Eletrobras diz que 1,3 mil aderiram a plano de demissão

Funcionários deixarão empresa até o final do ano.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
 Katleho Seisa/Getty Images
Katleho Seisa/Getty Images

1,3 mil funcionários aderiram ao segundo plano de demissão consensual de 2019 da Eletrobras

Acessibilidade


A Eletrobras informou na noite de ontem (4) que 1,3 mil funcionários haviam aderido ao segundo plano de demissão consensual de 2019, e que eles deverão deixar a empresa até 31 de dezembro deste ano.

O desligamento proporcionará uma economia estimada de R$ 490 milhões ao ano, com ‘payback’ de 18 meses, segundo comunicado divulgado ao mercado.

LEIA MAIS: Eletrobras reverte prejuízo e lucra R$ 716 mi no 3º tri

Com este número de desligamentos, a Eletrobras atinge 97,6% da meta estabelecida no dissídio do Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020, homologada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), de ter no máximo 12,5 mil empregados em seu quadro efetivo, em 1º de janeiro de 2020.

A empresa disse ainda que, para o alcance da meta final do quadro de referência, de 12.088 empregados, nos termos homologados pelo TST, serão desligados até 1º de maio de 2020 mais 444 pessoas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os planos de demissão foram lançados em momento em que a companhia se prepara para uma anunciada desestatização, que deverá ocorrer em 2020, segundo os planos do governo federal.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: