Qatar Airways aposta no metaverso com tripulação meta humana

A QVerse é uma equipe de cabine em forma de avatares que foi criada com o objetivo de ampliar a experiência dos passageiros na relação com a empresa.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Divulgação

Mesclando tecnologias imersivas, a Qatar pretende ampliar as possibilidades de interação com os consumidores

Acessibilidade


A Qatar Airways está apostando no conceito de metaverso com o lançamento do QVerse, experiência de realidade virtual (VR) para os visitantes do site da companhia aérea. O CEO do Grupo Qatar Airways, H.E. Akbar Al Baker, reforçou a estratégia por trás do projeto: “Com os limites físicos começando a ser desafiados pelo metaverso em uma escala cada vez maior, é emocionante adotar uma tecnologia que permite que todos os entusiastas de viagens desfrutem de uma experiência única e imersiva de nossos produtos e serviços.”

LEIA TAMBÉM: Avatares e meta-humanos: diferenças e semelhanças das vidas no metaverso

“Nosso status como a primeira companhia aérea a introduzir uma tripulação de cabine meta humana é uma prova de nosso desejo inabalável de inovar e encantar nossos clientes. Estamos constantemente ansiosos para adotar e introduzir novas tecnologias que melhorem a jornada completa de nossos passageiros”. A experiência foi desenvolvida usando o Unreal Engine da Epic Games, ferramenta de criação 3D em tempo real, e o MetaHuman Creator, um aplicativo baseado em nuvem para criar humanos digitais de alta fidelidade. O modelo humano desenvolvido em 3D pela companhia foi chamado de ‘Sama’ – cujo nome é de origem árabe e se traduz em ‘céu’.

LEIA TAMBÉM: Profissão do futuro: o que faz um designer de avatares para metaverso?

Tecnologia que inspirou a Lu, do Magalu

Em novembro do ano passado, a Lu, do Magazine Luiza, também usou a tecnologia do jogo Fortnite. A interação entre influenciadora virtual e a cantora Anitta, durante o evento Black das Blacks, exibido nos canais da Globo, contou com várias tecnologias de realidade mista, 3D e técnicas imersivas inspiradas no mundo dos games e do cinema. Para realizar a interação, a Globo utilizou a tecnologia Unreal Engine, a mesma aplicada em jogos como Fortnite, da Epic Games, que permite melhor definição e precisão nos movimentos dos personagens.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: