Anec reduz projeção de exportação de soja do Brasil em agosto, mas ainda é superior a 2020

A Associação Nacional dos Exportadores de Cereais estima a comercialização internacional de 5,986 milhões de toneladas do grão este mês.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Jorge Adorno/Reuters
Jorge Adorno/Reuters

A Associação Nacional dos Exportadores de Cereais estima a comercialização internacional de 5,986 milhões de toneladas do grão este mês

Acessibilidade


As exportações de soja do Brasil devem alcançar ao menos 5,986 milhões de toneladas em agosto, estimou hoje (24) a Anec (Associação Nacional dos Exportadores de Cereais), ao reduzir sua previsão ante a semana anterior, quando projetava 6,249 milhões.

Caso se confirme, o volume, no entanto, ainda superaria o total de 5,574 milhões de toneladas embarcado pelo país em agosto do ano passado, mostraram os dados.

LEIA MAIS: Exportação de soja do Brasil em agosto pode superar volume do mês em 2020

Em contrapartida, a associação informou que as exportações de milho devem atingir neste mês até 4,737 milhões de toneladas, ante 4,527 milhões vistos na semana passada, em meio ao avanço na colheita da segunda safra.

Apesar da elevação na estimativa para o cereal, o volume ainda está atrás dos 6,68 milhões exportados pelo país em agosto de 2020.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No caso da soja, a Anec considera também a possibilidade de uma exportação de até 6,5 milhões de toneladas neste mês, no intervalo mais alto da previsão.

Para o milho, a associação cita a possibilidade de que ao menos 4 milhões de toneladas serão embarcadas em agosto, volume que, se confirmado, representará uma queda ainda mais intensa no comparativo anual. (Com Reuters)


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

 

Compartilhe esta publicação: