"Investir em games me ensinou o poder da comunidade", diz Ronaldo Fenômeno

Empresário lançou a startup de conteúdo Beyond Films, que terá Marco Antonio Araújo na liderança

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Divulgação

Gabriel Lima, Otavio Pereira e Eduardo Baraldi, sócios de Ronaldo na Oddz Network

Acessibilidade


O empresário Ronaldo, sócio majoritário da holding Oddz Network, que, dentre outros negócios, possui verticais de marketing esportivo e games, está lançando um novo projeto: a Beyond Films. A startup especializada em mídia e conteúdo vai reunir trabalhos multiplataformas como filmes, séries, transmissões esportivas e formatos digitais. Um dos projetos em andamento se propõe a ser o documentário definitivo sobre Ronaldo. O longa, com lançamento previsto para o segundo semestre, vai mergulhar na trajetória do craque entre as finais da Copa de 1998 e 2002. A Beyond Films também está captando os bastidores da reconstrução do Cruzeiro.

“O Ronaldo se tornou um criador de conteúdo, daí a importância de ter o próprio canal. Na Ronaldo TV, o público conhece um Fenômeno mais relaxado, mais espontâneo. A interação com o chat rende momentos impagáveis. O canal já deu vários furos de reportagem com relação ao Cruzeiro e outras atividades dele”, diz Marco Antonio Araújo, diretor-executivo da Beyond Films.

Ainda de acordo com Marco, a Beyond não é apenas uma produtora de conteúdo, mas uma startup de mídia e conteúdo, ou seja, cria, produz e distribui a propriedade intelectual. “Claro que em determinados casos, a IP ficará sob posse da plataforma, mas a Beyond também terá conteúdos proprietários que geram maior lucratividade. Em 2023, vamos investir em mais estrutura e tecnologia. Já temos projetos de ficção em fase de captação e vamos investir em direitos de transmissão de eventos esportivos”, ressalta.

Leia mais: Ronaldo acerta compra do Cruzeiro em acordo de investimento de R$400 milhões

Marco complementa reforçando que o mercado audiovisual gira em torno da propriedade intelectual das obras. “Se a produtora desenvolve um projeto e o vende para uma gigante do streaming, a maior parte do lucro ficará com a plataforma. Nesses casos, a produtora ganha uma margem sobre o custo de produção e quem fica com os altos ganhos é a plataforma. A partir do momento que a Beyond retém a propriedade intelectual dos seus produtos, os lucros crescem exponencialmente, uma vez que podemos licenciar a obra para vários territórios.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

À Forbes Brasil, Ronaldo comenta como a Beyond vai complementar as outras ofertas de negócios e o que ele vem aprendendo, sobretudo, com o mundo dos games e-sports da qual é próximo há alguns anos, desde que investiu no time CNB, em 2017. Em fevereiro de 2021, ele ampliou os investimentos em games olhando também para as áreas de desenvolvimento e produção.

Forbes Brasil – Considerando os vários braços da Oddz Network, de que maneira a Beyond complementa as possibilidades de negócios e como se dará essa relação com as outras empresas?
Ronaldo – Ainda que cada unidade da Oddz tenha um core, seja ele: conteúdo, consultoria, live marketing, gestão de talentos ou games e e-sports, o objetivo com o surgimento da Oddz é de criação de um único ecossistema. O objetivo é oferecer a melhor experiência para o fã e soluções “one stop shop” para marcas que queiram investir no esporte e entretenimento. Uma marca atendida pela consultoria da Octagon, pode ter seu conteúdo desenvolvido e gerido pela Beyond. Um talento da Octagon, pode ter seus canais sociais geridos pela Beyond. Um evento Octagon, pode derivar em uma minissérie produzida pela Beyond. Os negócios irão se retroalimentar e catalisar para um único ambiente, que tem como objetivo levar o melhor para o fã através de um trabalho eficiente com as marcas.

FB – O mercado audiovisual brasileiro, apesar de uma série de oportunidades com as plataformas de streaming, ainda vive grandes desafios, quais serão as dinâmicas da Beyond para lidar com este cenário e, além do documentário inicialmente, pra quais aspectos vocês pretendem expandir a Beyond?
R – Esse é um mercado em constante movimento. Passa por evoluções e transformações em pequenos intervalos de tempo. De repente vimos a explosão das plataformas, mas ao mesmo tempo uma saturação de players que faz com que até os gigantes sofram com perda de audiência. Mas no final, apesar de todo avanço na tecnologia, acredito que a fragmentação da audiência agora é uma realidade da qual conviveremos para sempre. Todos querem contar suas histórias da sua própria maneira. Seja por plataformas, redes sociais ou qualquer outro canal que leve informação e entretenimento. Por isso, além da expertise de produção de conteúdo, a expansão da Beyond passa por sempre focar nas melhores histórias nos melhores formatos. Cuidando não somente do conteúdo mas do canal, da forma como aquela história chega para o fã. Utilizar ferramentas de entendimento da comunidade, de geração de valor mesmo para quem assiste e quem patrocina. Inovando sempre na narrativa e na experiência do usuário. Ser multicanal é se adaptar às mudanças, mas sempre pensando que no final do dia é sobre o fã.

Reprodução

NBA House Digital, um dos projetos desenvolvidos pela holding de Ronaldo

FB- Como tem sido a experiência da Ronaldo TV e como você enxerga o crescimento e as oportunidades do streaming em relação ao futebol?
R – A Ronaldo TV é sem dúvidas um divisor de águas na forma como lidamos com o streaming de futebol. Seja acompanhando o movimento dos direitos esportivos – como já tivemos com o Cariocão 2022 – e que já estamos em conversas para outras ligas/times, ou também criando novos formatos dentro desse universo do futebol. Queremos abordar de maneira diferente, com histórias novas. O case de Betfair é recente e mostra uma união das apostas, estatísticas e a rodada do Brasileiro. Sem nem precisar do direito do jogo, pois ali é secundário. O foco é no conteúdo gerado por especialistas do futebol. Temos diversos outros projetos para sair do forno em breve, e em sua maioria, o futebol é protagonista. É minha raiz, é o que mais amo no esporte, e por isso vai fazer parte fundamentalmente da grade da Ronaldo TV. Queremos fazer parte desse novo futebol que está nascendo pro Brasil, nesse caso, sob o ponto de vista de geração de conteúdo.

Leia mais: Ronaldo Fenômeno cria nova holding com foco em tecnologia e e-sports

FB – Como tem sido essa sua jornada como produtor de conteúdo e o que você tem achado do crescimento dos canais e das novas linguagens?
R – Trabalhar com a Ronaldo TV tem sido muito gostoso e certamente de um aprendizado constante. Ao mesmo tempo que ter meu próprio canal me dá a liberdade de falar o que penso, da forma que acredito ser a melhor, eu acabo me tornando responsável por levar conteúdo de qualidade para quem está te assistindo. Não é como ir a um programa de TV com um script pronto e alguém cuidando de tudo. Na Ronaldo TV, pensamos junto com o time o que iremos falar, formatos novos que queremos criar e o que mais podemos oferecer para nossa comunidade. E não é somente sobre o Ronaldo. Hoje existe uma infinidade de excelentes criadores de conteúdo nascidos de forma independente na internet. Muitas vezes com mais alcance e engajamento que grandes marcas e grupos de mídia, pois trazem uma nova forma de interação e senso de comunidade. A Beyond nasceu para isso, não somente para meu canal, mas para viabilizar o surgimento de outros fenômenos de conteúdo, audiência e engajamento. Já tive uma experiência incrível com o Gaules no podcast fenômenos, com conversas muito legais com protagonistas em diversas áreas. É nessa linha que seguiremos, sem modelos pré-prontos ou engessados. Mas seguindo as tendências, os desejos dos fãs e aproveitando toda a tecnologia disponível para nos ajudar nesses novos planos ousados de produção de conteúdo e gestão da mídia e audiência digital.

FB – Por fim, você está muito conectado ao mundo dos games, desde os investimentos no passado em times de e-sports até agora com a Oddz, o que o engajamento e o crescimento dessa indústria ensina em termos de cultura digital e negócio?
R – Ensina muita coisa, mas principalmente o poder de uma comunidade. De fazer uma paixão, que por muitos anos ficou nas sombras pela falta de atenção do mercado, virar a potência que é hoje. O mérito é da comunidade, que teve paciência para levar os games para competições globais gigantes. Agora tem muita gente olhando com carinho e deve, pois é um território que engaja e proporciona experiências incríveis. Assistir uma competição, acompanhar seu streamer preferido, observar seu time de coração se preparando, compartilhar uma paixão com seus amigos: isso são coisas que no meu passado eram intrínsecas ao futebol e hoje são inerentes aos games e e-sports. Isso é maravilhoso de ver. Isso é cultura pura e para muita gente, nós inclusive, virou pilar de negócio. Dentro da Ronaldo TV, meus streams são focados nos games, e já tivemos competição de Call of Duty junto com a Activision, na Copa Ronaldo TV. Para a Oddz, temos atuado junto a marcas, entidades e organizações. No futuro teremos conteúdo focado em games, além de eventos e experiências proprietárias. Temos também um time de inovação e inteligência focado no mapeamento de novos modelos de negócio, que podem sustentar o ecossistema e complementar o trabalho que diversos players têm realizado dentro desse universo que vai de organizações, competições e fomento ao desenvolvimento de novos talentos.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: