Os 50 melhores destinos turísticos para visitar no pós-pandemia

Chadchai Rangubpai/Getty Images
Chadchai Rangubpai/Getty Images

Já sabe para onde quer ir depois que as restrições de viagem forem suspensas? A Forbes selecionou sugestões espetaculares, em todos os continentes, para inspirá-lo

Mais pessoas estão sendo vacinadas todos os dias e as viagens já voltaram a ser planejadas. Aos poucos, o mundo inteiro parece estar ao alcance novamente, mesmo que as restrições ainda não tenham sido totalmente suspensas.

Mas ao invés de voltarem todas de uma vez só, a maioria dos especialistas espera que o turismo seja retomado gradualmente. Alguns países afrouxaram seus controles agora e outros ainda o farão mais tarde. Mesmo onde você mora, as atrações e os protocolos locais mudarão em fases. É sempre bom lembrar: mesmo que você já esteja vacinado, nem todo mundo no seu destino final também estará.

LEIA MAIS: 15 parques mais relaxantes do mundo para viajar no pós-pandemia

Alguns viajantes já sabem exatamente para onde querem ir: para destinos cujos planos já estavam prontos antes da pandemia e precisaram ser cancelados ou remarcados ou para os lugares que lideram as suas listas de desejos (e parecem ainda mais urgentes depois de testemunhar uma crise de saúde global). Para outros, escolher pode ser mais nebuloso.

Para quem está tendo problemas para definir para onde ir, pedimos desculpas. Nossa lista de 50 ideias espetaculares pode tornar a escolha ainda mais difícil. Cada destino nesta lista vale a pena visitar – seja agora ou no futuro – e provavelmente o fará adicionar mais lugares à sua lista de desejos. Como se costuma dizer… desculpas (ou não).

Veja, na galeria de fotos abaixo, 50 melhores destinos turísticos para visitar no pós-pandemia:

  • 1. Alentejo, Portugal

    A província majoritariamente rural do Alentejo, em Portugal, tem uma paisagem deslumbrante após a outra. Com colinas suaves e pores do sol relaxantes, você encontrará uma cultura descontraída e sem muito estresse (exatamente o que todos nós precisamos após esse ano).

    Aprecie as coisas sem pressa, ande de bicicleta pelas praias, faróis e vilas de pescadores – ou siga para o interior em busca de vinícolas, castelos e mercados de agricultores. Alugue bicicletas em Évora e planeje o seu próprio roteiro ou reserve um pacote completo para ter o transporte e o alojamento providenciados para você.

    Reprodução/Forbes
  • 2. Argélia

    Ao longo do Mediterrâneo, a Argélia reúne incríveis ruínas romanas sem as típicas multidões. Como se isso não bastasse, você também pode ir para o Deserto do Saara ou para as Montanhas Hoggar para adicionar uma dose de natureza à sua aventura.

    O visto é necessário para entrar no país, mas um pouco de papelada vale a pena para ter acesso a sete locais nomeados Patrimônio Mundial da UNESCO e a uma hospitalidade calorosa.

    Leonid Andronov/Getty Images
  • 3. Alta, Noruega

    Conhecida como a “cidade da aurora boreal”, Alta oferece as condições ideais para caçar o show de luzes. A atividade é frequente e, ao contrário de outros destinos escandinavos, o local tem um número desproporcional de noites claras para a observação. Existem até hotéis no estilo “redomas árticas” (tendas de luxo com paredes transparentes no formato esférico) que são mais amigáveis ​​do que iglus de vidro em outros locais.

    Nas regiões mais ao norte, a temporada de aurora é mais longa do que o esperado, estendendo-se de setembro a março. Ainda assim, uma visita durante o inverno é mais recomendada para que você possa desfrutar dos passeios de trenó puxado por cães ou renas e caminhadas na neve.

    ansonmiao/Getty Images
  • 4. Antígua, Guatemala

    Não há como negar que Antígua é um destino turístico, mas as celebrações anuais da Semana Santa (a que antecede a Páscoa) valem a pena. Todos os anos, os locais criam lindos “tapetes” na rua com serragem colorida, flores e outros materiais. Essas complexas obras de arte só podem ser vistas por algumas horas antes que as procissões religiosas desfilem sobre elas, destruindo-as à medida que avançam. Apesar da data em 2021 já ter passado, já é hora de começar a planejar a viagem para 2022!

    Embora valha a pena programar sua viagem no período desta tradição, Antígua também é adorável no resto do ano. A cidade colonial tem belas igrejas para conhecer, ótimos restaurantes e vulcões para visitar fora da cidade.

    Kryssia Campos/Getty Images
  • 5. Ozark, Arkansas, Estados Unidos

    O canto noroeste do Arkansas tem uma beleza natural abundante, especialmente onde ficam as montanhas Ozark. Essa é uma das maiores áreas selvagens no leste dos Estados Unidos, então não será nenhuma surpresa que existam muitas oportunidades para caminhadas, mountain bike e outras atividades.

    O diferencial dessa área, porém, é quantas atrações existem, mesmo que exercícios físicos não sejam seu ponto forte. São vários os passeios panorâmicos, que passam por rios e cachoeiras – e você pode até ver alces! Na cidade, o distrito histórico de Eureka Springs é praticamente uma vila de artesãos e as apresentações da peça “Paixão de Cristo” estão programadas para recomeçar na primavera no Hemisfério Norte.

    Classic Stock/Getty Images
  • 6. Assam, Índia

    Assam está mais perto do Himalaia do que do Taj Mahal, o que mantém esta parte da Índia fora dos limites da maioria dos viajantes. Mesmo assim, o ecoturismo é o principal motivo da visita, com os animais silvestres sendo um surpreendente atrativo: você pode procurar um rinoceronte indiano de um chifre no Parque Nacional Kaziranga ou explorar a floresta perene no Santuário Hoollongapar Gibbon.

    O mesmo solo fértil que a torna um bom lar para a vida selvagem também torna a região ideal para a agricultura. Inclua uma plantação de chá à sua estadia, já que as propriedades são lindas e podem ser uma ótima maneira de desfrutar de alguns dos vilarejos menores do nordeste indiano.

    Reprodução/Forbes
  • 7. Ayutthaya, Tailândia

    Uma coisa é certa: ninguém no Ocidente aprende sobre Ayutthaya nas aulas de história, apesar dela ter sido a maior cidade do mundo em 1700. Apesar disso, a maioria dos visitantes de hoje a visitam para conhecer sua história. As ruínas do Parque Histórico de Ayutthaya datam de 1350. O parque é extenso e de um período e cultura diferentes do renomado Angkor Wat, então não o descarte antes de ir.

    Os trens de Bangcoc partem com frequência para Ayutthaya, com viagens que duram 90 minutos. A maioria dos visitantes faz passeios de apenas um dia, mas passar a noite é ainda melhor: você verá os templos no início da manhã e no final da tarde, quando eles estão mais silenciosos. O pôr do sol em particular é lindo e um ótimo motivo para não sair muito cedo.

    ngubpai/Getty Images
  • 8. Butão

    A falta de viagens no último ano colocou o turismo sustentável nos holofotes à medida que os destinos reabrem. Um país que tem acertado nesse quesito durante anos é o Butão, onde a contratação de um guia é obrigatória para garantir que os viajantes tratem os habitantes, as comunidades e os espaços naturais e culturais com respeito. A iniciativa faz parte da estratégia do Butão de manter o turismo “de rendimento elevado e baixo impacto”.

    Embora ter um guia seja bom para o butanês, também é para o viajante. É ele quem cuidará dos preparativos logísticos, o que é especialmente importante em um mundo onde as restrições de viagem mudam constantemente. Além disso, esses profissionais também contam histórias, adicionam contexto e ajudam você a se conectar com a população local ao longo do caminho para uma experiência mais profunda e significativa.

    Kardd/Getty Images
  • 9. Bristol, Inglaterra

    Os fãs do artista britânico Banksy podem já estar cientes de como Bristol é um ótimo destino – a arte de rua é fenomenal – mas é hora de o resto do mundo entender. A oeste de Londres, Bristol é uma cidade de médio porte com uma atmosfera vigorosa e animada.

    Resumir o que fazer por lá pode ser difícil, mas os visitantes devem incluir um tour pelo SS Great Britain de Brunel e o emblemático museu M Shed para começar. Os fãs de “Bridgerton” podem fazer uma viagem bate-e-volta para Bath, a quinze minutos de distância, para ver pessoalmente os locais de filmagem da série da Netflix.

    NXiao/Getty Images
  • 10. Ilhas Virgens Britânicas

    O furacão Irma causou estragos nas Ilhas Virgens em 2017, deixando danos devastadores que levaram anos para se recuperar. Finalmente, o destino foi reconstruído e reaberto com infraestrutura suficiente para que os turistas possam retornar.

    Escolher em qual ilha ficar pode ser difícil, mas não há escolha ruim. Opte por uma e não se estresse: é possível passar o dia conhecendo outras graças a balsas e barcos fretados. Se você realmente não consegue decidir, sempre dá para reservar um catamarã para dormir em vez de um resort, assim o seu “quarto de hotel” pode se mover.

    cdwhealtly/Getty Images
  • 11. Cairo, Egito

    Depois de vários atrasos, a inauguração do Grande Museu Egípcio, finalmente, está marcada para acontecer este ano. A novidade ficará fora das Pirâmides de Gizé e, ao contrário do antigo Museu Egípcio no centro da cidade, será uma visão moderna e deslumbrante do passado da civilização egípcia.

    Com novas exposições e artefatos nunca vistos antes de descobertas recentes em Saqqara e Luxor, este museu valerá a viagem – mesmo se você já visitou o Egito anteriormente. Como todos os museus de classe mundial, espere passar um dia inteiro (ou mais) apreciando todas as exposições.

    Ratnakorn Piyasirisorost/Getty Images
  • 12. Alto Ártico Canadense

    A Antártica tende a receber toda a atenção, mas você desfrutará de muitas das mesmas facetas se for para o outro pólo, no Alto Ártico Canadense: uma expedição exclusiva à natureza intocada, paisagens de tirar o fôlego e vida selvagem estonteante, além de um vislumbre da cultura e história Inuit.

    Em cruzeiros, o enjoo nem chega a ser uma questão incômoda e os itinerários começam com duração a partir de uma semana, para viajantes com pouco tempo. Os preços também são mais baixos, apesar de oferecer uma experiência tão inesquecível.

    Alex Ratson/Getty Images
  • 13. Ilhas Canárias

    Para quem está procurando uma escapada na Europa, mas ainda não está pronto para curtir a vida agitada das cidades, as Ilhas Canárias podem ser a solução perfeita. Os aluguéis por temporada são comuns (e acessíveis) para que você tenha um pouco de espaço extra quando quiser privacidade. Muitos têm acesso à praia ou mesmo a piscinas privadas para aproveitar o clima quente.

    Tenerife é a maior das Ilhas Canárias, sendo a escolha óbvia para quem pretende ficar um pouco mais. A paisagem varia do litoral ao vulcão à floresta, então não dá para ficar entediado – e há de tudo, desde cidades festivas a pequenas aldeias para explorar. Dica de expert: mesmo que o aluguel inclua uma cozinha, permita-se parar em bodegas e bares de tapas também. As Canárias têm uma gastronomia própria, diferente da Espanha (da qual é uma província). Esteja preparado para saborear o polvo em todas as variações imagináveis ​​possíveis.

    Orbon Alija/Getty Images
  • 14. Capadócia, Turquia

    Poucos lugares conseguem misturar natureza e história em proporções iguais, mas a Capadócia se destaca. Mais conhecida por sua paisagem lunar com formações rochosas conhecidas como “chaminés de fada”, esta parte do centro da Turquia também abriga cidades subterrâneas que foram construídas para proteção durante as Guerras Árabe-Bizantinas.

    Os passeios diários irão apresentar uma história fascinante e permitirão que você explore igrejas construídas diretamente nas rochas, algumas com afrescos bem preservados em seu interior. Caminhadas de todas as distâncias e dificuldades estão disponíveis para viajantes mais ativos, enquanto hotéis em cavernas, passeios de balão de ar quente e banhos turcos completam a experiência.

    goinyk/Getty Images
  • 15. Vale do Colchagua, Chile

    Das quatro regiões vinícolas próximas à capital Santiago, o Vale do Colchagua é uma das mais apreciadas. O terroir é excepcional, por isso existem tantos vinhos tintos premiados, com favoritos clássicos como o cabernet sauvignon e o merlot, bem como carménère, a variedade principal do Chile.

    O que coloca o Colchagua no topo da lista de viagens é que ele oferece muito mais do que apenas vinho. Entre as degustações, você pode desfrutar de bons restaurantes, hotéis luxuosos e vistas espetaculares. A 2 horas e meia de distância de Santiago, a poluição luminosa também é quase inexistente, tornando-a excelente para observação de estrelas e outros tipos de turismo astronômico no Observatório de Cerro Chamán.

    tifonimages/Getty Images
  • 16. Doha, Catar

    Como o Museu Nacional do Catar foi inaugurado em 2019 e o país fechou suas fronteiras durante a pandemia, a maioria dos viajantes ainda não teve a chance de visitar este museu espetacular. Ele conta os detalhes da história e cultura do país e complementa o Museu de Arte Islâmica, também em Doha.

    Como o Catar é relativamente pequeno – o estado de Sergipe é quase duas vezes maior que o país -, é improvável que você voe para o outro lado do mundo para uma visita exclusiva. Mas a Qatar Airways oferece a chance de uma escala de uma a quatro noites em seu itinerário de voo. Como a cia aérea voa para mais de 100 destinos em todo o mundo, não é difícil incluir uma pausa para conhecer o país em sua viagem.

    Midhat Mujkic/Getty Images
  • 17. Dominica

    Dominica não é como as outras ilhas do Caribe. Uma viagem para lá envolve menos praias e resorts (embora ela os tenha) e mais exploração do seu extenso sistema de parques naturais. Você encontrará vulcões, florestas, lagos de água doce, atividades geotérmicas e cachoeiras, com muitas trilhas para apreciá-los por completo.

    Dominica também torna mais fácil aprender sobre o seu patrimônio cultural do que ilhas onde viajantes ficam dentro dos limites de um resort. Siga para o Kalinago Barana Autê para conhecer as tradições Kalinago de centenas de anos atrás. O centro compartilha artes, danças e performances de maneira respeitosa e informativa.

    johandersonphoto/Getty Images
  • 18. Costa Leste da Virgínia, EUA

    Todo o extremo norte da costa leste do estado norte-americano vale uma visita. Além da região de Chincoteague, com pôneis selvagens e o centro Wallops de lançamentos de foguetes operado pela Nasa, a área abriga cidades como Onancock, Wachapreague e Cape Charles, entre outras.

    Independentemente de onde você escolher se hospedar, viajar para cima e para baixo na península lhe dará a oportunidade de explorar as ilhas-barreira, fazer tours por vinícolas familiares e nadar nas águas calmas e quentes da Baía de Chesapeake. Não deixe de provar muitas ostras locais também (sim, elas têm sabores diferentes dependendo de onde foram colhidas ao longo da costa).

    Zach Frailey/Getty Images
  • 19. Ilhas Galápagos, Equador

    Sinceramente, nunca é um momento ruim para ir para Galápagos – mas desta vez a experiência pode ser melhor do que o normal. Com o turismo internacional ainda um pouco lento, nem todos os cruzeiros estão operando devido à falta de passageiros. Se sua viagem for programada (e confirmada) você compartilhará as águas com menos navios (e possivelmente menos passageiros a bordo também).

    Se tudo isso parece um pouco imprevisível para você, pule o cruzeiro e reserve uma viagem terrestre. Você terá que priorizar um punhado de ilhas que melhor atendam aos seus interesses: por exemplo, o centro de criação de tartarugas fica na Ilha de Santa Cruz, mas há ótimos locais para mergulho com snorkel em San Cristobal, em Kicker Rock.

    pkphoroscom/Getty Images
  • 20. Gaspé, Quebec, Canadá

    O Canadá francês é muito mais do que Montreal e a cidade de Québec, então saia da cidade e entre na província. Ao contrário de suas vizinhas metropolitanas, a Península de Gaspé possui pequenas cidades, um forte patrimônio histórico e várias áreas selvagens. A melhor forma de visitar é por road trip, o que permite parar em aldeias e parques nacionais ao longo do caminho.

    Essa região também tem uma culinária incrível. Espere uma mistura de francês clássico com um toque exclusivamente canadense, como uma Bouillabaisse gaspésienne, feita de frutos do mar locais, ou chocolate artesanal com bálsamo de abeto local. Pratos saudáveis, para mantê-lo aquecido em invernos rigorosos, também são predominantes por lá.

    Aurelien Pottier/Getty Images
  • 21. Gdansk, Polônia

    Do jeito que está, a Polônia geralmente não é um dos primeiros lugares que os viajantes visitam na Europa – e Gdańsk muito menos. Uma pena, já que esta cidade do norte ao longo do Báltico consegue atingir o triunfo de ser bonita, interessante e acessível.

    Por lá, os viajantes devem visitar o Centro Europeu de Solidariedade para aprender sobre a história comunista polonesa. O museu moderno inclui um guia de áudio para explicar melhor o movimento de solidariedade. Outra parada nova e interessante é o Museu da Segunda Guerra Mundial, que explica outra parte significativa do passado da Polônia.

    zbruch/Getty Images
  • 22. Gana

    A África Ocidental pode ser intimidante, mesmo para viajantes eventuais, mas Gana tem um governo estável e habitantes locais amigáveis ​​e acolhedores. Voe para a capital Acra e aproveite mercados movimentados, praias do Atlântico e a vida noturna por dias antes de seguir para a floresta tropical de Gana ou para os safáris na savana.

    Nenhuma viagem ao país estaria completa sem uma visita à Costa do Cabo e o reconhecimento de sua posição como um importante centro do comércio de escravos. Aprender sobre esta parte da história mostra o quão longe chegamos como planeta – e nos lembra o quão longe ainda temos que ir.

    Eunika Sopotnicka/Getty Images
  • 23. Grande Barreira de Corais, Austrália

    O novo Museu de Arte Subaquática pode ser encontrado lá embaixo… literalmente. Uma série de esculturas foram instaladas debaixo d’água na costa australiana de Townsville, dando aos mergulhadores mais um motivo para planejar uma visita a este clássico e queridinho destino.

    Embora seja possível fazer snorkel na exposição “Coral Greenhouse” no John Brewer Reef, o mergulho lhe dará uma visão mais próxima. Reserve um tempo logo, antes que as fronteiras da Austrália sejam abertas, para obter a certificação e/ou aprimorar suas habilidades.

    Ignacio Palacios/Getty Images
  • 24. Guiana

    A Guiana é o único país de língua inglesa da América do Sul, mas, ironicamente, é praticamente intocado pelos turistas. É um cenário incomum para as férias. Não espere luxo ou uma viagem perfeita.

    Os viajantes que se esforçarem serão recompensados ​​com uma das paisagens naturais mais impressionantes do globo. Kaieteur Falls, por exemplo, é a cachoeira mais alta do mundo, além de ser cercada por montanhas. Poder observar a vida selvagem também é um dos atrativos, incluindo ariranhas, tamanduás-bandeira ou até onças.

    Reprodução/Forbes
  • 25. Harbin, China

    Um dos motivos para conhecer esse destino é o Festival Internacional de Escultura em Gelo e Neve de Harbin, considerado o maior e melhor do gênero no mundo. Uma versão modificada para a pandemia foi realizada em 2021, por isso é relativamente seguro esperar que ocorra novamente em 2022.

    Embora este festival seja incrível, o calendário de eventos locais também está ocupado pelos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim em 2022, o que pode ser aproveitado com um voo fácil de duas horas para o sul.

    Eric Hevesy/Getty Images
  • 26. Ístria, Croácia

    Os apreciadores de uma boa gastronomia devem considerar uma visita à Península de Ístria, na Croácia, em suas próximas férias. Apesar de pouco conhecido, o local fica a uma linha reta da Itália; na verdade, há uma balsa que liga Veneza a Pula. E lá você encontrará trufas, azeite, presunto, vinho e todos os tipos de frutos do mar, além de iguarias 100% locais.

    Esta região é popular entre os viajantes europeus, mas o restante do mundo está apenas começando a visitá-la. Se você for, certifique-se de dividir seu tempo entre uma cidade costeira (como Rovinj ou Pula) e vilas do interior (como Motovun).

    Wilfred Krecichwost/Getty Images
  • 27. Jujuy, Argentina

    Vá para a província de Jujuy na cordilheira dos Andes na Argentina para ver um lado do país que a maioria das pessoas nunca ouviu falar. O cenário é alucinante, com uma combinação única de montanhas e desertos. Picos coloridos, como o Cerro de Siete Colores em Purmamarca e a Serranía de Hornocal em Humahuaca, parecem grandes arco-íris dependendo da iluminação.

    No entanto, não se trata apenas de um passeio ao ar livre. O Pucará de Tilcara, por exemplo, oferece um conjunto de fortificações pré-incas, algumas das quais foram reconstruídas nos últimos tempos. Faça um tour pelas ruínas e aprenda mais sobre os Omaguaca que viveram por lá durante o século 12.

    Kathrin Ziegler/Getty Images
  • 28. Luxemburgo

    Para um país tão pequeno, Luxemburgo tem um grande impacto. Você pode dirigir de cima a baixo em pouco mais de uma hora, mas no meio disso você verá castelos medievais, uma natureza intocada e túneis históricos. Hospede-se na cidade de Luxemburgo se quiser observar a mistura entre o antigo e o novo ou vá para o conto de fadas de Vianden se preferir uma cidade menor.

    Acredite ou não, Luxemburgo tem seu próprio aeroporto com voos para várias cidades europeias. No entanto, como faz fronteira com a Bélgica, França e Alemanha, é igualmente fácil fazer o trajeto de carro e incluir isso como parte de uma viagem. Rodovias e outras infraestruturas facilitam essa jornada.

    Alexander Spatari/Getty Images
  • 29. Quênia

    Escolher um país para um safári pode ser complicado, especialmente porque quase todos os lugares parecem incríveis. Mas o que faz o Quênia se destacar é a possibilidade de reservar uma viagem a um custo mais razoável. De modo geral, as taxas dos parques são um pouco mais baixas do que as de seus vizinhos, e a maioria deles oferece alojamentos econômicos para os viajantes que desejam algo entre um acampamento completo e uma estadia de luxo.

    No entanto, não pense que você estará economizando também no contato com animais. Embora o Serengeti, na Tanzânia, seja mais conhecido pela “grande migração” anual, os mesmos rebanhos cruzam a fronteira para o Quênia na Reserva Nacional Masai Mara todo verão.

    Manoj Shah/Getty Images
  • 30. Lombok, Indonésia

    Saia um pouco de Bali. Lombok é o lugar para onde você deve ir se quiser relaxar em um cenário tropical sem ser incomodado por outros turistas. Lá você encontrará pontos de surfe, um vulcão imponente, cachoeiras, praias e templos.

    No momento, os voos para Lombok partem de apenas alguns aeroportos internacionais, como Singapura e Kuala Lumpur. Por causa disso, a cidade é relativamente tranquila… por enquanto.

    Lepretre Pierre
  • 31. Makgadikgadi Pans, Botsuana

    A migração das zebras de Botsuana não é bem conhecida, talvez por ter sido impedida por décadas por cercas que cortavam as rotas naturais dos animais. Agora, com o bloqueio removido, 25 mil zebras migram todos os anos para aproveitar as vantagens das áreas verdes e exuberantes.

    É melhor reservar uma viagem para ver esta vista espetacular com um agente de safári experiente. Como as zebras estão em movimento, você precisará de um especialista para lhe dizer aonde ir com base no seu tempo exato. Esteja ciente de que a migração é mais intensa durante a estação chuvosa, portanto, escolher rotas navegáveis ​​e encontrar alojamentos abertos também deve ser levado em consideração.

    Reprodução/Forbes
  • 32. Milos, Grécia

    As ilhas gregas sempre serão amadas pelos viajantes, mas faça um favor a si mesmo e ignore as mais visitadas este ano. Milos, embora certamente não seja “desconhecida”, é a menos lotada da turma, e os navios de cruzeiro raramente param ali.

    Milos é mais conhecida pela praia totalmente branca de Sarakiniko, mas as Catacumbas de Milos e as Cavernas Kleftiko também valem a pena. E, como todas as ilhas gregas, não subestime quanto tempo você vai precisar para nadar, tomar sol, beber, jantar e perseguir o pôr do sol.

    Vasilis Tskikkinis/Getty Images
  • 33. Moab, Utah, Estados Unidos

    Com dois parques nacionais dentro e ao redor de Moabe, esta cidade merece nunca sair da sua lista de viagens. Atualmente é especialmente convidativo, pois há uma maneira totalmente nova de chegar até lá: o trem Rocky Mountaineer. Lançado recentemente, ele leva os viajantes em uma viagem panorâmica de Denver a Moab ou vice-versa.

    A viagem de luxo inclui vistas de lugares que você não pode ver da estrada, incluindo o Ruby Canyon no caminho em direção ao Parque Nacional Arches. Uma vez em Moabe, você vai querer passar alguns dias apreciando a paisagem de rocha vermelha pela qual a área é conhecida, bem como os rios, florestas e montanhas nas proximidades.

    Stephen Lux/Getty Images
  • 34. Oruro, Bolívia

    O Carnaval de Oruro é uma festa como nenhuma outra. O festival combina rituais católicos com tradições indígenas, resultando em uma festa extravagante e colorida. Os desfiles, que chegam a durar até vinte horas, apresentam danças folclóricas, música e fantasias elaboradas pelos moradores locais.

    Fora das festividades do carnaval, Oruro é uma cidade pequena e pacata, sem muitas atrações turísticas. No entanto, o clima combina perfeitamente com o Parque Nacional Sajama, onde você encontrará o Pico de Sajama coberto de neve, gêiseres, fontes termais e pinturas rupestres pré-históricas.

    Stephen Lux/Getty Images
  • 35. Puebla, México

    Existem 365 igrejas em Puebla, uma para cada dia do ano. Também há muitos museus de arte, uma dúzia de restaurantes e uma vista deslumbrante de um vulcão fumegante ao fundo. O passeio é mais barato do que visitar a Cidade do México e fica a apenas duas horas de distância da capital.

    A cidade universitária de Cholula, a cerca de 12 km de distância, está quase sempre incluída na mesma viagem a Puebla e por boas razões. Aqui, a Grande Pirâmide é a melhor atração para os viajantes que queiram subir ao topo, bem como passear pelos túneis subterrâneos. Também é excelente para jantar e aproveitar a noite, com opções mais badaladas que talvez você não encontre em Puebla. Para uma autêntica celebração do 5 de maio, dia da Batalha de Puebla, a cidade é a única do México que realmente comemora o feriado.

    Reprodução/Forbes
  • 36. Queenstown, Nova Zelândia

    Se ficar preso em sua própria casa por um ano o deixa impaciente, vá direto para a capital da aventura da Nova Zelândia. Queenstown oferece de tudo, desde bungee jumping a river boarding para saciar sua necessidade de adrenalina.

    Depois de riscar algumas atividades da sua lista de desejos, você pode desfrutar dos passeios mais suaves. Esta pequena cidade da Ilha do Sul também é ótima para cruzeiros panorâmicos no lago, pesca com mosca, golfe e muito mais. O Kiwi Birdlife Park, por exemplo, permite que você chegue bem perto do pássaro mais famoso da Nova Zelândia.

    Patchareeporn Sakoolchai/Getty Images
  • 37. Saipan

    Vá em frente e pegue um mapa. Saipan fica nas Ilhas Marianas do Norte, em uma parte do Pacífico frequentemente esquecida. Mas ela foi importante durante as batalhas da Segunda Guerra Mundial, e os viajantes podem visitar o local exato dos eventos históricos com um carro alugado. O American Memorial Park Visitor Center, parte do National Park Service, pode fornecer contexto e orientações.

    Como seria de se esperar de uma ilha, também há praias e oportunidades incríveis de mergulho, incluindo um local com destroços de um avião naufragado na guerra.

    John Elk/Getty Images
  • 38. Salento, Colômbia

    Se você ainda não foi ao país do café, é hora de considerar uma visita a Salento. Esta cidade montanhosa é bem conveniente para viajar e conhecer plantações orgânicas do grão, como o Vale Cocora (conhecido por suas palmeiras de cera icônicas) e o Parque Nacional Los Nevados.

    Na cidade, você vai querer caminhar pela colorida Calle Real e visitar a Plaza de Bolivar Salento, que são ótimas desculpas para pegar constantemente sua câmera. Fora da cidade, a maioria dos passeios se concentra em aventuras ao ar livre: caminhadas, mountain bike, parapente e passeios a cavalo.

    Barna Tanko/Getty Images
  • 39. Samoa

    Samoa recebe pouquíssimos turistas em comparação a outras partes da Polinésia. Talvez por isso, sua cultura local ainda chame tanta atenção. O Fa’a Samoa (ou Caminho de Samoa) não é algo exagerado só para agradar os turistas. Como visitante, você será bem recebido para observar e participar dos costumes locais.

    Este é o tipo de destino onde você deve se esforçar para apoiar as empresas locais. Escolha pequenos restaurantes, passeios personalizados e hotéis familiares, evitando as grandes cadeias internacionais. As praias e o paraíso tropical podem o levar para Samoa, mas a hospitalidade fará com que você deseje voltar.

    Bob Krist/Getty Images
  • 40. Sayulita, México

    Facilmente acessível do aeroporto de Puerto Vallarta, Sayulita parece um mundo à parte de outros centros turísticos. Da mesma forma que Tulum antes do Instagram descobri-lo, Sayulita tem as comodidades e serviços turísticos que os visitantes desejam, sem perder totalmente sua identidade mexicana. Aproveite-o com responsabilidade para que outras pessoas também possam apreciá-lo nos próximos anos.

    Embora o surfe tenha levado o turismo para Sayulita, também há pesca, mergulho com snorkel e compras de arte local Huichol. Se você estiver disposto a se esforçar um pouco, ainda encontrará florestas virgens e praias escondidas – além dos melhores tacos de rua da cidade.

    Jordan Siemens/Getty Images
  • 41. Sydney, Austrália

    A Austrália fez um ótimo trabalho em manter a vida normal durante a pandemia, então quando eles finalmente reabrirem suas fronteiras para visitantes internacionais, você pode imaginar que haverá muito o que fazer. Embora haja muitos locais imperdíveis para quem está visitando o local pela primeira vez, a verdadeira atração de Sydney são os eventos e festivais que você encontrará. Sempre há algo para fazer.

    Um dos melhores eventos anuais da cidade é o Vivid Sydney, que apresenta instalações de luz ao ar livre e projeções em toda a cidade para uma experiência envolvente. Música e outras apresentações incentivam você a explorar além dos principais marcos de Sydney e descobrir um novo bairro para retornar no futuro.

    Andrew Merry/Getty Images
  • 42. Taipei, Taiwan

    Taipei é o sonho de qualquer fã de gastronomia. Há restaurantes com estrelas Michelin, lanchonetes e comida de rua 24 horas por dia, cada um com suas iguarias únicas para oferecer. Comece o dia com um pedaço de bolo de abacaxi com chá de oolong (feito das folhas da planta Camellia sinensis) e finalize-o com sopas de macarrão com carne e pães de pimenta preta. Ou dirija-se a um dos bares de camarão na Zhìshàn Road, onde você literalmente pega seu próprio jantar.

    Claro, você tem que fazer outra coisa além de comer, e Taipei também se destaca nisso. Visite os museus e templos da cidade, faça compras ou uma excursão de um dia a Beitou para conhecer fontes termais e trilhas de caminhada.

    Reprodução/Forbes
  • 43. Telluride, Estados Unidos

    Novas rotas e reformas no aeroporto de Montrose tornaram Telluride mais acessível do que nunca. Esta pequena cidade no oeste do Colorado tem lindas paisagens montanhosas com uma grande variedade de atividades, mas se diferencia bastante de outras como Vail e Aspen, que você já pode ter visitado.

    A melhor parte de Telluride é que ela é adorável tanto no inverno quanto no verão. Escolha esquiar com linhas de teleférico mais curtas no Telluride Ski Resort. No verão, as atividades incluem caminhadas e off-road. Além disso, você encontrará ótimas opções de restaurantes e coquetéis para completar sua viagem.

    Deb Snelson/Getty Images
  • 44. Tufi, Papua Nova Guiné

    Na realidade, qualquer pessoa que vá até Papua-Nova Guiné provavelmente irá explorar várias áreas do país, mas Tufi deve ser uma delas. A cidade intocada fica próxima a um fiorde formado por antigas erupções vulcânicas.

    O cenário é apenas o começo. Você poderia facilmente passar sua viagem inteira mergulhando sozinho e se encantando com a visibilidade das águas. Também há raros tubarões-martelo brancos, grandes destroços e cardumes passando na sua frente.

    Marianne Purdie/Getty Images
  • 45. Uganda

    A África Oriental é mais conhecida como um destino de safári, mas Uganda vai contra essa tendência. Claro, você pode notar toda a vida selvagem que rodeia o espaço, mas esse destino oferece uma experiência de viagem mais completa do que isso. O país tem lagos deslumbrantes, rafting em corredeiras e trilhas de vários dias nas montanhas Rwenzori.

    Entre os lugares que você não deve perder em sua primeira visita estão o Parque Nacional Queen Elizabeth, que é lar de leões que escalam árvores, e o Parque Nacional de Murchison Falls, uma das cascatas mais poderosas do mundo.

    ElOjo Torpe/Getty Images
  • 46. Uruguai

    Com um clima ameno, o Uruguai é um destino aproveitável durante todo o ano com mais variedade do que você poderia caber em uma semana. O litoral tende a receber mais atenção, e com as fabulosas praias de Punta del Este e sua vida noturna épica, não é de se admirar que é por aí que muitos viajantes começam.

    Outros destaques do país incluem Colônia, um Patrimônio Mundial da UNESCO por seus edifícios históricos e suas idílicas ruas de paralelepípedos. A uma hora de distância, a cidade de Carmelo está em ascensão há alguns anos, mas ainda não decolou. Vá agora, enquanto você ainda pode desfrutar do campo tranquilo, de um bom vinho e das churrascarias em abundância.

    Elojo Torpe/Getty Images
  • 47. Uzbequistão

    Os viajantes que desejam explorar a Ásia Central descobrirão que o Uzbequistão é um dos países mais fáceis para o turismo independente. O sistema de metrô da capital Tashkent é conveniente e bonito, e o trem de alta velocidade conecta a cidade a outros destinos de visita obrigatória, como Samarcanda e Bukhara.

    Mesquitas e mausoléus chamam a atenção pelos designs complexos, tornando a arquitetura um atrativo tanto quanto a história e a cultura da Rota da Seda. Um pouco fora do turismo padrão estão as montanhas de Western Tien Shan, perfeitas para caminhadas, mountain bike e esqui. Do outro lado do país, o quase seco Mar de Aral hospeda um cemitério desconcertante de antigos navios de carga.

    Bruno Morandi/Getty Images
  • 48. Valdez, Estados Unidos

    Valdez oferece um microcosmo de tudo o que o Alasca tem a oferecer: geleiras, cruzeiros nos fiordes, pesca de salmão, caiaque no mar, caminhadas e vida selvagem. Também é o sonho de todo fotógrafo. O drive-in na Richardson Highway, por exemplo, o deixará boquiaberto com a paisagem local.

    Uma vez que esta pequena cidade não está no radar da maioria dos turistas novatos, as atrações não são terrivelmente movimentadas mesmo na alta temporada, mas como os serviços são limitados, você precisará fazer reservas com antecedência para hotéis e passeios. Ao fazer isso, permita alguma flexibilidade em caso de mau tempo. Valdez recebe muita chuva (e neve), o que mantém as cachoeiras com uma aparência espetacular durante todo o ano.

    Patrick J. Endres/Getty Images
  • 49. Ilha Waiheke, Nova Zelândia

    A Ilha Waiheke fica perto o suficiente de Auckland para fazer uma viagem de um dia, mas os viajantes espertos ficarão mais tempo. Existem mais de duas dúzias de vinhedos que valem a pena nesta ilha. As azeitonas também são cultivadas na região, graças aos verões quentes, e a degustação de azeite é uma adição inesperada à sua experiência gastronômica.

    Quando você precisar de uma pausa de suas experiências culinárias, a Ilha Waiheke também é um destino excelente para ciclismo ou caminhadas. Você também pode desacelerar totalmente indo para uma das praias da ilha. A costa do lado norte é mais indicada por causa da areia branca e das águas boas para o nado.

    MOAimage/Getty Images
  • 50. Walt Disney World, Flórida

    As festividades do 50º aniversário da Disney começam no dia 1º de outubro de 2021 e devem durar 18 meses, dando a você bastante tempo para se juntar à festa. As celebrações ainda não foram anunciadas, mas você pode esperar um entretenimento mágico, lembranças e guloseimas com temas especiais e uma nova decoração do parque.

    Esperar até 2022 para que as multidões diminuam pode ser algo a se pensar, especialmente porque algumas festividades como os fogos de artifício e os desfiles estão suspensos. Isso também pode diminuir seu tempo de espera em novos brinquedos, como o Remy’s Ratatouille Adventure, que será inaugurado em outubro deste ano no EPCOT.

    Reprodução/Forbes

1. Alentejo, Portugal

A província majoritariamente rural do Alentejo, em Portugal, tem uma paisagem deslumbrante após a outra. Com colinas suaves e pores do sol relaxantes, você encontrará uma cultura descontraída e sem muito estresse (exatamente o que todos nós precisamos após esse ano).

Aprecie as coisas sem pressa, ande de bicicleta pelas praias, faróis e vilas de pescadores – ou siga para o interior em busca de vinícolas, castelos e mercados de agricultores. Alugue bicicletas em Évora e planeje o seu próprio roteiro ou reserve um pacote completo para ter o transporte e o alojamento providenciados para você.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).