Executivos do agro: quanto ganham os mais bem pagos

Remunerações das listadas JBS, Cosan e Ambev, e outras sete empresas do setor, estão entre as maiores do país, segundo a CVM

Vera Ondei
Compartilhe esta publicação:
HAO ZHANG_Getty
HAO ZHANG_Getty

Remunerações entre os executivos cresceram, na média, 4,2% no ano passado

Acessibilidade


A Forbes publicou ontem (30) quais são as empresas que pagaram as maiores remunerações a seus executivos em 2021. Os dados são fornecidos pelas empresas à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e foram compilados pelo especialista em governança corporativa Renato Chaves. Abaixo está um recorte com as empresas que atuam diretamente no agronegócio, nos setores de alimentos, logística, produtos florestais e produção agrícola.

No país, as empresas listadas em bolsa devem informar à CVM, que é uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda, a remuneração total da diretoria. Nela, estão os valores mais baixo e o mais alto. Em geral, ele é  pago ao CEO ou presidente, mas pode haver exceções.

LEIA MAIS: Salários de executivos: veja quanto ganharam os mais bem pagos do Brasil

Na avaliação total, que inclui 88 companhias, as remunerações cresceram 31,4% em 2021 em relação ao ano anterior. Para as 10 companhias do agro que constam na lista, o crescimento foi de 4,2%.

Confira o ranking do agro:

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

1. JBS (JBSS3)

Maior remuneração: R$ 52,6 milhões
Comparação com 2020: +56%
Posição geral no ranking: 5ª
Setor: Alimentos
CEO: Gilberto Tomazoni
Desempenho das ações em 2021: +71,9%

2. Cosan (CSNA3)

Maior remuneração: R$ 27,6 milhões
Comparação com 2020: +145%
Posição geral no ranking: 8ª
Setor: Biocombustível, Petróleo e Gás
CEO: Luis Henrique Guimarães
Desempenho das ações em 2021: +8,23%

3. Ambev (ABEV3)

Maior remuneração: R$ 23,7 milhões
Comparação com 2020: +43%
Posição geral no ranking: 11ª
Setor: Bebidas
CEO: Jean Jereissati
Desempenho das ações em 2021: queda de 1,5%

4. Suzano (SUBZ3)

Maior remuneração: R$ 22,6 milhões
Comparação com 2020: +2%
Posição geral no ranking: 12ª
Setor: Papel e celulose
CEO: Walter Schalka
Desempenho das ações em 2021: alta de 2,7%

5. Marfrig (MRFG3)

Maior remuneração: R$ 19,5 milhões
Comparação com 2020: -15%
Posição geral no ranking: 18ª
Setor: Alimentos
CEO: Miguel Gularte
Desempenho das ações em 2021: alta de 52,1%

6. Rumo (RAIL3)

Maior remuneração: R$ 17,4 milhões
Comparação com 2020: +150%
Posição geral no ranking: 20ª
Setor: Logística, Indústria
CEO: João Alberto Abreu
Desempenho das ações em 2021: queda de 7,7%

7. Klabin (KLBN3)

Maior remuneração: R$ 17,4 milhões
Comparação com 2020: +28%
Posição geral no ranking: 21ª
Setor: Papel e Celulose
CEO: Cristiano Teixeira
Desempenho das ações em 2021: alta de 4,45%

8. BRF (BRFS3)

Maior remuneração: R$ 13,1 milhões
Comparação com 2020: -3%
Posição geral no ranking: 31ª
Setor: Alimentos
CEO: Lorival Luz
Desempenho das ações em 2021: alta de 2,18%

9. Minerva (BEEF3)

Maior remuneração: R$ 8,7 milhões
Comparação com 2020: -11%
Posição geral no ranking: 46ª
Setor: Alimentos
CEO: Fernando Galletti de Queiroz
Desempenho das ações em 2021: alta de 4,13%

10. SLC (SLCE3)

Maior remuneração: R$ 5,4 milhões
Comparação com 2020: +25%
Posição geral no ranking: 61ª
Setor: Produção de grãos e fibras
CEO: Aurélio Pavinato
Desempenho das ações em 2021: alta de 67,51%

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: