Demanda por fertilizantes especiais no Brasil pode crescer 24% em 2021

Mercado de fertilizantes no Brasil cresce devido ao cenário de bons preços e alta demanda por alimentos

Redação
Compartilhe esta publicação:
Luiz Magnante/Embrapa
Luiz Magnante/Embrapa

Para Abisolo, o setor de fertilizantes ainda pode crescer devido aos elevados níveis de confiança da indústria de nutrição vegetal

Acessibilidade


O mercado de fertilizantes especiais do Brasil deverá registrar crescimento de cerca de 24% neste ano, impulsionado pelo cenário de bons preços e alta demanda por alimentos, disse ontem (27) a Associação Brasileira de Tecnologia em Nutrição Vegetal (Abisolo).

Estes insumos são fertilizantes minerais e de origem orgânica, que não passam por processamentos químicos.

LEIA TAMBÉM: Empresa do agro aposta em marca com apelo feminino e investe na igualdade de gênero

Segundo a entidade, o setor ainda pode superar as expectativas de crescimento para o ano, em meio a elevados níveis de confiança da indústria de nutrição vegetal.

“Esse valor pode ser superior caso alguns fundamentos se confirmem como, por exemplo, a antecipação de compras de insumos, que mesmo não sendo constante, pode se manter com a conjuntura de bons preços e alta demanda por alimentos”, afirmou em nota o gerente-executivo da Abisolo, Alexandre D’Angelo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

De acordo com levantamento de expectativas de 2021 publicado no anuário da associação, que tem como base uma pesquisa nacional realizada com membros do setor, a estimativa de avanço geral de 24% frente a 2020 reflete o fato de que “a maioria absoluta (dos respondentes) demonstrou otimismo”.

A pesquisa indicou que o segmento de fertilizantes organominerais líquidos deverá registrar a maior alta no ano a ano, de 29%, seguido pelas áreas de fertilizantes minerais líquidos e organominerais sólidos, ambos com crescimento estimado em 28%.

Há ainda expectativa de que o segmento de fertilizantes orgânicos sólidos apure alta de 22% e o de minerais sólidos veja aumento de 19%.

VEJA MAIS: Próximas geadas levam mais riscos às já comprometidas safras de milho e trigo do Paraná

“Uma pequena parcela dos respondentes acredita que poderá haver uma redução nas vendas de fertilizantes orgânicos líquidos”, informou o anuário, acrescentando que essa queda está projetada em 12%.

Em relação ao índice de confiança do setor, a Abisolo indicou que os gestores das empresas associadas à entidade têm otimismo em relação à maioria dos critérios analisados, incluindo expectativa de vendas para os próximos 12 meses, intenção de investimentos em máquinas e equipamentos ao longo do próximo ano e expectativa de expansão da agricultura no período.

Excetuam-se, na avaliação dos gerentes, os aspectos ligados à confiança nas políticas públicas, expectativa da economia nos próximos 12 meses e o comportamento da taxa de câmbio, para os quais há tendência de pessimismo no setor.

ANO PASSADO

Em 2020, informou a entidade, o mercado de fertilizantes especiais do Brasil registrou faturamento de mais de R$ 10 bilhões, salto de 41,8% em relação a 2019.

A cultura da soja permaneceu como a maior consumidora do setor, responsável por 46,7% das vendas, seguida por café (10,7%), milho (10,6%) e cana-de-açúcar (9,6%).

LEIA TAMBÉM: Safras de milho e soja nos EUA podem ser menores que o previsto

Ainda de acordo com a Abisolo, o custo da matéria-prima cresceu entre 14% e 22%, dependendo do produto, sendo os orgânicos sólidos os mais impactados. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: