Bilionários russos prometem desafiar sanções da União Europeia

Pyotr Aven e Mikhail Fridman dizem ser “infundadas” as medidas que congelam seus bens e os proíbem de viajar para países do bloco.

Derek Saul
Compartilhe esta publicação:
Mikhail Svetlov/Getty Images
Mikhail Svetlov/Getty Images

Os bilionários russos Mikhail Fridman, à esquerda, e Pyotr Aven, à direita

Acessibilidade


Os bilionários russos Pyotr Aven e Mikhail Fridman disseram à Reuters hoje (1) que planejam contestar as sanções impostas aos dois pela União Europeia.

Aven e Fridman disseram à agência que planejam “contestar” as sanções “infundadas” “por todos os meios disponíveis”, mas não compartilharam como planejam fazê-lo.

Os oligarcas confirmaram à Forbes Rússia seus planos de contestar as sanções, que congelam seus bens nos países da UE e os proíbem de viajar para a UE.

Aven e Fridman são associados próximos: Fridman é o fundador do Alfa Bank, o maior banco privado da Rússia, e Aven é o chefe do banco. As últimas estimativas da Forbes colocam a fortuna de Fridman em US$ 12,8 bilhões (cerca de R$ 65,7 bilhões) e a de Aven em US$ 4,9 bilhões (R$ 24,1 bilhões).

Fridman foi o primeiro oligarca russo a se manifestar contra a guerra da Rússia contra a Ucrânia e disse à Reuters: “A guerra deve ser interrompida”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Mais notícias sobre a invasão da Ucrânia:

Mais bilionários russos se manifestam contra a guerra de Putin na Ucrânia

Gigantes do transporte marítimo interrompem rotas para a Rússia

Sistema Swift diz estar esperando lista de bancos russos para cortá-los

Compartilhe esta publicação: