Ralph Lauren estreia venda de roupas digitais para avatares na internet

Assim como Nike e Gucci, a marca de roupas está explorando a rede social sul-coreana Zepeto para criar um espaço de interação com as novas gerações.

Marty Swant
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

A empresa projetou uma linha de roupas virtuais dentro da Zepeto, rede social sul-coreana onde 200 milhões de usuários interagem em um mundo virtual

Acessibilidade


A icônica marca de roupas Ralph Lauren está lançando colarinhos masculinos e vestidos de verão para uma nova geração de avatares na internet. A empresa projetou uma linha de roupas virtuais dentro da Zepeto, rede social sul-coreana onde 200 milhões de usuários interagem em um mundo virtual.

É a primeira vez que Ralph Lauren vende produtos digitais, incluindo 12 looks com 50 itens exclusivos que vão desde estilos vintage até a coleção de verão da marca. Mas, em vez de gastar centenas de dólares em fios e tecidos, cada peça dentro do Zepeto custa de 14 a 40 ZEMs – a moeda digital do aplicativo – que se converte em dólares norte-americanos custando entre US$ 0,57 a US$ 2,86, dependendo do item. As aquisições mais caras são as camisas madras e os suéteres polo, enquanto os produtos mais baratos incluem óculos escuros e bonés de beisebol.

LEIA MAIS: Simone Biles lança sua primeira coleção de NFTs

Ralph Lauren e Zepeto também recriaram versões virtuais de locais icônicos da cidade de Nova York. Junto com uma versão da loja principal da empresa na Madison Avenue e do Central Park, as parceiras de negócio também criaram um ambiente para a marca de cafeteria Ralph’s Coffee. Haverá também uma ferramenta para os usuários explorarem o local, seguida por um show virtual ao vivo em setembro, apresentando a banda de K-pop Tomorrow x Together. Durante o show, a banda, conhecida como TXT, exibirá seus avatares usando a coleção 3D de Ralph Lauren enquanto tira selfies virtuais com os fãs – imagens que podem ser compartilhadas nas redes sociais.

Em uma entrevista à Forbes, Alice Delahunt, CDO (Chief Digital Officer) e CCO (Chief Content Officer) da Ralph Lauren, apontou a relevância do mercado de aplicativos da Zepeto, que tem milhões de produtos digitais disponíveis para os usuários, além de ser o maior metaverso no mercado da Ásia-Pacífico. “Um mercado extremamente importante para nós”, define ela.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“O próprio Ralph Lauren sempre foi conhecido por trazer seu produto à vida através de mundos”, disse ela. “E é por isso que isso é tão interessante para nós, porque literalmente construímos um mundo com o qual os consumidores e usuários podem interagir e vender produtos.”

O Zepeto é cada vez mais popular entre as gerações mais jovens na Coreia do Sul e em outros países asiáticos. O aplicativo, fundado em 2018, permite que as pessoas criem avatares 3D de si mesmas com base em suas fotos e vários outros recursos personalizáveis. Os usuários, então, interagem por meio de mensagens diretas, notícias e experiências. De acordo com a empresa de pesquisas SensorTower, o Zepeto foi baixado 400 mil vezes em todo o mundo no mês passado.

A Ralph Lauren não é a primeira a fazer parceria com a rede social. Em fevereiro, a Gucci começou a oferecer roupas da coleção House enquanto os avatares podiam caminhar por uma Villa Gucci interativa. Outras marcas de roupas no mundo virtual incluem Nike e The North Face. Já a multinacional de automóveis Hyundai permite que os usuários testem virtualmente sua linha Sonata N. A novidade gerou tanto interesse nas empresas que as gigantes de entretenimento Disney e Universal Pictures também planejam um espaço dentro da plataforma. O ex-candidato a prefeito de Nova York até mesmo fez campanha virtual dentro da Zepeto em junho.

A partir desse sucesso, os profissionais de marketing estão cada vez mais interessados ​​em criar experiências para usuários mais jovens em mundos virtuais populares. Em março, a MGA Entertainment criou novas experiências para sua marca LOL Surprise dentro do jogo Roblox. Alguns meses depois, a Havaianas fez parceria com o famoso Fortnite para levar os chinelos da marca brasileira para o popular videogame. Como se já não fosse o bastante, no início deste mês a Burberry lançou sua primeira série de NFTs dentro do Blankos Block Party, um jogo de mundo aberto baseado em blockchain que permite aos jogadores coletar brinquedos digitais exclusivos.

VEJA TAMBÉM: PSG assina contrato com Dior

De acordo com Alice, a parceria entre Ralph Lauren e Zepeto “demonstra nossa crença de que inovar em mundos virtuais é essencial para envolver a próxima geração de consumidores”.

“É muito empolgante traduzir nossas marcas em todas as categorias”, disse ela. “Isso abre um novo espaço de design com criatividade e imaginação para desenvolver coleções e mundos que não existem no reino físico. Para mim, é aí que fica muito, muito emocionante.”

Enquanto Alice destaca que a empresa acredita nos produtos digitais como um fluxo de receita futuro, a empresa também acompanha outras métricas para consolidar essa afirmação, incluindo quantas pessoas visitam o espaço, como elas interagem entre si, quanto tempo passam na experiência e quanta receita é criada com os produtos digitais. Ao projetar a experiência, a empresa se concentrou nos padrões e texturas das roupas oferecidas digitalmente, juntamente com a forma como os estilos se ajustam aos avatares dos usuários.

A entrada na Zepeto ocorre um ano após a colaboração de Ralph Lauren com o Snapchat e sua coleção de Bitmoji para permitir que os usuários misturem e combinem roupas em seus avatares. Desde então, 20 milhões de usuários vestiram seus personagens online com roupas da marca.

“O que amamos na Zepeto é a fidelidade da tecnologia no que diz respeito ao design. Com nosso Bitmoji e a camisa de rugby, queríamos um estilo francês, certo? Todo mundo percebeu isso e foi muito importante para nós. A Ralph Lauren presta atenção em todas as nuances.”

Além de sua colaboração com Bitmoji, nos últimos dois anos a empresa de moda fez parceria com uma série de novas plataformas digitais. Em novembro de 2020, lançou um novo recurso de realidade aumentada com o Snapchat para permitir que as pessoas vejam o icônico pônei Ralph Lauren em seu ambiente físico. Naquele mesmo mês, abriu suas primeiras lojas virtuais para que as pessoas pudessem comprar itens por meio do site oficial. Então, no último verão norte-americano, entrou no mundo dos esportes eletrônicos ao se tornar o fornecedor exclusivo da equipe de jogos G2 e de seu jogador estrela Martin Larsson (também conhecido como “Rekkles”).

A empresa “construiu uma estratégia muito clara no espaço da economia virtual”, disse Alice. Isso inclui um roteiro com os principais lançamentos de produtos nos próximos 18 meses. Enquanto algumas outras marcas estão experimentando vender NFTs, Ralph Lauren não está anunciando nenhum – pelo menos ainda não. No entanto, a executiva disse que a empresa está “observando este espaço de perto” e “acreditamos e investimos no futuro dos bens digitais, bem como dos esportes eletrônicos e das economias virtuais globais”.

“Eu sinto que aqueles que existem no mundo digital gastam seu tempo investindo em novidades e no que vem pela frente, porque temos que construir para o futuro”, disse ela. “Estou no app da Zepeto, estou no Roblox, participo do OpenSea, tenho uma Metamask. Somos consumidores, usuários de economias virtuais e amantes deste espaço.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: