Tales Of The Cocktail anuncia os vencedores do prêmio Spirited Awards 2021

Fundação homenageia todos os bares do mundo, refletindo as dificuldades enfrentadas pelo setor durante a pandemia

Karla Alindahao
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Sandrae Lawrence, fundadora e editora da revista “The Cocktail Lovers” é um dos homenageados pela fundação Tales of the Cocktail

Acessibilidade


Os últimos 18 meses foram impiedosos para a indústria da hospitalidade – principalmente nos primeiros meses da pandemia, quando os bloqueios forçaram o fechamento de bares e outros “negócios não essenciais”. Mas para Tales of the Cocktail, a fundação de 19 anos com sede em Nova Orleans dedicada a celebrar e apoiar a indústria, 2020 foi um ano repleto de histórias inspiradoras de perseverança e criatividade empreendedora.

Então, quando chegou a hora de organizar o Spirited Awards anual – criado em 2007 para homenagear os melhores bares, bartenders, marcas e jornalismo especializado em bebidas destiladas do mundo – a Tales se perguntou quem e o que exatamente deveria estar celebrando no ano passado. (A Forbes é a parceira de mídia oficial do Spirited Awards.)

LEIA TAMBÉM: 11 melhores livros para conferir no mês de outubro

“Quando olhamos para 2020, percebemos que realmente não havia como premiar bares ou bartenders de uma maneira equilibrada”, disse Eileen Wayner, a recém-nomeada CEO da Tales of the Cocktail Foundation. “Os bares estavam fechados – e muitos bartenders e funcionários ficaram desempregados por longos períodos de tempo. E, globalmente, as restrições para bares variaram drasticamente.”

Neste verão no hemisfério norte, a fundação construiu um mapa interativo dos melhores bares do mundo para celebrar os vencedores e indicados anteriores, mas o melhor bar não foi nomeado para 2021. “Em vez disso, a liderança do Tales decidiu que seria muito mais apropriado para a indústria refletir sobre o ano passado, concentrar-se na recuperação e encontrar um caminho a seguir”, diz Eileen. “Para os bares que conseguiram permanecer abertos e passar por fechamentos e restrições de capacidade, máscaras e restrições de vacinação, tiramos o chapéu. E levantamos nossa taça para a equipe que está trabalhando incansavelmente para fornecer hospitalidade nas mais difíceis circunstâncias.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Como Charlotte Voisey, presidente do 2021 Spirited Awards, explicou durante a cerimônia em Nova Orleans: “O comitê chegou a um consenso sobre a maneira certa de homenagear o ano passado. Introduzimos cinco temas: comunidade, experiência digital, cultura de bebidas, defesa da indústria e eixos inovadores. Acreditamos que essas coisas representam a resiliência de nossa comunidade em todo o mundo e esperamos que esses exemplos possam oferecer orientação para bares e bartenders que ainda enfrentam desafios”.

Além de prêmios de texto e mídia, o comitê entregou várias homenagens especiais, incluindo o prêmio Helen David Lifetime Achievement (para os fundadores da Mixellany Limited, Anistatia Miller e Jared Brown, que também é o mestre destilador da Sipsmith), os prêmios Timeless US and International para bares clássicos (Tommy’s Mexican Restaurant, em São Francisco, e Dukes Bar, em Londres) e o Pioneer Award (para o embaixador LGBTQ + da Bacardi, Chris Cabrera). Também houve dois novos homenageados ao Dame Hall of Fame – Lauren Paylor, chefe de produção de P&D da Silver Lyan, e Sandrae Lawrence, fundadora e editora da revista “The Cocktail Lovers”.

Reprodução/Forbes

‘Spirits of Latin America’ de Ivy Mix e James Carpenter é o melhor livro novo deste ano sobre Drinks Culture

Embora o Spirited Awards sempre tenha reconhecido a cobertura da mídia da indústria da hospitalidade, o foco deste ano foi diferente. Além da mistura usual de avaliações e perfis de bartender, grande parte da cobertura de 2020 abordou temas difíceis que a fundação tentou destacar, incluindo relações raciais na indústria de hospitalidade, a falta de representação de mulheres e indivíduos LGBTQIA + e as condições de trabalho insustentáveis em alguns locais.

VEJA MAIS: “Nos pedem ajuda para que estabelecimentos não fechem”, diz Cairê Aoas, empresário por trás de bares icônicos em SP

Por exemplo, Wayne Curtis, ganhador do prêmio Best Cocktail & Spirits Writing (“Melhor Coquetel & Texto de Destilado”, em tradução livre) deste ano, escreveu “The Myth of the Peaceful Plantation” (“O Mito da Plantação Pacífica”, em tradução livre) para o Half Full, no “Daily Beast”, narrando o branqueamento da palavra plantation, apesar de suas ligações óbvias com a escravidão. Curtis argumenta que essa palavra insensível deve ser retirada do mundo da hospitalidade, mesmo que isso signifique que o rum Plantation precisará se reformular.

E a Plantation entendeu a mensagem: “Evoluir nosso nome é nossa principal prioridade e, provavelmente, foi o exercício mais difícil que experimentamos até agora. Somos uma empresa familiar relativamente pequena, sem marca registrada ou departamento jurídico e estamos fazendo nosso melhor trabalhando 24 horas por dia, pois há uma infinidade de detalhes jurídicos e de produção complexos sobre os quais estamos aprendendo”, disse Alexandre Gabriel, fundador da Plantation e master blender. “Estamos empenhados em fazer a coisa certa e queremos fazê-lo bem, de uma vez por todas, nas muitas décadas que virão. Pedimos paciência de nossos apoiadores e amigos enquanto fazemos este movimento importante.”

Enquanto isso, o editor do “The Daily Beast”, Noah Rothbaum, e o autor e historiador de coquetéis David Wondrich produziram uma série de episódios provocativos em seu podcast, “Life Behind Bars”, incluindo uma minissérie especial chamada “What I’ve Learned”, que examinou muitos problemas relacionados à pandemia que a indústria de hospitalidade enfrentou no ano passado.

Rothbaum e Wondrich conversaram com veteranos da indústria, como Garrett Oliver da Brooklyn Brewery, Masa Urushido da Katana Kitten e Ryan Fitzgerald da ABV, sobre soluções para algumas das crises que seus negócios enfrentaram em 2020. As conversas abordaram um grande número de realidades relevantes, embora desconfortáveis: “Fomentando a Diversidade no Mundo da Cerveja e das Bebidas Destiladas”, “A luta para fazer as pessoas usarem máscaras em bares” e “Equipe durante uma pandemia”.

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

O Dukes Bar do Dukes Hotel em Mayfair, Londres, é dirigido pelo extraordinário barman Alessandro Palazzi. Ele e sua equipe são os destinatários do Timeless International Award

Na categoria de livros, Ivy Mix, fundadora do bar Leyenda do Brooklyn, ganhadora do Spirited Award, e o coautor, James Carpenter, levaram para casa o prêmio de Melhor Livro Novo sobre Bebidas, Cultura, História ou Bebidas Destiladas com “Spirits of Latin America: A Celebration of Culture and Cocktails” (“Bebidas Destiladas da América Latina: uma celebração de cultura e coquetéis”, em tradução livre). O livro belamente ilustrado oferece informações históricas importantes sobre os destilados nesta parte do mundo – enquanto também ensina os leitores a fazerem coquetéis.

LEIA TAMBÉM: Conheça 24 hotéis pelo mundo com vistas espetaculares

Na categoria Prêmios Especiais, o Dukes Bar de Londres (dirigido pelo aclamado Alessandro Palazzi) ganhou o cobiçado Prêmio Internacional Atemporal. O bar St. James, que há muito é um templo para o Martini – o autor de James Bond, Ian Fleming, era um frequentador assíduo – e oferece uma hospitalidade excepcional há mais de um século.

“Sempre que você vá a Londres, deve ir ao Dukes”, disse Agostino Perrone, mestre mixologista do Connaught Bar, premiado com o Spirited em Londres, elogiando a competição. “Você tem o barman na sua frente com a jaqueta branca, a personalidade inteligente. Eles fazem do seu dia o melhor dia da sua vida. ”

Veja a lista completa de vencedores do 15º Annual Sprited Awards abaixo:

Prêmio Tales of the Cocktail Spirited 2021

 

Vencedores da mídia

Publicação dos melhores coquetéis e destilados: Imbibe Magazine

Melhor transmissão, podcast ou série de vídeos online: A vida atrás dos bares com Noah Rothbaum e David Wondrich

Texto de Melhor Coquetel e Bebidas Destiladas: “The Myth of the Peaceful Plantation” (“O Mito da Plantação Pacífica”, em tradução livre) de Wayne Curtis, no “Half Full” (The Daily Beast)

Melhor livro novo de coquetéis ou bartending: “Drinking French: The Iconic Cocktails, Apéritifs, and Café Traditions of France” (“Beber francês: Os icônicos coquetéis, aperitivos e tradições do café da França”, em tradução livre), com 160 receitas de David Lebovitz (Ten Speed Press)

Melhor novo livro sobre bebidas, cultura, história ou destilados: “Spirits of Latin America” (“Destilados da América Latina” em tradução livre), de Ivy Mix com James Carpenter (Ten Speed Press)

 

Prêmios Especiais

Prêmio Helen David pelo conjunto de sua obra: Jared Brown e Anistatia Miller e Douglas Ankrah

Prêmio Atemporal dos EUA: Tommy’s Mexican Restaurant, São Francisco

Prêmio Internacional Atemporal: Dukes Bar no Dukes Hotel, Londres

Prêmio Pioneiro: Chris Cabrera

 

Dame Hall

Dame Hall of Fame (Estados Unidos): Lauren Paylor

Dame Hall of Fame (Internacional): Sandrae Lawrence

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: