade produtiva, máquinas e equipamentos e licenças de uso de softwares, sendo 52% em unidades no Brasil e 48% em instalações no exterior.

LEIA MAIS: Confiança da indústria no Brasil chega em julho ao maior nível desde janeiro, diz FGV

“Olhando para o futuro, continuamos a ver os produtos de ciclo longo como mais resilientes”, afirmou a equipe do BTG Pactual. Os analistas afirmaram ainda que os produtos de ciclo curto continuam na tendência de recuperação observada nos últimos trimestres graças à recuperação da economia global. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).