Ibovespa cai mas encerra semana no azul após forte alta de commodities

Queda do índice ocorre apesar do PIB brasileiro ter superado as expectativas e avançado 4,6% em 2021.

Amanda Péchy
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa fechou hoje (9) em baixa de 0,60%, a 114.473 pontos, após um pregão marcado pela escalada do conflito entre a Rússia e a Ucrânia. A Bolsa acompanhou os índices internacionais neste pregão, que foi marcado pela aversão global a risco.

Uma ofensiva russa contra a maior usina nuclear da Europa, localizada na Ucrânia, dominou o noticiário do dia. O incêndio na unidade foi controlado, mas a tensão afetou Wall Street e o mercado acionário europeu.

“O Ibovespa acompanhou as bolsas estrangeiras. O mercado tende a precificar uma inflação maior a nível mundial devido à crise na Europa”, afirma Charo Alves, analista da Valor Investimentos.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo de Forbes Money no Telegram

O índice acumulou alta de 0,98% na semana, que teve menos dias de negociação por causa do feriado de Carnaval.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em Nova York, o Dow Jones fechou em queda de 0,53% a 33.614 pontos; o S&P 500 perdeu 0,79%, a 4.328 pontos; e o Nasdaq recuou 1,66%, a 13.313 pontos. O S&P anunciou que removerá as ações russas de seus indicadores, em mais uma medida em reação à invasão da Ucrânia.

A tensão no Brasil aumentou depois que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu a suspensão da exportação de fertilizantes. A decisão pode agravar ainda mais a inflação e causar problemas na produção agrícola, já que 90% do potássio usado no país é importado – 20% vem de Belarus, seguido por Canadá e Rússia entre os maiores exportadores.

O fechamento em baixa do Ibovespa ocorreu apesar de o resultado do PIB (produto interno bruto) brasileiro ter superado as expectativas. O indicador cresceu 4,6% em 2021, ante estimativa de apenas 0,1%.

A melhora no mercado de trabalho nos EUA, informada hoje pelo governo norte-americano, também não animou os mercados. O desemprego caiu para 3,8%, voltando a níveis pré-pandêmicos.

Mostrando indícios de que investidores estão em busca de segurança, o dólar subiu 1,03% hoje, a R$ 5,0778. O ouro segue o mesmo movimento: o ETF de referência Gold11 subiu 2,60%.

O dólar acumulou baixa na semana, com o real beneficiando-se da alta das commodities, que caminham para fechar a melhor semana em anos.

As ações que mais caíram no pregão são as de empresas voltadas para o turismo e de companhias aéreas, diretamente afetadas pelos preços dos combustíveis – desde o início do conflito, o barril do Brent opera acima dos US$ 110.

A Azul (AZUL4) lidera as baixas de hoje com perdas de 7,77%. A Gol (GOLL4) caiu 7,64%, enquanto a CVC (CVCB3) recuou 6,67%.

O setor financeiro também continua o movimento negativo desta tarde: os papéis do Banco Inter (BIDI11) desvalorizam 6,06%, os do Bradesco (BBDC4), 2,88%, os do Itaú (ITUB4), 1,52%, e os do Banco do Brasil (BBAS3), 2,50%.

As empresas que aparecem entre as maiores altas estão ligadas ao setor de energia e siderurgia, que se beneficiaram do isolamento da Rússia, uma grande exportadora de commodities.

A Vale (VALE3) fechou o dia com alta de 2,28%, acompanhada de outras empresas do setor, como a Gerdau (GGBR4), que avançou 3,89%, e a Metalúrgica Gerdau (GOAU4), que cresceu 3,32%.

Leia mais: Carteira recomendada: commodities se destacam em março com Vale na liderança entre bancos e corretoras

Compartilhe esta publicação: