Forbes 400: Confira o ranking dos bilionários que mais doaram em 2021

As pessoas mais ricas dos Estados Unidos ficaram ainda mais ricas no ano passado, mas suas doações filantrópicas não aumentaram.

Hank Tucker
Compartilhe esta publicação:
Forbes
Forbes

MacKenzie Scott, Warren Buffett, Bill e Melinda Gates são alguns dos bilionários mais filantrópicos de 2021

Acessibilidade


Graças às altas no mercado de ações, a fortuna conjunta das 400 pessoas mais ricas dos Estados Unidos que aparecem na lista da Forbes de 2021 cresceu 40%. O valor dos seus patrimônios somados é de US$ 4,5 trilhões, o mais alto da história do ranking. Mas a generosidade desses bilionários não acompanhou os enormes ganhos que eles tiveram.

Para ver o quão filantrópica é cada uma das 400 pessoas mais ricas dos Estados Unidos, a Forbes atribuiu uma nota de filantropia de um a cinco, com cinco representando os mais generosos.

VEJA TAMBÉM: Forbes 400: quem são os norte-americanos mais ricos de 2021

Para calcular a nota de cada bilionário, adicionamos o valor total das doações que cada pessoa fez ao longo da vida ao seu patrimônio líquido de 2021 estimado pela Forbes. A soma de todas essas doações foi então dividida por esse número. O resultado corresponde ao percentual que cada pessoa doou de seu patrimônio líquido total. Contamos apenas doações já concluídas, excluindo valores destinados às fundações privadas dos bilionários ou a fundos filantrópicos que contam com incentivos fiscais, já que esses valores ainda não chegaram às entidades que precisam deles.

Entramos em contato com todos os membros da lista para confirmar os valores. Muitos têm fundações com declarações de impostos públicas que fornecem detalhes sobre as doações feitas naqueles anos. Alguns forneceram detalhes específicos sobre doações e valores que não constavam nesses registros. Outros se recusaram a comentar.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As pontuações estão mais baixas do que nunca. Apenas oito bilionários chegaram à nota máxima, cinco, que significa que doaram 20% ou mais de sua fortuna. Ano passado, foram dez pessoas. A maior parte recebeu nota um, dada àqueles que doaram menos de 1% de seu patrimônio líquido, ou foi classificada como N/A. O número de pessoas com essa nota aumentou de 127 para 156 entre 2020 e 2021. Por outro lado, o número de bilionários em todas as outras pontuações diminuiu.

No entanto, nem todos os listados pela Forbes guardaram seu dinheiro durante a pandemia. Warren Buffett ainda é o maior doador. Apenas em junho, ele doou US$ 4,1 bilhões em ações da Berkshire Hathaway à filantropia, o que ajudou a levar o total de suas contribuições para US$ 44 bilhões.

Em um comunicado, ele afirma que neste ano terminou de doar metade de sua participação original na Berkshire, e se pergunta se não teria sido melhor começar mais tarde, já que o valor total dessas doações teria aumentado para US$ 100 bilhões, em vez de US$ 44 bilhões. Buffett é uma das oito pessoas que obtiveram cinco pontos no ranking de filantropia deste ano realizado pela Forbes.

Mas existem muitas necessidades urgentes que não podem esperar. MacKenzie Scott não perdeu tempo para começar a doar as dezenas de bilhões de dólares que recebeu após seu divórcio de Jeff Bezos, em 2019.

VEJA TAMBÉM: Forbes 400: saiba quem são os bilionários mais jovens de 2021

Desde julho de 2020, ela enviou cerca de US$ 8,6 bilhões para aproximadamente 800 organizações. Sem uma fundação para distribuir os subsídios, site nem endereço para correspondência, suas doações livres de termos e condições costumam deixar os destinatários incrédulos

Apesar do ritmo incomparável de doações de Scott, o preço das ações da Amazon subiu o suficiente para torná-la ainda mais rica do que no ano passado: seu patrimônio líquido subiu de US$ 57 bilhões para US$ 58,5 bilhões.

Ela já abriu mão de 13% de sua fortuna, o que lhe confere quatro pontos no ranking de filantropia, indicando que doou entre 10% e 19,9% de sua riqueza, embora nesse ritmo não demore muito tempo para que ela chegue aos cinco pontos.

A única pessoa com menos de 80 anos que recebeu nota cinco em 2021 é o ex-gerente de fundos de hedge John Arnold, de 47 anos, cuja fundação distribuiu US$ 1,2 bilhão de uma fortuna muito menor.

Bezos, a pessoa mais rica da Forbes 400 pelo quarto ano consecutivo, recebeu um ponto novamente, apesar de anunciar uma promessa de doar US$ 200 milhões para o Instituto Smithsonian e outros US$ 200 milhões para o comentarista político Van Jones e o chef Jose Andres, para que eles repassem às instituições de caridade que escolherem.

O fundador da Amazon está seguindo seu compromisso de 2020 de doar US$ 10 bilhões até 2030 para combater a mudança climática, embora ainda tenha distribuído apenas uma fração dessa promessa até o momento: cerca de US$ 865 milhões.

VEJA TAMBÉM: Bezos x MacKenzie: a disputa filantrópica dos bilionários da Amazon

O casal filantrópico mais conhecido dos Estados Unidos, Bill Gates e Melinda French Gates, surpreenderam muitos quando anunciaram em maio que estavam se divorciando após 27 anos de casamento. Eles afirmam que tentarão seguir atuando normalmente na Fundação Bill e Melinda Gates, embora Melinda tenha acordado em renunciar em dois anos caso decidam que não podem trabalhar juntos.

A Forbes estima que os Gates distribuíram mais de US$ 30 bilhões de sua fortuna por meio de sua fundação e das organizações que a precederam. Juntas, as entidades já destinaram mais de US$ 60 bilhões em doações e subsídios.

Grande parte das doações de Buffett foram para a Fundação Gates, que recebeu quase USS 50 bilhões. O investidor, que fez 91 anos em agosto, deixou o conselho da entidade em junho.

Melinda French Gates é uma das novatas à Forbes 400 após receber bilhões de dólares em transferências de ações de seu ex-marido. Porém, as doações do casal continuam interligadas, e cada um recebeu nota quatro em 2021.

Analisando a proporção entre doações e patrimônio líquido, o maior doador dos Estados Unidos pelo segundo ano consecutivo é George Soros. Sua fundações Open Society distribuíram, ao longo de sua vida, US$ 16,8 bilhões para instituições de caridade em todo o mundo.

VEJA TAMBÉM: 10 maiores bilionários brasileiros em 2021

Soros, um ex-gestor de fundos de hedge, tem patrimônio líquido estimado em US$ 8,6 bilhões, o que significa que doou cerca de dois terços de sua fortuna original. Um porta-voz de Soros não comentou sobre seu patrimônio nem sobre suas doações.

Confira os bilionários norte-americanos que mais doaram em 2021 na galeria de fotos a seguir:

  • Nota 1: Doaram menos de 1% de suas fortunas

    Jeff Bezos, fundador da Amazon, Elon Musk, CEO da Tesla, e outros 154 bilionários. Em 2020, 127 pessoas receberam essa pontuação.

    Getty Images/The Washington Post
  • Nota 2: Doaram de 1% a 4,99% de suas fortunas

    Mark Zuckerberg, cofundador do Facebook, Phil Knight, o cofundador da Nike, e outros 114 bilionários. Em 2020, havia 120 pessoas neste grupo.

    Chesnot/Getty Images
  • Nota 3: Doaram de 5% a 9,99% de suas fortunas

    Pierre Omidyar, fundador do eBay, Jim Simons, gestor de fundos, e mais 42 bilionários. Em 2020, 56 pessoas tiveram esta nota.

    Ramin Talaie/Corbis via Getty Images
  • Nota 4: Doaram de 10% a 19,99% de suas fortunas

    MacKenzie Scott, Michael Bloomberg, ex-prefeito de Nova York, Bill Gates e Melinda French Gates e outros sete bilionários, totalizando onze pessoas. Em 2020, eram 19.

    Getty Images
  • Nota 5: Doaram 20% ou mais de suas fortunas

    Apenas oito pessoas receberam esta nota: Warren Buffett, George Soros, Gordon Moore, Julian Robertson Jr., Amos Hostetter Jr., Lynn Schusterman, John Arnold e T. Denny Sanford.

Nota 1: Doaram menos de 1% de suas fortunas

Jeff Bezos, fundador da Amazon, Elon Musk, CEO da Tesla, e outros 154 bilionários. Em 2020, 127 pessoas receberam essa pontuação.

 

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Compartilhe esta publicação: