Estudo revela impacto das mídias sociais nas viagens de luxo pelo mundo

GettyImages/Alexander Spatari
GettyImages/Alexander Spatari

A presença mais forte das redes sociais na vida dos viajantes mudou a escolha de destinos e como eles se comportam

Resumo: 

  • Moradores dos sete principais destinos turísticos do mundo concordam que turistas não conhecem verdadeiramente os locais que visitam;
  • Redes sociais, como o Instagram, influenciam nos pontos turísticos visitados nas viagem, o que torna as fotos publicadas repetitivas;
  • Mais da metade dos viajantes acreditam que fazer publicações em suas viagens torna a experiência mais significativa;
  • A maioria gostaria de experimentar as cidades do mundo como um morador, mas acabam visitando os pontos turísticos mais populares.

Com o fim de uma década de transformação para o turismo, o InterContinental ICons Research Study acaba de lançar o estudo InterContinental Hotels & Resorts. Trata-se de uma análise aprofundada com duas partes principais: uma pesquisa global com mais de 7.000 entrevistados e uma auditoria de mídia social de sete mercados em todo o mundo: Nova York, Londres, Dubai, Paris, Cidade do México, Xangai e Sydney.

LEIA MAIS: 20 melhores destinos de viagem para mulheres

Os principais resultados incluem:

  • Falta de diversidade nas mídias sociais: os viajantes estão postando as mesmas fotos e lugares em grandes destinos turísticos nas cidades analisadas. Além disso, viajantes vão apenas aos locais “imperdíveis” e perdem muito da verdadeira profundidade e cultura dos lugares.
  • Maior foco em viajar para destinos vistos no Instagram: foco contínuo nas mídias sociais para inspiração em viagens, e também há uma gratificação por postar enquanto viaja.
  • Um conflito: a opção mais procurada é o desejo de conhecer cada cidade como um cidadão local, mas os viajantes de luxo globais também sentem que precisam conhecer os pontos mais populares de cada lugar.
  • Moradores de todos os sete mercados identificaram maneiras verdadeiras de conhecer cada cidade como os locais a conhecem.

Os lugares que mais apareceram no Instagram do mundo

Uma análise aprofundada das postagens do Instagram de cada um dos sete mercados revelou uma falta de diversidade no conteúdo que as pessoas estão postando. Veja, por exemplo, os lugares mais postados no Instagram de cada cidade:

  • Paris: Torre Eiffel, 53% de todas as fotos #Paris analisadas; 
  • Xangai: O Bund, 44% de todas as fotos de #Shanghai analisadas; 
  • Dubai: Burj Khalifa, 36% de todas as fotos de #Dubai analisadas; 
  • Sydney: Sydney Opera House, 35% de todas as fotos de #Sydney analisadas; 
  • Cidade do México: Pyramid de Teotihuacan, 25% de todas as fotos do #MexicoCity analisadas; 
  • Londres: Palácio de Buckingham, 21% de todas as fotos #London analisadas; 
  • Nova York: Central Park, 20% de todas as fotos #NYC analisadas.

Os 5 principais lugares da cidade de Nova York mais populares no Instagram são Central Park, Times Square, Brooklyn Bridge, Estátua da Liberdade, Rockefeller Center. Os participantes da pesquisa revelaram suas opções em uma seleção chamada “Lugares com a exposição excessiva na cidade de Nova York”, e três em cada quatro entrevistados escolheram a Times Square (76%).

LEIA TAMBÉM: Lições de viagem

Resumo dos dados da pesquisa

  • Em 2020, 39% dos viajantes de luxo globais terão mais atenção com as mídias sociais quando viajarem.
  • 55% dos viajantes de luxo globais acreditam que produzir conteúdo para mídias sociais durante a viagem aumenta sua capacidade de ter uma experiência significativa.
  • Os viajantes de luxo se sentem incentivados a ver os locais mais populares quando viajam, mas muitos desejam poder conhecer cidades como um morador bem informado.
  • 77% dos viajantes de luxo globais acham que é um dever visitar os locais mais populares em um destino que visitam.
  • 75% dos viajantes de luxo globais (incluindo 80% dos pesquisados ​​na cidade de Nova York) sentem que, quando viajam, desejam poder experimentar cada cidade como um morador bem informado.
  • 46% dos viajantes de luxo em todo o mundo acreditam que os visitantes veem o melhor de sua própria cidade, mas existem certos pontos turísticos e experiências que eles não conhecem.
  • 40% dos viajantes de luxo em todo o mundo acreditam que as postagens de mídia social de pessoas que visitam sua cidade natal não refletem com precisão a profundidade e a cultura que existem lá.

Sugestão de moradores para as melhores experiências locais

A InterContinental pediu aos viajantes de luxo nesses mercados globais que selecionassem paisagens, sons, gostos, toques e aromas de uma seleção que fornecessem a melhor experiência para um viajante que visita a cidade.

E TAMBÉM: As melhores dicas de viagem da cofundadora da IT Cosmetics

As principais respostas:

  • Nova York: bagels frescos de uma loja do West Village.
  • Londres: a visão dos pontos turísticos de Londres iluminados quando você atravessava o Tamisa à noite. O calor de uma lareira em um antigo pub de Londres em um dia frio.
  • Dubai: água circulando nas fontes de Dubai; som da água lambendo um Abra (embarcação típica) ao longo do Dubai Creek.
  • Paris: o cheiro de pão fresco no forno nas boulangeries. A vista da cidade ao pôr do sol visto do Butte Montmartre.
  • Cidade do México: música Mariachi na Garibaldi Plaza. O Castillo de Chapultepec (o único castelo real na América).
  • Sydney: a brisa fria em seu rosto na balsa que leva de Manly até Circular Quay. Comer o tradicional fish and chips em um café tradicional de frutos do mar em Watson’s Bay.
  • Xangai: a interseção do riacho Suzhou e do rio Huangpu na ponte Waibaidu. O templo da cidade dos deuses, o aroma quente de Xiaolongbaos (tipo de pão chinês cozido no vapor)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).