Premiê Boris Johnson passa por exames em hospital por sintomas persistentes de Covid-19

Hannah McKay/Reuters
O porta-voz de Johnson disse que o premiê apresenta sintomas “persistentes”, o que inclui febre e tosse

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, está passando por exames em um hospital hoje (6) após apresentar sintomas persistentes do novo coronavírus por mais de 10 dias, mas o governo insiste que o líder segue em bom estado e no comando da nação.

Johnson, que se isolou em Downing Street depois de receber o resultado positivo para Covid-19 no mês passado, foi hospitalizado na noite de ontem (5) por ainda estar com febre e seus médicos acreditarem que ele precisa ser submetido a exames adicionais.

LEIA MAIS: “Nós vamos vencer”, diz Rainha Elizabeth sobre o surto de coronavírus

Seu escritório e seus ministros disseram que o premiê, de 55 anos, continua a comandar o governo, que está bem e que passará por “exames de rotina” por precaução, mas o governo não quis dizer a quais exames ele seria submetido.

“Sob recomendação do meu médico, fui ao hospital para alguns exames de rotina, já que continuo apresentando sintomas de coronavírus”, tuitou Johnson.

“Estou de bom humor e mantendo contato com minha equipe à medida que trabalhamos juntos para combater este vírus e manter todos em segurança.”

O porta-voz de Johnson disse que o premiê passou uma noite confortável no hospital e permaneceu sob observação, descrevendo os sintomas como “persistentes”, o que inclui febre e tosse.

O porta-voz pediu cautela sobre reportagens alegando que Johnson estava recebendo tratamento com oxigênio, mas se recusou a responder diretamente se o premiê tinha pneumonia. Johnson continua a receber sua correspondência ministerial com documentos do governo, acrescentou.

“Esta não é uma internação de emergência, e por isso eu certamente acredito que ele estará de volta ao Número 10 em breve”, disse o secretário da Habitação, Robert Jenrick, sem mencionar um prazo.

VEJA TAMBÉM: Boris Johnson é internado em hospital para exames após sintomas persistentes de Covid-19

No dia 27 de março, Johnson se tornou o primeiro líder de uma grande potência a anunciar um diagnóstico da doença. Ele se isolou em um apartamento de Downing Street.

Não ficou claro como um primeiro-ministro pode liderar a reação de emergência do governo ao surto de um hospital, mesmo estando doente. Alguns médicos disseram à Reuters que não está claro o que se quis dizer com exames de rotina para complicações da Covid-19.

Médicos disseram que uma pessoa da idade de Johnson com sintomas de Covid-19 depois de 10 dias provavelmente será examinada para se verificar os níveis de oxigênio e o funcionamento dos pulmões, fígado e rins e passar por um eletrocardiograma.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).